x
Xadrez - Joga e Aprende

Chess.com

GRATUITO - no Google Play

GRÁTIS - na Loja do Windows Phone

VER
Isle Of Man (3) - All-in na última rodada
chess.com / Maria Emelianova

Isle Of Man (3) - All-in na última rodada

Trade09
16/10/2017, 20:42 6

Essa é a última vez que vamos falar disso. Pelo menos por enquanto. O torneio de Isle of Man, como vocês bem sabem, não foi tão legal comigo. Sem dúvida uma grande experiência, e alguns bons momentos ao longo das nove rodadas, mas o resultado final foi ruim, isso é fato e já falamos disso.

Após o empate da oitava rodada (em uma partida morna), contra a MI E. Karavade, o máximo que eu podia fazer na última rodada era recuperar um pouco do prejuízo de rating e tentar buscar uma colocação melhor na tabela. E isso é sim muito importante, afinal das contas vamos lembrar: o que está ruim sempre pode piorar! happy.png

Eu acredito que a qualidade mais importante que um jogador competitivo deve ter (no xadrez, e imagino que em outros esportes também) é a consistência. Sempre falo para os meus alunos que é melhor ter um desempenho um pouco acima do mediano do que ganhar uma partida do Carlsen e perder todas as outras (MENTIRA!! mas vocês entenderam o espírito). Buscar a reação em situações adversas é uma dessas qualidades dentro da busca pela consistência, e a reação mais difícil de todas é aquela quando não dá mais tempo de ir 'bem' em um torneio, mesmo que você ganhe todas as restantes (ou no caso, a última). Ainda assim, essa reação tem muito valor. Já percebi que o ser humano tem um hábito de 'chutar o pau da barraca' quando uma empreitada não saiu como planejado desde o começo. Nesse instante, eu tinha 3,5 em 8 (1 vitória, 2 derrotas e 5 empates) - tentar terminar um torneio aberto com 50% não era pedir muito, era? já imaginei que meu adversário não tava muito afim de deixar isso acontecer.

Na última rodada eu tinha brancas contra o MF alemão Paul Zwahr (foto) e eu realmente queria ganhar, sabe? ir pra casa com a sensação de 'sai de lá com uma vitória'? parece bobeira, mas isso me ajuda bastante a motivação para os próximos - o ser humano também tem uma tendência a ter memória curta. Daí eu lembrei que ganhar não era tão fácil assim! Ele jogava um 1...e5 bem posicional contra 1.e4, e eu não tava em um dia para enfrentar uma partida de 50 lances, eu queria jogar uma partida interessante, preparei uma ideia um pouco diferente contra a Índia do Rei, a única defesa que ele tinha como opção contra peão dama e esquemas com Cf3. Ah, e eu tinha um problema de novo, como vocês podem ver na foto - Anand ia jogar ali do meu lado (não bem do meu lado, ele tava na mesa 2 e eu na 50, detalhes, mas dava pra ver a partida dele de perto). Enfim, sentei no tabuleiro e joguei: 1.Cf3!

 

 

Online Agora