Os Melhores Momentos de Bisguier

Os Melhores Momentos de Bisguier

Silman
IM Silman
01/06/2017, 00:02 |
0 | Outros
Nós temos este artigo no teu idioma. Clica aqui para mudar para Português.

Embora eu tenha jogado com o já falecido, mas fantástico grande-mestre Arthur Bisguier no Canadá há muitos anos atrás (ele venceu), eu não conhecia muita coisa sobre este homem.

Foto cortesia de US Chess.

No entanto, conhecer a pessoa é uma coisa, mas conhecer o seu xadrez é completamente outra! Embora eu tenha aprendido a jogar xadrez depois dos 12 anos de idade, quando eu cheguei aos 14 anos eu já conhecia o nome de Bisguier muito bem. Eu sabia que ele era um grande-mestre famoso. Eu sabia que ele era um grande tático e atacante. Eu sabia que ele tinha vencido o campeonato dos EUA três vezes.

E eu sabia que ele tinha jogado 15 partidas com Bobby Fischer (Bisguier venceu Fischer, na época com13 anos, na primeira partida que disputaram, empatou a segunda, e depois apanhou um abanão do Bobby 13 vezes consecutivas).

Bisguier nasceu em 1929 e ele faleceu em Abril de 2017.

Muitos obituários foram sido escritos, por isso não vou fazer uma investigação sobre a vida de Bisguier. E, para pormenores pessoais, eu acho que ninguém melhor do que os amigos íntimos para fazer isso. O que eu farei é me aprofundar em algumas das suas partidas mais interessantes. No fim de contas, a sua fama se deve largamente ao seu xadrez muito criativo, e portanto desfrutemos de Bisguier como jogador de xadrez.

null

Foto: Beth Cassidy.

Bisguier, como todos os grande-mestres, era capaz de jogar partidas posicionais brilhantes e finais extremamente impressionantes. Você não ganha esse título tendo uma única dimensão! No entanto, a sua verdadeira paixão era o xadrez violento, e atacante. De fato, ele frequentemente queria tanto atacar que se arriscava sacrificando peças aqui e ali ainda que o plano inteiro fosse defeituoso. Ele me faz lembrar Mikhail Tal, que criava tanto caos tático que, mesmo que houvesse uma refutação, o oponente não a conseguia encontrar.

Ainda assim, será que a arte deve necessariamente ser limpíssima e perfeita, ou será que um pouco de 'fuligem' aumenta o efeito global? Aqui está um bom exemplo:

Com erros e tudo, eu sinto que esta partida é uma verdadeira obra de arte.

Aqui está outro exemplo de como Bisguier atirava tudo menos 'a panela de pressão' ao seu oponente, desafiando-o a navegar através de complicações constantes:

Agora está na hora de quebra-cabeças. Será que você consegue jogar como Bisguier?

Primeiro, um serviço público: Sempre que eu ofereço quebra-cabeças, um bom número de pessoas não se percebem que podem carregar no ponto de interrogação no canto esquerdo do tabuleiro e ver várias anotações. Outra fonte de confusão nos quebra-cabeças são os lances alternativos. Sim, existem muitas situações em que há mais do que um lance muito bom (ou até múltiplas maneiras de dar mate!). Quando isso ocorre os meus leitores pensam que eu não me dei conta por isso. Não, isso não aconteceu. O problema é que o programa só te deixa fazer um lance 'melhor.' Felizmente, que normalmente eu menciono nas anotações os lances que eram evidentes para mim!

QUEBRA-CABEÇAS UM

QUEBRA-CABEÇAS DOIS

QUEBRA-CABEÇAS TRÊS

Embora as Pretas tivessem um cavalo e uma torre vs. o peão solitário das Brancas, esta posição parece que pode estar empatada. No entanto, Bisguier tinha visto que existe uma só maneira de vencer. Consegue achá-la?



QUEBRA-CABEÇAS QUATRO

Como mencionei antes, Bisguier joga também uns finais impressionantes!

QUEBRA-CABEÇAS CINCO

QUEBRA-CABEÇAS SEIS
QUEBRA-CABEÇAS SETE
QUEBRA-CABEÇAS OITO
QUEBRA-CABEÇAS NOVE
QUEBRA-CABEÇAS DEZ
QUEBRA-CABEÇAS ONZE
QUEBRA-CABEÇAS DOZE


Gostaria de receber mais conteúdo de xadrez em Português? Siga estes canais!

null  /chesscom.pt null  /chesscom_pt null  /chesscomPT null  /chesscom_xadrez
Mais de IM Silman
Frank Marshall, Parte 4: St. Petersburgo 1914 e Os Deuses Do Xadrez

Frank Marshall, Parte 4: St. Petersburgo 1914 e Os Deuses Do Xadrez

Frank Marshall, Parte 3: Capablanca Entra em Palco

Frank Marshall, Parte 3: Capablanca Entra em Palco