A Extremamente Importante Manipulação de Estruturas de Peões
A estrutura de peões é importante.

A Extremamente Importante Manipulação de Estruturas de Peões

Silman
IM Silman
10/02/2018, 00:00 |
44 | Outros

Olha para esta partida. Como tu podes ver, a estrutura de peões faz toda a dança funcionar. Para deixar isto claro, se tu não compreendes estrutura de peões, tu vais encontrar-te a fazer lances que não têm nada a ver com a posição.

Tu irás estar a jogar às escuras sem o saber.

Claramente, uma compreensão da estrutura de peões é algo que precisa de ser discutido repetidamente. Jogadores de rating mais baixo (de principiante a 1799) raramente compreendem a importância da estrutura de peões. E mesmo mestres (2200) ficam frequentemente equivocados. Toda a gente sabe que os "peões são a alma do xadrez," mas o que quer isso dizer na realidade?

Isso significa que os peões criam estrutura, e se tu não sabes como fazer uso dos muitos tipos de estruturas, tu não conseguirás progredir.

A nossa primeira vista de olhos para a estrutura de peões é uma partida que eu já usei num artigo do Chess.com. Porque é que eu a devo mostrar novamente? Bem, a maioria de vocês ainda não a viu. Outros podem tê-la visto mas nunca a entenderam verdadeiramente. E finalmente aqueles poucos que se recordam de a ter visto e de facto a compreenderam devem ficar contentes de a ver de novo. Afinal de contas, no xadrez, repetição é criticamente importante. Quando eu era jovem (eu sou agora muito velho, mas não, não haviam dinossauros à solta naqueles dias!) e via uma partida profunda (ou pelo menos que eu pensava que era), eu olharia para ela várias vezes, e depois olhava para ela de novo à medida que os anos passavam. De cada vez que eu olhava para a mesma partida, eu compreendia alguma nuança que não tinha visto antes.

chess pawns

Portanto, olhemos primeiro para esta partida, e então veremos se consegues resolver alguns exercícios que, embora tu possas não ter percebido, são completamente sobre a estrutura de peões.

Este tipo de posição tende a aterrorizar amadores, a eu compreendo totalmente porque é que eles pensam que as Pretas já estão em apuros. As Brancas estão à frente em desenvolvimento, as Brancas têm mais espaço central, e os peões das Brancas em e5 e f4 podem continuar a avançar e criar um ataque na ala de rei.

EXERCÍCIOS

Estes exercícios não te ajudarão a menos que tu leias a prosa escondida. Depois de olhares para os lances, carrega o "?" e toda a prosa, frequentemente cheia de maravilhas (eu espero), irá aparecer.

EXERCÍCIO UM

Antes de fazeres os lances do exercício, eu quero que examines a posição de ambos os lados (o que ambos os lados pretendem). Também, o que é que as estruturas de peões nos estão a dizer? E então tenta compreender quem está melhor ou pior—ou se está talvez completamente empatado. Então (uma vez que as Brancas têm muitas escolhas) joga 12.Bg5 e depois faz os outros lances das Brancas no exercício.

 

EXERCÍCIO DOIS

São as Pretas a jogar, eu tenho a certeza que existem vários lances razoáveis mas qual seria a tua escolha?

PRELÚDIO PARA O EXERCÍCIO TRÊS

As Pretas estão a atacar o peão-a. Qual é a melhor maneira de lidar com isso? Tu deves estar consciente de que a estrutura central de peões das Brancas "mata" o cavalo e o bispo das Pretas, que não têm nenhuma casa boa para onde ir. Tudo o que resta às Brancas é dizer, "obrigado estrutura de peões!"

O exercício será dado depois dos seguinte lances:

 

EXERCÍCIO TRÊS

EXERCÍCIO QUATRO

As Brancas acabaram de jogar g2-g4, obviamente transformando a sua sólida estrutura de peões numa estrutura de peões desenhada para limpar o rei das Pretas do tabuleiro. Como é que as Pretas podem lidar com isto?


Gostarias de receber mais conteúdo de xadrez em Português? Segue estes canais!

null  /chesscom.pt null  /chesscom_pt null  /chesscomPT null  /chesscom_xadrez
Mais de IM Silman
Frank Marshall, Parte 4: St. Petersburgo 1914 e Os Deuses Do Xadrez

Frank Marshall, Parte 4: St. Petersburgo 1914 e Os Deuses Do Xadrez

Frank Marshall, Parte 3: Capablanca Entra em Palco

Frank Marshall, Parte 3: Capablanca Entra em Palco