Frank Marshall, Parte 3: Capablanca Entra em Palco
Capablanca dando uma simultânea. | Foto credit: Wikipedia.

Frank Marshall, Parte 3: Capablanca Entra em Palco

Silman
IM Silman
07/04/2018, 00:01 |
24 | Outros

O que fazes quando não conseguiste vencer o campeonato mundial de xadrez e, mais importante, quando te apercebes que o título maior nunca será teu?

Bem, tu jogas xadrez é claro!

Sim, os jogadores de elite sonham com o campeonato do mundo, mas não foi isso que os fez começar a jogar. Tu jogas porque isso faz parte de ti e, de forma bastante simples, porque amas o jogo.

Frank Marshall teve bons momentos e maus momentos, mas ele ansiou sempre pelo próximo torneio, novas ideias de abertura, e melhoramentos em todas as fases do jogo. E quando ele vencia uma partida com um ataque elegante... era para ISSO que ele vivia.

frank marshall chess

Marshall via Wikipedia. 

1907

Ostend

Um torneio interessante e forte. Haviam seis jogadores, e tinham todos de jogar quatro partidas contra os outros. Tarrasch ficou em primeiro (Marshall empatou três partidas contra Tarrasch e perdeu uma), Schlechter ficou em segundo, Marshall e Janowski empataram em 3º e 4º, Burn terminou em 5º, e Chigorin 6º.

EXERCÍCIO 1

Nos dias de Marshall, se qualquer jogador de xadrez ouvia a palavra "fraude" eles pensavam imediatamente em Marshall. Marshall era famoso por se encontrar em más (e frequentemente desesperadas) posições, mas quando isso ocorria a magia aparecia: Marshall atacava o oponente com quaisquer peças que lhe restassem e, por fim o cérebro do oponente derretia com tática após tática e deixava Marshall com outra vitória.

Aqui está um exemplo típico:

Marshall também tinha competências posicionais; é só que ele preferia um xadrez mais combativo. Quando ele jogou posicionalmente, ele estava sempre a procura de transferir para um ataque. A seguinte partida mostra esta filosofia na perfeição:

EXERCÍCIO 2

Karlsbad

Um grupo muito forte de jogadores (21!). Marshall não teve muito bons resultados, mas ficou à frente de muitas lendas. Akiba Rubinstein 1º, Geza Maroczy 2º, Paul Saladin Leonhardt 3º, Aaron Nimzowitsch e Carl Schlechter empataram em 4º e 5º, Milan Vidmar 6º. Marshall empatou em 11º e 12º, à frente de Spielmann, Tartakower, Chigorin, Janowski e outros.

1908

Vienna

Vinte jogadores, 19 partidas, Maroczy, Schlechter, e Duras empataram no primeiro lugar com 14 pontos. Rubinstein foi 4º, e Marshall, Leonhardt, e Mieses empataram de 9º a 11º. A propósito, no último lugar com apenas 1,5 pontos ficou Richard Reti!

Por esta altura torna-se evidente que Marshall jogou um zilhão de partidas! O tipo não conseguia parar de jogar.

EXERCÍCIO 3

EXERCÍCIO 4

DSB-16 Kongress

Marshall venceu de novo um torneio sem derrotas. A sua pontuação de 11,5-3,5 colocou-o 1,5 pontos em frente do 2º lugar (Salwe). Spielmann ficou em 3º.

EXERCÍCIO 5

Suave, não foi? É espantoso como competências técnicas e calmas frequentemente vencem partidas duma forma que parece simples. Marshall sempre adorou o jogo tático, mas à medida de que envelheceu, e à medida que ele ganhou mais e mais experiência, ele começou também a apreciar o xadrez posicional.

EXERCÍCIO 6

Lodz mt

Akiba Rubinstein, Marshall, e Georg Salwe. Cada um deles disputou um confronto de 8-partidas com os outros. Quando o fumo desapareceu Rubinstein venceu com 9,5, Marshall teve 8, e Salwe teve 6,5.

EXERCÍCIO 7

O confronto de Varsóvia

Frank Marshall vs. Akiba Rubinstein

Um confronto de oito partidas, este foi bastante difícil com Rubinstein vencendo 3 vitórias a 2 com 3 empates. Uma vez que Rubinstein era o segundo melhor jogador sobre a Terra, o resultado de Marshall foi bom.

A 6ª partida estava a decorrer muito bem para Marshall mas ele não conseguiu encontrar uma forma de finalizar. Eventualmente a partida ficou igualada, embora Marshall continuasse a atacar, ainda com a memória da sua vantagem à muito evaporada. Por fim Marshall sacrificou uma peça e nós temos esta posição:

Como é que podem estas lendas jogar desta forma? Simples, é evidente que estavam ambos em horrenda pressão de tempo. Quando aquele cenário atinge o tabuleiro, tudo pode acontecer!

O Confronto de Berlim

Frank Marshall vs. Jacques Mieses

Um confronto de 10-partidas: Marshall venceu 5 partidas, Mieses venceu 4, com um empate. (Marshall venceu aquela última partida!).

EXERCÍCIO 8
EXERCÍCIO 9

O Confronto de Suresnew

Marshall vs. Janowski Mais Uma Vez!

Outro confronto (10 partidas) entre David Janowski e Marshall. Janowski venceu confortavelmente com 5 vitórias, 3 empates, 2 derrotas.

No entanto teria ele realmente vencido no grande esquema das coisas?

Acontece que, após perder o seu 2º confronto direto em 1905, o ego de Janowski ficou destruído e, consequentemente, ele fez imediatamente um desafio para outro confronto. Uma condição doida (criada é claro por Janowski) foi: “Eu também te ofereço uma vantagem de quatro pontos: quer isso dizer, as minhas primeiras quatro vitórias não contam."

Quando este 3 confronto finalmente teve lugar (em 1908) Janowski venceu por 3 partidas, mas se ele não contasse as suas primeiras quatro vitórias isso significa que Marshall receberia o dinheiro. Eu não sei se Janowski fez alterações após a sua fanfarronice insensata, mas aquela história toda foi doida de qualquer forma.

1909

USA m New York

Frank Marshall vs. Jose Raul Capablanca

Este confronto era suposto ser para o campeonato dos EUA, e, uma vez que Capa nunca jogou num forte torneio Europeu e era desconhecido de muitos, todos tinham certeza de que Marshall iria vencer facilmente. 

No entanto, Marshall foi eviscerado! Após o confronto, Marshall queixou-se que Capablanca (um Cubano) não era um cidadão Americano e consequentemente não podia ser o campeão dos EUA.

Walter Penn Shipley, um forte jogador de xadrez e advogado, concordou e deixou claro que Capa não podia ter o título. Shipley disse também que Marshall não tinha o título (uma vez que o seu oponente não era um cidadão dos EUA) e portanto este foi revertido para o anterior campeão dos EUA, Jackson Showalter. Isto levou a um confronto entre Showalter e Marshall pouco tempo mais tarde. Marshall venceu decisivamente ao esmagá-lo 7 a 2, e finalmente Marshall foi oficialmente o campeão dos EUA. Marshall deteve o título por muitos anos e perdeu-o em 1936.

O confronto Marshall vs. Capablanca foi longo—23 partidas. Mas Marshall deve ter-se rapidamente apercebido que ele estava frente a frente com um monstro. O resultado final: 8 vitórias para Capablanca, 1 vitória para Marshall, e 14 empates.

Os "problemas" que tinham ocorrido (as derrotas de Marshall e o problema com Capa não ser um cidadão dos EUA) podiam ter feito inimigos dos dois homens. No entanto, Marshall não era um tipo de manter rancor. Quando o torneio muito forte de San Sebastian (uma cidade costeira no norte de Espanha) em 1911 estava a enviar convites aos melhores dos melhores, Marshall insistiu que Capablanca (um desconhecido na Europa) participasse no evento. Capablanca ficou em primeiro, e um novo deus do xadrez tinha nascido. Marshall terminou em 4º, à frente de Tarrasch, Schlechter, Nimzowitsch, Spielmann, Maroczy, Janowski, e outros.

Aqui está a única vitória de Marshall no seu confronto:

Uma partida verdadeiramente boa por Marshall (uma combinação de competências posicionais e táticas)! Se ele tivesse jogado desta forma durante o confronto inteiro, ele teria vencido várias mais partidas!

1910

DSB-17 Kongress

1º Schlechter, 2º Duras, 3º Nimzowitsch, 4º Spielmann, e Teichmann e Marshall empataram em 5º e 6º.

Haviam 17 jogadores neste evento, e jogadores como Tartakower e Tarrasch não conseguiram terminar no topo 6. Mas o que se destaca mais de tudo foi um jovem Alekhine, que empatou em 7º e 8º.

Marshall empatou a sua partida com Alekhine mas nunca o derrotou à medida que os anos foram passando. A sua pontuação global em torneios sérios: 7 vitórias e 8 empates. Porque é que Alekhine foi tão difícil para Marshall? Isso é simples: as principais qualidades de Marshall eram as suas competências de ataque e táticas. Infelizmente para Marshall, Alekhine era o melhor do mundo quando se tratava daquelas duas coisas.

Aqui está um empate muito interessante (eu deveria mudar "interessante" para "IMPRESSIONANTE") entre estes dois homens golpeando-se mutuamente em 1924. O final esteve cheio de fogos de artifício!

EXERCÍCIO 10



1911

New York

Marshall ficou em primeiro (invicto), Capablanca em 2º. Capablanca perdeu para Roy Turnbull Black, que era um juíz. Capablanca, com uma mentalidade de "eu posso vencer este peixe com qualquer abertura," jogou 1.e4 c5 2.b4. As coisas não correram bem para o Cubano. Aqui está uma olhada rápida e instrutiva à batalha Capa vs. Black:

EXERCÍCIO 11



EXERCÍCIO 12

O Confronto de Hamburgo

Frank Marshall vs. Paul Saladin Leonhardt

Um confronto de 7-partidas. Marshall venceu com 2 vitórias, 1 derrota, e 4 empates.

Karlsbad

Vinte seis jogadores. Teichmann 1º, Rubinstein e Schlechter empatados em 2º e 3º, Rotlewi 4º, e Marshall e Nimzowitsch empatados em 5º e 6º. O jovem Alekhine de 19 anos empatou de 8º-11º.

A seguinte partida é uma peça de humor. Não tem nada de profundo, apenas humor! Quando eu era uma criança eu li isto e gostei tanto que nunca me esqueci. Todas as anotações são de Marshall:

“Eu sentia-me bastante nervoso quando me sentei para jogar com o mestre Russo Dus-Chotimirsky na última rodada; eu sabia que ele tinha recebido uma preparação considerável em antecipação desta partida comigo. O meu excitável oponente mostrava também sinais de grande nervosismo. Esta pequena partida engraçada foi o resultado do nosso encontro."


Gostarias de receber mais conteúdo de xadrez em Português? Segue estes canais!

null  /chesscom.pt null  /chesscom_pt null  /chesscomPT null  /chesscom_xadrez
Mais de IM Silman
Frank Marshall, Parte 4: St. Petersburgo 1914 e Os Deuses Do Xadrez

Frank Marshall, Parte 4: St. Petersburgo 1914 e Os Deuses Do Xadrez

Frank Marshall, Parte 2: A Luta Pelo Campeonato Mundial

Frank Marshall, Parte 2: A Luta Pelo Campeonato Mundial