x
Xadrez - Joga e Aprende

Chess.com

GRATUITO - no Google Play

GRÁTIS - na Loja do Windows Phone

VER
Batgirl — A Temida Cunningham

Batgirl — A Temida Cunningham

Wind
21/05/2017, 00:21 0


https://www.chess.com/blog/batgirl/the-dreadful-cunningham
Postagem Original


 

 

     Eis aqui uma longa e enredada postagem sobre a Cunningham, que eu havia escrito para outro fórum um tempo atrás e a qual estou repostando agora para aqueles que possam ter interesse:

 

     Quando eu recém havia começado a jogar o Gâmbito do Rei, oh tantos anos atrás, minha bête noire¹ era a Defesa Cunningham. Parecia que, mesmo tentando ao máximo manobrar a seu redor, eu acabava sempre na pior. Não sou do tipo que memoriza linhas ou estuda aberturas a fundo — eu jogo por diversão, não a trabalho — mas a Cunningham me forçou a dar uma boa olhada em jogos de mestres, em busca de um melhor entendimento (Eu realmente olho um montão de jogos).

     Primeiramente, alguma base para os interessados na tessitura, bem como no valor nutritivo:

     A Defesa Cunningham — 1.e4 e5 2.f4 exf4 3.Cf3 Be7 — tem nome baseado em Scotsman Alexander Cunningham, "o célebre editor e revisor de Horácio²", vivendo em Haia (província da Holanda do Sul) onde ele ensinava, no começo do século 18, tanto leis civis quanto canônicas. (não confundir com o historiador escocês de mesmo nome, autor do grande livro "História da Grã-Bretanha" e que foi parcialmente educado na Holanda).

     Originalmente chamado de "Gâmbito dos Três Peões" por seu inventor, Capitão Joseph Bertin (1690-1736) — que publicou o livro chamado "O Nobre Jogo de Xadrez", impresso pelo próprio autor e vendido apenas no Slaughter's Cafe (Café do Abatedouro), em São Martinho, Caribe, 1735 — este gâmbito foi mais jogado por Cunningham, que era por muitos considerado o melhor enxadrista da Europa no começo do século 18.

     Philidor, que apareceu na cena mais de 15 anos depois do falecimento de Cunningham (em dezembro de 1730, nascido em 1654), nomeou a sequência de movimentos em sua homenagem. (o Gâmbito dos Três Peões é agora uma variação da Cunningham/Defesa Bertin: 1.e4 e5 2.f4 exf4 3.Nf3 Be7 4.Bc4 Bh4+ 5.g3 fxg3 6.O-O gxh2+ 7.Kh1)

 

 


Um pouco mais de história —
recortado de "Xadrez" por Richard Twiss, 1787:

     Dr. Steuart amiúde³ jogava com ele [Cunningham], no Lord May's (algo como "Senhor de Maio"), o jogo de Xadrez, o qual ele, em sua época, compreendia melhor que qualquer outro homem da Inglaterra.
     O Sr. Cunningham foi criado junto de Lorde Sunderland e Duque de Argyle, e não era menos aceitável como um jogador eminente no Xadrez do que como um crítico, tal quanto por ser um homem de cultura e bem informado.
     Quando Lorde Sunderland encontrava-se em Haia, ele desenvolveu uma certa intimidade com o Sr. Cunningham, já que eram ambos notáveis enxadristas.

     Sempre que seu Senhorio tinha tempo livre, ele dirigiria até os alojamentos de Cunningham, que ficavam um tanto à distância, ou mandaria sua carruagem buscá-lo.

     Depois de jogarem por certo tempo, Lorde Sunderland cismou que qualquer dos dois sacudido pela viagem na carruagem estaria fadado a perder cada jogo: motivo pelo qual ele desistira de ir até os aposentos de Cunningham, começando, então, a solicitar por sua vinda, assim sempre o derrotando, sendo isto nenhuma surpresa, pois tinha consciência de que entendia o jogo tão bem quanto seu adversário.
     Por fim, quando já saciado da brincadeira, Lorde Sunderland contou-lhe o truque, e Cunningham insistiu para que eles voltassem a alternar o local das partidas, fato que confirmou as observações de seu Senhorio, restaurando Cunningham a seu nível de jogo anterior; já que, após isso, voltaram a ganhar e perder alternadamente.
    Este fato, o qual, a princípio, parece nada muito incrível, já que as ruas de Haia não eram, no último século, tão suaves quanto as de Londres o são hoje, prova o quão balanceadas, um para com o outro, eram as capacidades de Sunderland e Cunningham.
     Enquanto o Sr. Cunningham vivia em Haia, um príncipe alemão, ouvido das grandes habilidades enxadrísticas do autor, foi até a cidade, no desejo de desafiá-lo naquele nobre jogo. O príncipe, qual o nome não fora mencionado, informou o Sr. Cunningham, através de uma nota, do propósito de sua vinda até Haia. O Sr. Ogilvie, Lorde de Cluny (situada na agora Borgonha), um nobre escocêsa serviço da Holanda, o qual poucos pensavam ser algo mais que um engenhoso maluco, estava com Cunningham quando este recebeu a nota, a quem Cunningham solicitou "Que não poderia arriscar sua reputação, por conhecimento no jogo de Xadrez, com uma pessoa a qual ele não conhecia"; e pediu, em vez disso, "que Ogilvie fosse em seu lugar e jogasse um jogo ou dois contra o príncipe, como sendo um dos discípulos diretos de Cunningham."
     Este concordou em ir; e é dito que Cunningham respondeu a nota ao príncipe a respeito desta proposição: Que "Embora ele tivesse a honra em aceitar o convite de Sua Alteza para com ele jogar uma partida de Xadrez, não poderia aceitar de tal honra, pois questões de caráter particular o impediam, àquele tempo;" mas "para que Sua Alteza não ficasse desapontado, ele haveria enviado um de seus estudantes para entretê-lo àquela noite," e que, "fosse seu aluno derrotado, faria ele mesmo a honra de aguardá-lo dia seguinte, para com ele jogar tantas partidas quanto agradável lhe fosse." Ogilvie então foi, derrotando o príncipe a cada jogo. Dia seguinte, cedo da manhã, o príncipe deixou Haia, sensato de que, tendo sido vergonhosamente derrotado pelo aluno, teria ele ainda menos chances contra o mestre. De certa importância, é fato que Cunningham e Ogilvie não jogaram, como sendo adversários, mais do que um único jogo em todas suas vidas; mas também que o Sr. Cunningham era estimado como tendo habilidades significantemente superiores às do segundo.

     Uma carta de um altamente reputado clérigo da Igreja da Escócia tem por citado:
     "Cunningham, o crítico e editor do Horace, era o melhor jogador de Xadrez da Europa. Seu sobrinho-neto, George Logan, tinha tanto orgulho deste talento de seu tio-avô que fingiu ter herdado — o que, ouso dizer, ser só imitação — uma imensa aptidão para todos os jogos onde pensar é preciso, tal qual Xadrez, Uíste4, etc, crendo ser isto devido à posse de um gênio superior. Acreditou, até o momento em que começou a ser derrotado por mulheres e bobos."
     Este Sr. Cunningham morreu na Escócia, em 1732, com mais de oitenta anos. [dado impreciso: ele morreu em Dezembro, 1730]

 

¹    Bête noire: Pesadelo, em francês.

²    Horácio: Entre outras coisas, Alexander Cunningham era um estudioso de Grécia e Roma antiga. Especializou-se no poeta romano Horácio. "Horatii Flacci Poemata" significa "Os Poemas de Quinto Horácio Flaco", um livro no qual Cunningham e outros dois estudiosos, Richard Bentley e Noël-Étienne Sanadon, traduziram as obras de Horácio e sobre elas fizeram notações.

³    Amiúde: Frequentemente.

4    Uíste: (Ou Whist, em inglês) é um jogo de cartas de duas duplas, com parceiros jogando frente a frente. É considerado o ancestral do Bridge.


 

     Anseio, neste tópico, discutir a Defesa Cunningham e as opções das Brancas.


 

1.e4 e5 2.f4 exf4 3.Cf3 Be7 — Esta resposta introduz a Defesa Cunningham. Pretas se desenvolvem ameaçando 4...Bh4+ e após 5.Cxh4 Dxh4 nenhuma das duas possibilidades das Brancas, 6.g3 or 6.Re2, parece promissora. Então, o que fazem as Brancas?

Bem, talvez devêssemos superar um preconceito:  Permitir o xeque em h4 não é necessariamente ruim.

Com isso em mente e, caso queiram, Brancas podem jogar 4.Bc4 com confiança, deixando-nos com esta posição:

Assim, Pretas têm algumas opções. Elas podem jogar 4...Bh4+ (Defesa Clássica), 4...Cf6 (Defesa Moderna/Euwe), a mais comum, mas 4...d6 foi jogada algumas vezes, normalmente com maus resultados. 4...Cc6 tem uma reputação simplesmente horrível.

Vamos, primeiro, dar uma olhada em 4...Bh4+ (Defesa Clássica):

Graças à liberação da casa f1 pelas Brancas no movimento anterior, elas agora têm duas opções, 5.Rf1 ou 5.g3.

Esta é minha parte favorita dessa abertura. Enquanto 5.Rf1 desiste de rocar, é não obstante um bom movimento e vamos vê-lo mais tarde. Neste momento, examinaremos a jogada que mais gosto: 5.g3, o Gâmbito Bertin, levando ao Gâmbito dos Três Peões, no qual as Brancas rocam facilmente:

Aqui, o aparentemente forte ataque das Pretas sofre um basta, e as Brancas são quem ameaça um contra golpe em f7.



O seguinte jogo, de Fedor Dus-Chotimirsky contra um amador, demonstra as turvas águas nas quais as Pretas podem cair.

 
 

Mais alguns jogos estrelando a variação "Cunningham Selvagem", ou o Gâmbito dos Três Peões:

O primeiro jogo, de 1832, foi entre Lionel Kieseritsky (Pretas) e Dr. Hugo-Leonhard Von Guttceit (que ainda não era doutor, já que nascera em 1811 e morrera em 1882). O jogo ocorreu antes de Kieseritsky ter se mudado de Dorpat (Estônia) para Paris (França), onde governou o Café de la Regence por muitos anos.

 


Heyderbrand von der Lasa foi um dos jogadores mais fortes do século 19. Devido à sua posição de Embaixador, ele raramente jogava competitivamente, mas sim casualmente. Todavia, contribuiu deveras para o estudo científico do jogo.

Abaixo, um de seus raros jogos no competitivo — um Gâmbito dos Três Peões.

 


Em 1859, Paul Morphy jogou esta variante contra HE (Henry Edward) Bird.

Este, um dos cinco mestres presentes a jogar contra ele em seu único simultâneo "às vistas" (todos os outros simuls de Morphy foram blindfold).

 


Isodor Gunsberg teve seu estrelato no xadrez como o diretor do pseudo-autômato Mephisto. Ele assumiu este papel em tempo integral de 1879 a 1889.

No seguinte jogo, Mephisto joga a Cunningham Selvagem contra um amador desavisado.

 


Um jogo mais recente se passou entre Bill Wall e um oponente num torneio em Dayton, Ohio, em 1981.

 


Para o último e um tanto recente exemplo desta variante, temos um dos jogos de uma simul jogada por David Bronstein, em 1990.

 

 

 

Vejamos então a segunda opção das Brancas depois de 1.e4 e5 2.f4 exf4 3.Cf3 Be7 4.Bc4 Bh4+, que seria mover o rei com 5. Rf1:

Aqui, Pretas parecem agredir as Brancas com a perda do Roque, fazendo também com que gastem um movimento de forma defensiva. No entanto, a vantagem das Pretas é, em parte, ilusória.

Ao invés de doar peões, como ocorre na Cunningham Selvagem, as Brancas simplesmente movem seu rei. Este movimento é como uma faca de dois gumes.

O que quero destacar aqui é: não ter medo de perder o Roque, já que as Brancas possuem a iniciativa e podem, de maneira natural, rocar manualmente e, enquanto seu rei encontra-se numa posição um tanto embaraçosa, o bispo das Pretas — por sinal sua única peça aberta — também não está lá grandes coisas.

Abaixo, Steinitz vence HE Bird em Viena, 1873, jogando 5.Rf1.

 


Alguns anos depois, Semion Alapin eliminou Alexander Fritz com a mesma abertura.

 


Essa velha abertura chegou até ao século 20. Em 1969, David Bronstein empregou uma variante um tanto diferente, adiando Rf1 até o nono movimento, contra a mestre de 50 anos, Chantal Chaude de Silans, neste jogo casual.

 


Mais recentemente, em 1997 nos Jogos Vikings, Alexei Fedorov soltou essa contra um despreparado Peter Heine Nielsen, durante o torneio.

 
 



Como observado, Pretas têm várias opções se as Brancas jogarem 4.Bc4 na Cunningham.

Já vimos 4...Bh4+ e como as Brancas podem responder, porém as Pretas podem simplesmente jogar visando o desenvolvimento, com 4...Cf6. Esta é chamada Defesa Moderna/Euwe.

Vamos ver o que as Pretas estão tramando. A jogada do cavalo certamente desenvolve uma peça, desejo de toda abertura, ajuda a preparar o Roque e ataca o peão e4. Por outro lado, Ela tranca temporariamente o bispo escuro, permitindo 5.Cg5 (embora eu nunca tenha visto alguém jogar isso) e também permite que o cavalo seja chutado pelo simples 5.e5.




Eis aqui um par de partidas via correspondência, nos quais o húngaro Istvan Revesz joga contra a Defesa Moderna/Euwe. Seu rating na época era 1940 e o seu pico foi 2120, atingido em 1993, por sinal seu último ano de atividade no Xadrez.

Seu primeiro oponente, Sr. Saliekovics, é desconhecido no cenário e portanto não encontrei seu rating. Contudo o segundo, cuja pontuação à época do jogo também não pude encontrar, atingiu a marca de 2578 com seu rating de correspondência, datando do ano 2007.

 

 

Os próximos dois perdedores com a Defesa Moderna/Euwe não necessitam introdução.


 


Agora, algumas variantes inusuais da Defesa Cunningham.

IM Lawrence Day, que com seu estilo criativo jogou alguns de meus jogos favoritos, venceu esse Gâmbito do Rei no Campeonato do Clube de Xadrez de Toronto, em 1972, lidando de forma bastante incomum com a Cunningham.

 


25 anos depois, Nigel Short usou do mesmo tratamento contra Jeroen Piket.

 


No seguinte jogo, Pretas jogam 4...d6, o que parece passivo demais para esta abertura.



Devo listar a ideia (recebida do membro dahal32) 4.h4 das Brancas como sendo inusitada. Encontrei apenas 34 jogos onde foi feito este movimento, sendo o maior número de baixo rating. Em sumo, Pretas vencem a grande maioria: 17 vitórias, 8 empates e apenas 9 derrotas. A única linha aparentemente melhor para as Brancas, onde venceram 2 de 3 jogos, deu-se da réplica das Pretas, 4...Nc6. Entretanto, a mais popular (e também melhor) resposta das Pretas é 4...Nf6.
Eis um jogo onde as Brancas triunfam nesta linha.

 


Anotações: PORTUGUÊS
Bispo: B
Cavalo: C
Torre: T
Dama: D
Rei: R

Online Agora