Prelúdios do Campeonato Mundial de Xadrez

Prelúdios do Campeonato Mundial de Xadrez

Aarao
Aarao
Nov 2, 2016, 5:51 AM |
0

Os xadrezistas de todo o mundo, e os amantes do xadrez em particular, estão ansiosos pelo dia 11 de Novembro, em Nova Iorque, onde se jogará o Campeonato Mundial de Xadrez entre o actual campeão do mundo Magnus Carlsen e o desafiante Sergey Karjakin, previsto para  um total de 12 partidas.

A programação será agradável com um dia de descanso por cada dois jogos.

Pela segunda vez, a cidade de Nova Iorque será o centro do xadrez mundial, depois de em 1995, ter visto Gary Kasparov sagrar-se campeão, derrotando Viswanathan Anand, num jogo disputado no World Trade Center.

O norueguês Magnus Carlsen que tem definido a actual era do xadrez após derrotar por duas vezes o seu predecessor Viswanathan Anand, é sobejamente conhecido pela sua sobriedade, pelo seu posicionamento sólido tentando sufocar os adversários e levando de vencida partidas com vantagens mínimas. Desta feita, prepara-se para defender o título contra Sergey Karjakin, um prodígio do xadrez, nascido na Ucrânia, mas que recentemente adoptou a nacionalidade russa, e que detém o recorde do mais novo Grande Mestre da História do xadrez, com apenas 12 anos e 7 meses.

Para ganhar o direito a estar nesta final, Karjakin deixou para trás nomes como Fabiano Caruana, Nakamura, Anish Giri, Levon Aronian, V. Anand entre outros, nas partidas que se disputaram no mês de Março em Moscovo. Recorda-se que Karjakin está no 9º lugar do Ranking da FIDE com 2772 pontos, enquanto Carlsen  ocupa o 1º lugar com 2852 pontos.

Os dois jogadores que são da mesma geração (ambos nasceram em 1990), já se defrontaram inúmeras vezes em partidas clássicas.  O score favorece o norueguês com 4 vitórias, 1 derrota e pelo meio 16 empates. Este pode ser o mote para os embates que se seguem, em Nova Iorque, onde à partida os jogadores pouco ou nada arriscarão. Em consequência disto, muito das partidas poderão não ser decisivas, o que no cômputo geral, tem caracterizadas essas finais.

A questão que se coloca é o quanto Karjakin vai temer Carlsen? Isto tendo em consideração a inexperiência do primeiro em relação a estas finais, e obviamente, por possuir   menos tempo de adaptação. Em sentido oposto, Carlsen tem uma larga experiência nessas andanças, o que poderá concorrer para um ligeiro favoritismo. No entanto, augura-se uma batalha que promete ser épica, entre dois mais distintos jogadores na nova geração do xadrez.

 

Fonte: Expresso das Ilhas

Link: http://www.expressodasilhas.sapo.cv/desporto/item/50724-preludios-do-campeonato-mundial-de-xadrez