Retrospectiva março
Ilya Merenzon (Agon), Fabiano Caruana e D.V. Sundar (FIDE) | Photo: Maria Emelianova/Chess.com.

Retrospectiva março

GMKrikor
GM GMKrikor
03/04/2018, 22:58 |
9

Chegamos em março, mês em que o verão termina, mas também quando começa o torneio candidatos! Vamos falar um pouco do que aconteceu antes desse evento:

------

O começo de março via o desenvolvimento de um torneio interessante acontecer em Amsterdam, na Holanda. O 10º dMp Batavia 2018, disputado em 9 rodadas no sistema Schuring (todos contra todos), tinha a participação do nosso GM mais ativo da atualidade, Alexandr Fier, que não deu moleza aos europeus e ganhou convincentemente a competição com 6.5/9, uma performance de 2636 pontos de rating. Entre seus adversários, o GM Ivan Sokolov, nascido na Bósnia, e representante da Holanda atualmente. Sokolov é conhecido por ganhar uma partida convincente de ataque do grande Garry Kasparov, em Wijk aan Zee, no ano de 1999, quando o Ogro de Baku estava em uma das melhores fases da sua vida.

Abaixo, uma das partidas mais interessantes de Fier no torneio, um sacrifício de qualidade cedo buscando a iniciativa e mantendo-a até o fim da partida!

null

Alexandr Fier na 9ª rodada - Foto: Leenart Ootes

------

Na agradável cidade de Poços de Caldas, em Minas Gerais, foi jogado o Aberto do Brasil que leva o nome da cidade, com a participação de 113 jogadores, dentre eles 12 jogadores titulados. O autor que vos fala era o pré-ranqueado número 1 do torneio, mas após 6 rodadas, o grande campeão foi o MI Diego Di Berardino, que já havia conquistado o Aberto do Brasil de Carnaval, no Clube de Xadrez São Paulo, em fevereiro. Eu terminei com a mesma pontuação, mas com pior desempate, em 2º lugar. Di Berardino conquistou 5.5 pontos nas 6 partidas, ao vencer uma longe partida decisiva o MF Álvaro Aranha, que vocês podem conferir abaixo:

null

Diego Di Berardino e a organizadora Luciane Sepúlveda. Foto: Joaquim de Deus.

------

Entre os dias 2 e 5 de março foi realizado em Moscou o Tal Memorial, um torneio rápido e blitz que reunia muitos dos melhores jogadores do mundo, inclusive 4 participantes do Torneio de Candidatos, que começaria logo em seguida, no dia 10 de março.

Os ritmos disputados seriam 25min+10seg de bônus (rapid) e 5min+3seg de bônus (blitz).

Na porção rápida do torneio, domínio do lendário Vishy Anand, que além de ser multicampeão mundial clássico em todos os formatos possíveis em inúmeras ocasiões, é também o atual Campeão mundial de xadrez rápido! Ele fez 6 pontos de 9 possíveis, com 4 vitórias, 4 empates e apenas uma derrota para o sempre perigoso Shak Mamedyarov, que terminou com a 2ª colocação.

Destaque para a bela combinação no lance 27 dessa partida de Anand contra Alexander Grischuk:

null

Vishy Anand - campeão do Memorial Tal rápido. Foto: http://ruchess.ru

No torneio blitz, supremacia do desafiante ao título mundial de 2016, o russo Sergey Karjakin, ao conquistar impressionantes 10 pontos em 13 rodadas, 1.5 ponto à frente do segundo colocado, o norte-americano especialista nesse formato, Hikaru Nakamura. Para atignir tal pontuação, Karjakin teve 8 (!) vitórias, 4 empates e 1 derrota para o ex-campeão mundial Vladimir Kramnik.

Uma partida instrutiva do campeão foi jogada contra um dos melhores jogadores de blitz do mundo, o russo Ian Nepomniachtchi:

Na somatória de resultados, o desempenho mais consistente foi do próprio Karjakin, que obteve um 3º lugar no torneio rápido. Era um bom sinal antes do Torneio de Candidatos, ainda que não estivéssemos falando de partidas no ritmo clássico.

null

Sergey Karjakin e Vishy Anand. Foto: Maria Emelianova/chess.com

------

Dois torneios fechados fortíssimos foram jogados em Saint Louis, talvez a maior central mundial do xadrez hoje em dia. O Saint Louis Chess Club é referência em todos os aspectos principalmente graças ao investimento do bilionário Rex Sinquefield (A Sinquefield Cup é um dos torneios mais fortes do circuito mundial desde 2013). Esse evento distribuia 36.000 dólares em prêmios.

O Grupo A, com uma média de 2652 pontos de rating contou com jogadores essencialmente mais novos, como o jovem norte-americano Jeffrey Xiong (2640) de apenas 17 anos e o experiente Alexander Onischuk (2681), que apesar de ter apenas 42 anos, era de longe o jogador mais velho da competição.

Xiong teve um desempenho impressionante com 6.5 em 9 partidas, 1.5 (!) à frente do vice-campeão e uma performance de 2819 pontos! Para se ter uma ideia, o último colocado foi o indiano Surya Ganguly (2657), com 3 pontos.

null

Jeffrey Xiong contra Alexander Onischuk. Foto: Austin Fuller

No grupo B, tivemos a participação de Alex Fier mais uma vez, pulando de um continente ao outro, se você prestou atenção lá no começo do post! Fier era o primeiro pré-ranqueado no torneio, que tinha uma média de 2515 e vinha animado da vitória no torneio da Holanda, mas não teve um desempenho bom, terminando com 3,5 em 9 partidas. O campeão foi o experiente GM israelense Victor Mikhalevsky, com 7 pontos, 1 ponto à frente do vice-campeão e uma performance respeitável de 2730.

null

Victor Mikhalevsky x Alexandr Fier. Foto: Austin Fuller

------

De volta ao Brasil, um torneio importante aconteceu em João Pessoa, na Paraíba - o tradicional Memorial Bobby Fischer, que chega em sua 9ª edição. O evento é realizado em homenagem ao 14º campeão mundial de xadrez. 12 jogadores titulados tomaram parte da competição, incluindo 3 GMs - o paraguaio Neuris Delgado, e os brasileiros Luis Paulo Supi Darcy Lima.

Após 6 rodadas, o campeão foi o jovem catanduvense Supi, com convincentes 5.5 em 6 partidas. Para chegar a essa pontuação, ele empatou na 5ª rodada contra GM Lima e venceu a última contra o potiguar Vitor Firmo Rocha, que foi finalista do campeonato brasileiro em fevereiro, e curiosamente jogou contra o próprio Supi nas oitavas de final naquela ocasião.

A partida deles em João Pessoa foi uma boa vitória estratégica das pretas:

null

GM Luis Paulo Supi com Luis Flávio Paiva. Foto: http://reinodecaissa.blogspot.com.br/

------

Finalmente chegava aquele tão esperado 10 de março e o início do Torneio de Candidatos 2018, que definiria o desafiante do título mundial contra o norueguês Magnus Carlsen, em Londres, no início de novembro. Os oito candidatos vinham com tudo para buscar essa tão sonhada vaga:

  1. Shakhriyar Mamedyarov (2809, AZE)
  2. Vladimir Kramnik (2800, RUS)
  3. Wesley So (2799, EUA)
  4. Levon Aronian (2794, ARM)
  5. Fabiano Caruana (2784, EUA)
  6. Ding Liren (2769, CHN)
  7. Alexander Grischuk (2767, RUS)
  8. Sergey Karjakin (2763, RUS)

Apenas Wesley SoDing Liren participavam pela primeira vez de um torneio de candidatos.

null

Wesley So. Foto: Maria Emelianova/chess.com

Seriam jogadas três rodadas com um dia livre em seguida. A primeira rodada foi eletrizante com três resultados decisivos! Kramnik, Mamedyarov e Caruana sairam na frente. E logo antes do primeiro dia livre, o ex-campeão mundial e lenda Vladimir Kramnik fez uma obra-prima de pretas contra um dos grandes favoritos, o armênio Levon Aronian. Com essa vitória, Kramnik terminou essa primeira parte do torneio com a liderança isolada ao alcançar 2.5 pontos em 3 partidas!

null

Vladimir Kramnik. Foto: Maria Emelianova/chess.com

Mas as coisas não continuaram como planejado para ele e após uma dolorosa derrota de brancas para Fabiano Caruana na 4ª rodada, as coisas mudaram de rumo.

null

E às vezes as coisas dão errado. Foto: Maria Emelianova/chess.com

Alívio também para Aronian, que venceu de pretas a Karjakin, que somava dois empates e duas derrotas nas primeiras quatro partidas.

A 5ª rodada viu empates nas quatro partidas, e na 6ª rodada, duas vitórias, para Wesley So Shak Mamedyarov, contra respectivamente Aronian Kramnik, que começavam a ter oficialmente um torneio negativo. Mas nada como outro dia livre para acalmar os ânimos, ou pelo menos era o que achava Aronian, que ainda tinha esperanças de voltar ao topo. E ele foi com tudo para cima de Caruana, e acabou perdendo outra partida. Enquanto isso, nessa mesma sétima rodada, Karjakin conseguia sua primeira vitória contra So.

null

Sergey Karjakin. Foto: Maria Emelianova/chess.com

Mas o sonho de jogar pela segunda vez consecutiva contra Carlsen parecia apenas um sonho, afinal das contas ele estava 2 pontos atrás de Caruana.

O que poucos contavam era que Karjakin ganharia mais duas partidas (9ª e 11ª rodadas), ficando apenas 1 ponto atrás do líder. E a 12ª rodada era decisiva - Karjakin x Caruana, que terminou em... 1-0! Depois de uma recuperação heróica, o russo liderava o torneio junto com o mesmo rival do candidatos de 2016. Mamedyarov vinha seguindo Caruana há muitas rodadas, mas estando apenas 0.5 ponto atrás, ele sofreu sua primeira derrota contra o chinês Ding Liren, que tinha 11 empates (!) até essa fatídica 12ª partida.

null

Momento do abandono de Mamedyarov contra Ding Liren. Foto: Maria Emelianova/chess.com

A 13ª rodada não poderia ser mais dramática - tanto Caruana como Mamedyarov deram o troco com vitórias e voltaram à briga!

A última rodada tinha Caruana 0.5 ponto à frente de MamedyarovKarjakinDing Liren meio ponto atrás deles. Os embates eram:

  • Grischuk x Caruana
  • Aronian x So
  • Karjakin x Ding
  • Kramnik x Mamedyarov

Apenas a vitória garantia o título do torneio e foi isso que aconteceu, após 69 lances - detalhe que Mamedyarov e Karjakin já haviam empatados as suas partidas, ou seja, o empate já era suficiente para Caruana, mas ele continuou um final melhor com peão a mais até conseguir conquistar o ponto inteiro e ganhou o torneio mais cobiçado do mundo, com 9 pontos em 14 partidas!

null

O campeão do torneio de candidatos Fabiano Caruana - próximo desafiante ao título mundial contra Magnus Carlsen. Foto: Maria Emelianova/chess.com

Minhas Análises no canal do Youtube das partidas do torneio de candidatos:

E você, ficou com overdose de xadrez em março? O que vai fazer para segurar a ansiedade até o dia 9 de novembro para o início do match do campeonato do mundo?