Peão isolado - bom ou ruim?

Peão isolado - bom ou ruim?

GMKrikor
GM GMKrikor
22/08/2017, 05:24 |
5

Uma característica típica do estudo de xadrez clássico é o estabelecimento de temas estratégicos e o estudo deles. Por exemplo – Par de bispos, peões fracos, peões isolados, segurança dos reis, bispo bom x bispo mau e por aí vai. Essa foi a maneira que eu desenvolvi o meu jogo e é uma linha de raciocínio que utilizo com os meus alunos. Saber avaliar bem uma posição é uma das características mais importantes para um bom jogador de xadrez. E porque utilizamos esses mecanismos? Porque conseguimos assim mensurar uma posição com temas mais ‘palpáveis’.

Hoje em dia, muita coisa mudou e o estudo direto com o computador tem sido cada vez mais comum. Eu uso muito os ‘engines’ ou computadores de xadrez para auxiliar no meu estudo, mas acredito que quem estiver começando a construir conhecimento deve tomar cuidado ao fazer isso, porque os computadores não te apresentam explicações lógicas nem conceitos do porquê avaliar uma posição dessa ou daquela maneira. Diferente do parágrafo acima, os computadores analisam as partidas muitas vezes se baseando em sequências concretas de lances, sem estabelecer ‘padrões’ que construam algum tipo de aprendizado.

Escolhi ilustrar esse impasse utilizando um dos temas mais clássicos dos livros de estratégia – o famoso ‘peão isolado’ (quando não existem peões da mesma cor em colunas adjacentes). Quando ele é bom e quando ele é ruim?

SPOILER: Você não vai conseguir uma resposta para essa pergunta aqui.

Existem infinitas situações em que um peão pode ficar isolado., e normalmente associamos essa ideia a um peão ‘fraco’, que poderá ser facilmente atacado. E isso faz sentido, pois os peões normalmente precisam de outros peões para constituir uma estrutura forte. Vejamos um peão isolado que deu errado (o peão isolado foi estabelecido no lance 7 após as brancas jogarem 7.cxd5):

O peão branco de d4 está prestes a cair e depois de ...Txc1 Bxc1 ...Cf5, as pretas ganharam o peão e mais adiante, a partida. Parece fácil não é? Atacar o peão com todas as peças até que não existe mais defesa. Não é bem assim!

A parte ‘boa’ de ter um peão isolado, muitas vezes é dar liberdade para as próprias peças. Ainda usando o exemplo do peão isolado ‘típico’ em d4 para as brancas, vejamos uma partida em que as brancas venceram:

E por fim, uma partida minha que mostra os dois lados do peão isolado na mesma partida e a típica consequência de não conduzir bem esse tipo de posição. Consegui um potencial de ataque grande na ala do rei, mas aos poucos perdi a iniciativa e meu adversário logo conseguiu pequena vantagem por causa da melhor estrutura. Acabei ganhando a partida em um final bem difícil.

 
Tirem suas próprias conclusões happy.png