x
Xadrez - Joga e Aprende

Chess.com

GRATUITO - no Google Play

GRÁTIS - na Loja do Windows Phone

VER
Xadrez artístico - a beleza escondida
Cicero Tavares

Xadrez artístico - a beleza escondida

Trade09
01/11/2017, 07:33 5

Pode-se dizer que o xadrez tem um pouco de tudo - esporte, ciência e arte. Essa última característica é vista com muita ênfase nas composições artísticas, que não são situações elaboradas a partir do começo do jogo, mas sim por uma pessoa que cria uma posição específica e designa um objetivo, como por exemplo: as brancas jogam e devem encontrar uma sequência ganhadora, ou uma maneira de empatar uma situação inferior.

Ao longo da história, tivemos muitos enxadristas que tinham como principal atividade e ocupação o xadrez artístico, como por exemplo o armênio Ernest Pogosyants, que é o recordista em número de  composições (1790!) na maior base de dados desse tipo de exercícios já compilada - a Endgame Study Database de Harold van der Heijden. Outros três nomes, que são os meus preferidos:  o russo Alexey Troitsky (que analisou extensivamente muitos finais que hoje em dia são utilizados como exemplos), o georgiano David Gurgenidze e o maior de todos, o armênio Henrikh Kasparian, que publicou um livro espetacular no assunto - Domination in 2545 endgame studies, onde o tema é a dominação, seria algo como 'cercar' o adversário no futebol, sem necessariamente atacá-lo diretamente.

O primeiro exemplo desse livro (de autoria do grande Richard Reti, que além de compositor, era um dos melhores jogadores do mundo) é famoso e gosto muito de mostrá-lo aos meus alunos para entender o conceito da dominação:

Como é o primeiro exemplo, não faço questão que o leitor pense na resposta - apenas aprecie 1.Rh1!! e as pretas não tem como evitar a perda do bispo de h6. Nada mal? 

Nosso Grande Mestre Alexandr Fier leu esse livro na sua infância, o que com certeza colaborou muito com o seu estilo de jogo criativo que conhecemos hoje em dia. Já resolvi alguns exercícios desse livro também - praticamente todas as posições são muito desafiadoras, e a tentativa é de exercitar a mente para a criatividade, e não tentar acertar todos os exercícios (a não ser que você queira gastar 1h, 1h30 por posição, algo que eu não recomendo).

Mas enfim, estamos falando de arte então chega de conversa fiada, vamos investigar e apreciar outros exemplos:

Você pode ler esse artigo de duas maneiras: tentando resolver os exercícios ou apenas curtindo as respostas.
Alerta: os exercícios são MUITO, MUITO, M U I T O difíceis caso você pretenda encontrar a resposta completa. Vendo por outro lado, acredito que independente do seu nível, parar de 10 a 20 minutos para tentar elaborar alguma análise em todos os exercícios será bem produtivo. E depois comparar com a resposta, não apenas vendo os lances, mas principalmente os comentários, para tentar entender o que era necessário fazer em cada posição.
Para se ter uma ideia, acredito que o campeão mundial Magnus Carlsen teria uma dificuldade tremenda para resolver algumas das posições a seguir, por isso o que eu sugiro é que você gaste um tempo puramente para tentar entender o que está acontecendo, e não tratar como se fossem exercícios de tática comuns, pois não é o caso. Vamos lá:
A resposta de todos os exercícios está no fim do artigo.
(1) Jogam as brancas e ganham (Gurgenidze, D - 1974)

No próximo, o objetivo é diferente, as brancas devem buscar uma maneira de não perder a partida.

(2) Jogam as brancas e empatam (Zachodjakin,G - 1930)

E aí, já deu pra aquecer? conseguiu resolver esse segundo exercício? 

Vamos aos próximos!

(3) Jogam as brancas e empatam (Bernahrdt,G - 1923)

(4) Jogam as brancas e ganham (Evreinov, V - 1962)

(5) Brancas jogam e ganham (Nadareishvili, G - 1969)

(6) Brancas jogam e empatam (Nadareishvili, G - 1970)

(1) Resposta

 

(2) Resposta

(3) Resposta

(4) Resposta
(5) Resposta

(6) Resposta

Comentem o que vocês acharam! Na minha opinião, abrir a mente para esse tipo de exercício ajuda muito na criatividade e na imaginação durante as partidas - você começa a ter mais ideias e menos preconceitos para lances 'estranhos'.

Concluindo, uma sugestão para quem quer começar a treinar com esse tipo de exercícios - procure as posições de mate em 2 lances do FIDE Album (publicação da FIDE com as melhores composições do período, geralmente são publicados em um espaço de 3 ou 4 anos). Parece que mate em 2 deve ser sempre muito fácil, mas não é, pois são posições com muitas peças, ou totalmente fora do padrão. Eu resolvi centenas desses problemas lá pra 2004-2005 quando comecei a me destacar do juvenil para as competições adultas e acredito que isso me ajudou muito na época. 

Bons estudos! 

Online Agora