Retrospectiva Dezembro
Photo: Maria Emelianova/Chess.com

Retrospectiva Dezembro

GMKrikor
GM GMKrikor
04/01/2018, 12:58 |
11

O Blog adquire um novo formato a partir de dezembro - farei uma retrospectiva de tudo que aconteceu de importante em cada mês. Vamos ao que interessa:

Dezembro começou com o disputadíssimo London Chess Classiccom 7 jogadores do Top 10 mundial, incluindo Magnus Carlsen, que dividu o 3º lugar e sagrou-se campeão do Grand Chess Tour 2017 (circuito de torneios de elite em Paris, Leuven, Saint Louis e London). Entretanto, o campeão mundial passou sufoco  em algumas partidas e não ficou satisfeito com o que apresentou. O título desse cobiçado evento foi para o americano Fabiano Caruana, que venceu o russo Ian Nepomniachtchi na segunda partida do play-off decisivo de blitz. Essas partidas de desempate foram cheias de emoção, com destaque para a primeira onde Caruana logo ganhou uma peça na abertura, (veja aqui o momento) mas não conseguiu passar pela defesa tenaz de 'Nepo' um dos jogadores de blitz mais temidos do circuito.

Destaque para sua vitória 'feroz' contra Vishy Anand, na 5ª rodada:

null

MI Malcolm Pein (organizador do evento) e o grande campeão Fabiano Caruana

------

Ainda no começo do mês, aconteceu em Moscou, a Superfinal do Campeonato Russocom 12 jogadores, muitos deles acima da faixa dos 2700, mas é verdade que a falta dos 'top 3 - Kramnik, Karjakin e Grischuk' foi sentida. O torneio começou com o domínio do jovem Vladimir Fedoseevde apenas 22 anos, que chegou nas quartas-de-final da Copa do Mundo e foi 3º lugar no Europeu individual de 2017.  Ele começou com tudo ganhando as quatro primeiras rodadas, mas com duas derrotas seguidas,  a disputa ficou em aberto. Na penúltima rodada, ele arriscou muito em um final igualado contra o heptacampeão Peter Svidler e acabou perdendo a partida. Ambos lideravam antes da última rodada, além de Vitiugov e Malakhov. Svidler ganhou a última e depois conquistou o play-off de disputa pelo título contra Vitiugov, garantindo assim seu 8º título russo, e um carro (!), além da premiação em dinheiro.

Sua vitória na última rodada contra Malakhov foi decisiva para buscar o troféu de campeão:

O Campeonato Russo feminino aconteceu nas mesmas datas e a campeã foi a jovem WGM Aleksandra Goryachkina, que enfrentou uma oposição dura - muitas das melhores do país estavam participando, com exceção da número 1 e 2 de rating, Alexandra Kosteniuk e Kateryna Lagno. 
Goryachkina tem apenas 19 anos, mas já foi campeã mundial sub-20 duas vezes, e campeã russa também em 2015! Na rota do título de 2017, uma das vitórias importantes aconteceu na 2ª rodada, contra o 3ª pré-ranqueada, a WGM Olga Girya:

null Alexandra Goryachkina à esquerda e Peter Svidler

-----

O mês estava só começando e ninguém esperava a bomba que estava por vir - um computador novo que bateria o multicampeão Stockfish por 64 a 36 em um match de 100 partidas?! Sim! a essa altura você deve saber disso e o nome dele é AlphaZero - um computador de inteligência artificial criado pela DeepMind (pertence ao Google), que aprendeu as regras do jogo e após 4 horas de treino, conseguiu derrotar um 'engine' criado em 2008 e aperfeiçoado desde então. Muitas perguntas ficaram em aberto, pricipalmente a respeito das condições desse match - o tempo de reflexão, a potência das máquinas utilizadas, e por aí vai. Apenas 10 partidas do match foram publicadas.

Desde o dia 6, quando essa notícia bombástica foi publicada, pouco se falou sobre os próximos desafios do AlphaZero.

Minha opinião é que tudo isso é mesmo muito impressionante, mas não vejo o xadrez humano sofrendo uma revolução tão grande como se especula - por mais que uma nova tecnologia melhore a habilidade dos computadores, não é claro como nós nos beneficiaremos disso.

  • Matéria do chess.com sobre o match AlphaZero x Stockfish

Uma das vitórias incríveis do AlphaZero, começando com o lance 'À la Reti' 26.Dh1!!

-----

O campeonato Sul-Americano de xadrez de categorias também aconteceu no começo do mês, na cidade de Luque, no Paraguai, e o Brasil trouxe três medalhas de ouro!

  • Matheus Henrique Salvadego, Paraná (Sub-10 absoluto)
  • Gabriel de Borba, Santa Catarina (Sub-12 absoluto)
  • Mariana Kikuchi Cadilhac, São Paulo (Sub-12 feminino)

É bom ver a bandeira brasileira no lugar mais alto do pódio em competições internacionais. Vamos torcer para que 2018 seja ainda melhor nas competições sul-americanas e pan-americanas para nossos jovens enxadristas.

-----

No Brasil, a grande novidade em dezembro foi a conquista do título de GM do jovem Luis Paulo Supi, que obteve a sua última norma no ITT Magistral Acre, em Rio Branco - organizado pela Federação Acreana de xadrez, com o suporte do MI Roberto Molina, que mora lá há alguns meses, e vêm movimentando o xadrez da região.

Supi era o jogador mais cotado para atingir o patar máximo do xadrez em nosso país - seu rating atual já está em 2553 (bem acima dos 2500 exigidos para o título de GM), mas o que mais impressiona não é isso, e sim a consistência de seus resultados nos últimos dois anos. Além de fazer a norma e ganhar o Torneio fechado , ele também foi campeão do Aberto, realizado no mesmo Festival de eventos.  Fiz uma entrevista rápida com ele no meu canal do YouTube, e conversamos um pouco sobre seus métodos de treino.

Antes de virarmos a página, é importante mencionar também o desempenho impressionante do GM Everaldo Matsuura nesses dois eventos, somando 23 pontos de rating e partidas cheias de emoção, como por exemplo esse ataque desenfreado contra o atual número 1 do Brasil, Rafael Leitão:

Não posso deixar de mencionar também uma partida do nosso novo jovem GM:

null

O pódio do torneio aberto - MI Kevin Cori, GM Luis Paulo Supi e MI Roberto Molina

-----

Na mesma data do Aberto acima, aconteceu a Semifinal 1 do Campeonato Brasileiro de Xadrez, no tradicional Clube de Xadrez São Paulo, classificando quatro jogadores para a final, que acontecerá em fevereiro, no Rio de Janeiro. O autor que vos fala foi o campeão, com 6 pontos em 7 rodadas. Analisei uma de minhas vitórias para o canal do Youtube. A partida da 4ª rodada contra o MI Christian Toth também foi muito importante para o meu resultado final:

O ano não podia terminar melhor para os espectadores - O Campeonato Mundial Rápido e Blitz (absoluto e feminino) foi disputado em Riad, na Arábia Saudita, entre 26 e 30 de dezembro. Muita polêmica acerca da escolha do local para essa disputa (por exemplo, jogadores de Israel não conseguiram vistos para participar do evento).

No absoluto, os atuais campeões: o veterano Vasily Ivanchuk (rápido) e Sergey Karjakin (blitz), e no feminino, Anna Muzychuk foi campeã de ambos os eventos em 2016 (ela fez uma carta aberta declarando que não participaria esse ano pelo fato do evento ser realizado na Arábia Saudita).

Em 2017, tivemos quatro novos campeões!

No Mundial rápido feminino, brilhou a GM chinesa Ju Wenjun, que é a atual campeã do circuito Grand Prix da FIDE, e irá disputar em 2018 o título mundial feminino com a também chinesa Tan Zhongyi, campeã da Copa do Mundo de 2017.

Wenjun terminou invicta com 11.5 em 15 rodadas, levando o prêmio de 64.000 dólares (já subtraindo 20% de taxa para a FIDE) - aproximadamente R$212.000!

null

No blitz, o primeiro dia terminou com a liderança da grata surpresa do torneio - a GM veterana Pia Cramling, de 54 anos (Suécia), mas que não conseguiu se manter no dia final, e viu a GM georgiana Nana Dzagnidze fazer 16.5 em 21 rodadas e levantar o troféu de campeã - também garantindo 64.000 dólares.

null

No Mundial rápido absoluto, o título ficou com o multi-campeão mundial e lendário GM Vishy Anand, do alto de seus 48 anos, fazendo um torneio muito consistente (10,5 em 15) incluindo vitórias sobre o atual campeão mundial clássico Magnus Carlsen e o tricampeão mundial de blitz Alexander Grischuk (que estragou a festa de Carlsen, pois ganhou dele na última rodada, quando o norueguês precisava da vitória para se sagrar campeão). Anand ainda teve que jogar um play-off decidindo o título contra o jovem russo Vladimir Fedoseev. Pela sua conquista, garantiu 120.000 dólares (líquidos - aproximadamente R$388.000!)

null

No blitz, o primeiro dia terminou com a liderança do atual campeão e último desafiante ao título mundial clássico Sergey Karjakin, mas quem brilhou no segundo dia foi Magnus Carlsen, com um sprint final de 8 vitórias e dois empates, ele terminou o evento com 16 pontos em 21 possíveis e garantiu o seu segundo título mundial de blitz e US$200.000 líquidos (R$662.000!!)

null

Janeiro vem aí com o tradicional Tata Steel Masters em Wijk Aan Zee, na Holanda (13 a 28) e um dos Torneios abertos mais fortes do mundo, o Tradewise Gibraltar Masters (de 23 a 1ª de fevereiro)

No Brasil, teremos o Aberto do Brasil TERRAVIVA em Brasília, de 11 a 14 e o maior torneio aberto do Brasil - o IV Floripa Chess Open, de 19 a 25, que trará como convidado, o GM espanhol Francisco Paco Vallejo, promovendo uma simultânea com ele antes do torneio principal começar, além de dois torneios fechados, possibilitando normas de MI e GM aos participantes.