Frank Marshall: O Desenvolvimento Dum Campeão de Xadrez

Frank Marshall: O Desenvolvimento Dum Campeão de Xadrez

Silman
IM Silman
15/03/2018, 00:00 |
44 | Outros

Falemos sobre Frank Marshall. Este homem foi Campeão de Xadrez dos EUA de 1909 a 1936. Ele foi um homem que bateu Emanuel Lasker uma vez e Capablanca duas vezes, um jogador que não temia ninguém. Ele venceu muitos torneios contra competição de classe mundial. Ele foi um herói Americano que ousou sonhar em ser campeão do mundo de xadrez.

Hmmm… Eu enganei-me no período de tempo. Então, abrandemos um pouco, lancemos à mistura algum material básico de Marshall, e comecemos do princípio.

Nascido em 1877 em Nova Iorque (EUA), a sua família mudou-se para Montreal, Canadá, quando Frank tinha oito anos e ali viveu por 11 anos.  Ao contrário dos extremamente jovens grande mestres de hoje, Marshall levou bastante tempo a "cozinhar." Ele só foi reconhecido como um mestre comprovado no início dos seus vinte anos quando ele venceu um torneio (1899) em Londres. Isto deu-lhe imediatamente, como disse Marshall, uma "reputação internacional."

1893

Marshall de 15 anos Desafia Steinitz & Pillsbury

Okay, estas partidas foram em exibições de simultâneas. E sim, Pillsbury também estava de olhos vendados. De facto, a ambas foi dada uma coloração entorpecida (uma Mickey Finn) que fez os dois grandes de xadrez ficar inconscientes de tempos em tempos.

O quê? A minha mulher diz-me que não houve nenhuma coloração! Certo, eu suponho que jogar com  muitos adversários ao mesmo tempo, ainda por cima estando Pillsbury de olhos vendados, essas tenham sido mais do que suficientes vantagens.

Embora Marshall tenha jogado com vantagens, estas partidas foram ainda assim muito importantes para o jovem Marshall e para os leitores que o querem compreender. Àparte de jogar contra jogadores tão famosos (Ele deve ter-se sentido muito, muito entusiasmado!), estas partidas mostram quanto ele dependeu de ataque e táticas (Tu podes ver o seu talento tático efervescendo com cada lance.), aparentemente sem quaisquer competências posicionais.

Imagina jogar uma exibição de simultâneas de olhos vendados. Não é nada fácil!

1900

Paris

Após o seu excelente resultado de Londres 1899, ele teve alguns altos e baixos, mas o seu resultado no evento de Paris 1900 (de 17 de Maio a 20 de Junho) foi muito bom. Marshall ficou empatado em terceiro lugar com Geza Maroczy (12 pontos). Pillsbury ficou em segundo (12,5 pontos), e Emanuel Lasker foi primeiro com 14,5. Outros jogadores que ficaram fora dos primeiros quatro lugares foram Amos Burn, Mikhail Chigorin, Carl Schlechter, Georg Marco, Jacques Misses, Jackson Showalter, e David Janowski (Ele chamava-se Dawid, mas David é o que é usado hoje em dia.). É claro, o ponto alto do torneio foi a vitória de Marshall sobre Lasker!

Marshall jogou bem o final, mas pode surpreender-te saber que Marshall era na verdade muito competente naquela fase do jogo.

As anotações de Marshall para a seguinte partida (de Paris 1900) são de morrer a rir! Portanto, eu vou deixar que Marshall nos divirta com lances e prosa.

“O Britânico Amos Burn era um jogador muito cauteloso e gostava de se instalar para uma longa sessão de xadrez fechado e defensivo. Ele adorava fumar o seu cachimbo enquanto examinava o tabuleiro. Quando eu fiz o meu segundo lance, o Burn começou a rebuscar os seus bolsos pelo seu cachimbo e tabaco."

1901

Monte Carlo

A seguir Marshall jogou um torneio em Monte Carlo. Poderias pensar que após o seu triunfo de Londres 1899 e depois de Paris 1900, Marshall continuaria a mostrar que ele era "o homem." Em vez disso, ele não conseguiu estar à altura das expectativas, empatando em 8º e 9º com Gunsberg. Janowski venceu o torneio com um impressionante resultado de 10-3 enquanto que Von Scheve, Chigorin, e Schlechter empataram de segundo a quarto com excelentes resultados de 9-4.

Aqui está uma partida onde ele superou Blackburne e depois se desmoronou ao lance 17.

Buffalo (EUA)

O seu torneio seguinte (em Buffalo) viu Marshall a desmoronar-se completamente, ficando em 5º entre 6 jogadores (7 derrotas, 1 empate, duas vitórias contra o jogador que ficou em último lugar, Louis Karpinski). Pillsbury venceu o evento com 2,5 pontos à frente dos jogadores que terminaram em segundo e terceiro lugares Delmar e Napier.

Na verdade, parece-me a mim que ele estava doente uma vez que jogou horrivelmente. Aqui está um exemplo de Buffalo.

1902

Monte Carlo

Depois do seu mau resultado em Monte Carlo 1901, Marshall tentou de novo. Mais uma vez ele terminou em 9º atras de Maroczy (1º), Pillsbury e Janowski (2º e 3º), Teichmann (4º), Schlechter e Tarrasch (5º e 6º), Wolf (7º), e Chigorin (8º). No entanto, o seu 9º lugar colocou-o à frente de outros 11 jogadores, e a sua forma foi de longe melhor do que a dos seus desastres anteriores.

Aqui está uma vitória contra Carl Schlechter onde Marshall jogou o gambito que tem o seu nome (Gambito de Marshall).

Confrontos de Londres: Reconstruindo-se

Parece-me que estes confrontos ajudaram Marshall a voltar ao caminho certo e deram-lhe a confiança de que ele muito precisava.

Num confronto de seis-partidas contra William Ward, Marshall venceu quatro partidas para duas sem empates.

Num confronto de cinco-partidas contra Richard Teichmann, Marshall venceu duas e perdeu nenhuma.

Esta partida realçou as suas capacidades posicionais, e esta também lhe mostrou que nem todas as partidas que ele jogava tinham de ser táticas, táticas, e mais táticas.

Aqui está Marshall na sua forma mais mortífera:

DSB Kongress

Este foi outro desapontamento. Ele partilhou 9º e 10º com Rudolf Swiderski. Janowsky ficou em primeiro, Pillsbury em segundo, e Henry Atkins foi terceiro.

1903

Monte Carlo

Siegbert Tarrasch ficou em primeiro. Geza Maroczy terminou segundo; Harry Nelson Pillsbury foi terceiro (Marshall obteve uma vitória e um empate contra Pillsbury neste torneio.), e Marshall terminou em nono lugar. Estou aqui a ver um padrão! Ele terminou em nono em Monte Carlo 1901, 1902, e 1903, e 9º e 10º no DSB Kongress 1902. O que significa isto? Quer dizer que ele ainda estava a crescer como jogador, e coisas muito melhores ainda estavam para vir.

A seguinte partida foi contra Colonel Moreau que ficou em último lugar com uma pontuação de 0 vitórias, 0 empates, 26 derrotas! Então porque é que eu estou a mostrar esta partida? Por duas razões: Este tipo de Gambito de Rei é muito raro, e Marshall anunciou mate em 11 após o lance 20 das Pretas!

Torneio Vienna Gambit

Esta partida foi jogada no torneio Vienna Gambit de 1903. Os jogadores eram obrigados a começar com 1.e4 e5 2.f4 exf4. Eu apostaria que jogar num evento destes seria muito divertido para todos—tanto para os jogadores como para os espectadores!

Chigorin ganhou o primeiro lugar. Marshall ficou em segundo. Marco foi terceiro e Pillsbury quarto; os restantes foram Mieses, Maroczy, Teichmann, Swiderski, Schlechter, Gunsberg.

Antes de mostrar a sua partida contra Chigorin, eu quero dar-te um exercício (de Glasgow 1903) que destaca uma configuração de peões triplicados muito estranha; cada peão triplicado estava escalonado em casas-escuras! De facto, é difícil para mim de tirar os olhos daqueles peões!

Exercício 1

A seguinte partida mostra que Marshall gostava de arriscar de vez em quando, por vezes ele ignorava o melhor lance por ideias táticas, mais interessantes. Outra coisa que me impressionou na seguinte partida é a criação (novamente!) de peões triplicados!

Aqui está outro exemplo da loucura que espreita no Gambito de Rei.

1904

Monte Carlo Rice Gambit

Neste torneio de seis-jogadores e rodadas-duplas, Marshall empatou em primeiro lugar com Swiderski. Mieses terminou em terceiro enquanto que Marco terminou quarto e Von Scheve quinto. Forgacs terminou em último lugar.

Monte Carlo

Este foi um evento de seis-jogadores e rodadas-duplas. Ele ficou em terceiro, mas os três primeiros (Maroczy com 7,5, Schlechter com 7, e Marshall com 6,5) ficaram próximos uns dos outros e bem adiante dos últimos três.

Cambridge Springs

Embora a forma de Marshall tenha sido muito inconsistente, os seus últimos torneios mostraram que ele era um Marshall completamente novo. Ou seria? Uma vez que o campeão do mundo (Lasker) iria quase certamente vencer, conseguiria Marshall manter aquela forma e ficar num dos primeiros cinco lugares (Haviam dezasseis jogadores). Ninguém podia ter adivinhado que o torneio de Cambridge Springs (O primeiro torneio internacional importante na América do século vinte) seria o seu maior sucesso! Ele venceu o evento com uma espantosa pontuação (e invicto) de 13-2 (um dos seus quatro empates foi com Lasker). Lasker empatou em segundo e terceiro com Janowski (com 11 pontos), e os restantes (por exemplo Marco, Showalter, Schlechter, Chigorin, Pillsbury.) ficaram bem para trás.

Na mente de muitas pessoas, a sua clara melhoria e a vitória neste torneio elevaram-no de um imperfeito mas excitante tático a um potencial campeão do mundo!

Portanto, como é que se constrói um campeão mundial! Talento, muito trabalho, e uma incrível quantidade de perseverança.

Exercício 2

Exercício 3

Exercício 4

Exercício 5

Exercício 6

As Pretas estão claramente a vencer e muitos lances fortes são possíveis. Vê se és capaz de achar o lance mais surpreendente.

Veremos mais sobre Frank Marshall nesta série contínua.


Gostarias de receber mais conteúdo de xadrez em Português? Segue estes canais!

null  /chesscom.pt null  /chesscom_pt null  /chesscomPT null  /chesscom_xadrez
Mais de IM Silman
Frank Marshall, Parte 4: St. Petersburgo 1914 e Os Deuses Do Xadrez

Frank Marshall, Parte 4: St. Petersburgo 1914 e Os Deuses Do Xadrez

Frank Marshall, Parte 3: Capablanca Entra em Palco

Frank Marshall, Parte 3: Capablanca Entra em Palco