Eram Fracos os Jogadores do Século 19?
Paul Morphy a jogar xadrez em 1858.

Eram Fracos os Jogadores do Século 19?

IM Silman
23/11/2017, 00:00 |
228 | Outros

O membro do Chess.com LittlePawn988 escreveu:

Há uma coisa que realmente me incomoda. Eu frequentemente oiço jogadores, de todos os níveis, a falar da força dos mestres do passado e por vezes eu acho-os verdadeiramente arrogantes e desrespeitosos. Até jogadores de ratings baixos dizem que Steinitz e jogadores da sua era como Zuckertort, Blackburne, ou Chigorin eram basicamente palermas e mal jogam como jogadores com um rating de 2000. Escreve-se sobre como um IM pode derrotar facilmente Capablanca ou Alekhine e como Lasker foi campeão do mundo somente porque jogadores da sua época eram muito fracos. Morphy é o único jogador que não é demasiado criticado.

Estão estas pessoas corretas sobre a força dos mestres passados?

SILMAN:

Hoje em dia as pessoas no Twitter e noutros lugares que têm comentários de leitores pensam que elas sabem tudo. Pessoas que não tem entendimento da ciência insistem que os cientistas estão errados, e alguns utilizadores do Twitter (tu sabes, todas aquelas pessoas de espírito mesquinho que se escondem com os seus nomes falsos) atacaram recentemente um modelo Americano que fez uma sessão de fotos no Japão, dizendo que o facto dela ter um quimono vestido era um roubo da cultura Japonesa (aqueles críticos não sabiam que qualquer pessoa pode facilmente alugar ou comprar um quimono em qualquer cidade Japonesa).

null

O modelo Karlie Kloss na sessão de fotos da revista de Março de 2017 da Vogue. Foto por Mikael Jansson via Google Imagens / Vogue.

Agora falemos sobre xadrez, que também sofre da mesma mentalidade sabe-tudo. Menosprezar aqueles mestres de xadrez que vieram antes de nós é o cume do egoísmo ou estupidez. Sem Gioachino Greco (1600-1634) muitos padrões tácticos teriam levado centenas de anos para descobrir. Tu podes dizer, "Bem, valia ele alguma coisa como jogador de xadrez?" Eu estudei Greco em profundidade, e posso dizer que ele estava centenas de anos avançado a todos os outros. As suas capacidades táticas eram dum nível de 2400 e em geral (combinando jogo posicional e de finais) ele era, pelo menos, 2250 e teria provavelmente sido um IM ou GM se ele tivesse tido alguém que o pudesse desafiar.

De facto, ele foi o primeiro a compreender a importância da estrutura de peões, muito antes de François Andre Danican Philidor (1726-1795) que tinha, no máximo, uma força por volta de 1900 (isto é, para ser justo, uma opinião educada. Mas estou lentamente a convencer vários amigos titulados de que este é o caso.).

An old chess book.

Mas passemos para outros nomes bem conhecidos: Paul Morphy (1837-1884) tinha claramente força de grande mestre graças ao seu alto nível de compreensão posicional e escandalosas capacidades táticas. Joseph Henry Blackburne (1841-1924) foi incrivelmente talentoso (um IM alto ou baixo GM na era moderna). Wilhelm Steinitz (1836-1900) — O seu xadrez tinha um estilo antigo, mas onde é que nós estaríamos sem os seus ensinamentos? Além disso, se Steinitz era tão fraco, como é que ele dominou o xadrez dos meados da década de 1870 até 1894 quando Lasker o destronou?

Emanuel Lasker (1868-1941) — Tal chamou-o de o maior jogador que sempre viveu. Capablanca (1888-1942) era visto como uma máquina de xadrez imbatível. E Alexander Alekhine (1892-1946) — Kasparov ficou em reverência dos seus poderes tácticos e imaginação prodigiosa.

Sim, eu não mencionei outros nomes famosos, portanto deixa-me dar-te mais algumas lendas: Zuckertort, Chigorin, Pillsbury, Bogoljubov, Reti, Tarrasch, Nimzowitsch, Rudolf Spielmann (ele venceu duas, perdeu duas, e empatou várias partidas contra Capablanca), e muitos mais. Todos eles deram muito ao xadrez, e reduziriam os jogadores de 2400 modernos a polpa.

Mas aqui está a parte assustadora: Estes tipos tiveram de criar aberturas que nós agora tomamos como garantidas. Eles tinham capacidades táticas espantosas. E finais de partida...Capablanca, Akiba Rubinstein, e Emanuel Lasker seriam tão bons, ou melhor, do que aqueles altos-2700 e mesmo super-grande mestres em finais.

E uma última coisa assustadora: nenhum deles tinha os milhares de livros de xadrez que existem por todo o lado hoje em dia. Eles não tinham ChessBase. Imagina se tu lhes desses um ano ou dois para estudar as bases de dados e tudo o mais. Eles seriam monstros do xadrez.

Aqui está uma ilustração de Greco demonstrando a sua compreensão posicional.

Aqui está Blackburne (1841-1924) a jogar numa exibição de simultâneas. Ele estava de olhos vendados enquanto o seu oponente podia ver o tabuleiro e peças. Consegues jogar como Blackburne com os teus olhos bem abertos?

Blackburne adorava um jogo atacante, mas ele era capaz de mostrar as suas capacidades posicionais se a posição o exigia.

Pensa no seguinte. Estes tipos de 1860/1870 estavam com frequência completamente embriagados enquanto estavam a jogar, e ainda assim eles eram capazes de jogar a um nível muito alto. Blackburne não tinha nenhuma preparação moderna, e no entanto ele era temido no mundo inteiro. Achas realmente que um jogador moderno de 2000 ou mesmo 2300 conseguiria resistir às capacidades de Blackburne? De modo nenhum. E se Blackburne aparecesse magicamente em 2017 e passasse um ano a olhar para um zilhão de partidas no ChessBase, bom, até os grande mestres modernos teriam dificuldades se jogassem com ele.

an old chess set

LittlePawn988 disse que pessoas escrevem sobre "como um IM pode derrotar facilmente Capablanca ou Alekhine e como Lasker foi campeão do mundo somente porque os jogadores da sua época eram muito fracos."

Que anedota. Essas pessoas ou estavam a chatear-te simplesmente pelo prazer de serem travessos, ou eles são doidos sem juízo. Lasker foi um titã do xadrez, e quando ele chegou aos seus cinquentas e sessenta anos (idades em que a maioria dos jogadores profissionais vão pastar) ele defrontou-se com um bom número de jovens jogadores prometedores (com êxito), incluindo um recorde de 3-0 contra Euwe.

Quanto a Alekhine, se os malandros não forem capazes de ver o génio óbvio de Alekhine então deixa-os uivar à lua tanto quanto eles quiserem. As pessoas assim não têm remédio.

Aqui está o que Kasparov disse no seu livro excelente, My Great Predecessors, Part 1: “Alexander Alexandrovich Alekhine tem sido chamado um 'génio das combinações de xadrez.' No entanto, a sua fantástica visão combinativa foi baseada numa sólida fundação posicional, e foi o fruto duma estratégia forte, e energética. Consequentemente Alekhine pode ser seguramente chamado o pioneiro do estilo universal de jogo, baseado num entrelaçar estreito dos temas estratégicos e tácticos." 

Aqui está uma partida muito famosa que fará qualquer jogador curvar-se perante os poderes doutro mundo de Alekhine:

O ponto é que talento pode aparecer (e sempre o faz) através da história. Mas na medida em que a velha guarda teve de descobrir coisas que não eram conhecidas, os jogadores modernos são presenteados com o trabalho árduo dos velhotes. Dá a esses génios talentosos o que nós sabemos hoje e também eles seriam fortes grande mestres. De facto, eu não tenho dúvida de que super-talentos como Lasker, Capablanca, e Alekhine, depois de trabalhar com ChessBase, dariam a Magnus tudo aquilo com que ele pudesse lidar.


Gostarias de receber mais conteúdo de xadrez em Português? Segue estes canais!

null  /chesscom.pt null  /chesscom_pt null  /chesscomPT null  /chesscom_xadrez
Mais de IM Silman
Como Aprender Padrões de Xadrez

Como Aprender Padrões de Xadrez

A Extremamente Importante Manipulação de Estruturas de Peões

A Extremamente Importante Manipulação de Estruturas de Peões