Porque perdes contra jogadores mais fracos

Porque perdes contra jogadores mais fracos

Silman
IM Silman
22/12/2016, 00:00 |
61 | Diversos

Asmara o Gato escreveu:

Eu tenho um problema e espero que me possam ajudar. O meu problema é que eu não sei como derrotar jogadores fracos (bem, eu não sou muito bom, mas jogadores que jogam pior que eu). Na vida real, ganhei um rating da FIDE entre 1500 e 1580 durante os últimos anos. Em torneios de xadrez, eu consigo regularmente bater jogadores na faixa de 1700-1800 (ontem eu ganhei a um 1822 FIDE), e o meu melhor empate foi contra um jogador com 2001. Mas no Chess.com, o meu rating nunca excedeu 1400 nas blitz de 10 minutos. O fato é que eu perco contra jogadores que jogam muito agressivamente ou que não conhecem o estilo dos "fundamentos de Casablanca". Jogadores que atacam sem fazer roque, que têm aberturas muito estranhas que não aparecem em quaisquer livros.

Claro, eu jogo bastante no Chess.com em momentos quando o melhor seria ir para a cama, e eu não estou tão concentrado na internet, mas num torneio a sério, principiantes com um "estilo da internet" conseguem ganhar-me fácilmente (um deles ganhou-me no mesmo torneio em que eu derrotei um jogador com 1822). Eu penso que deveria ganhar-lhes porque eu treino o xadrez e leio livros de xadrez (por exemplo, um dos meus favoritos é Simple Chess por Michael Stean. Este livro ajudou-me a arrancar umas boas vitórias contra jogadores com ratings mais altos), mas os livros só explicam como lutar contra bons jogadores, e não contra aqueles que não fazem lances lógicos.

Um jogador idoso (de 93 anos) disse-me uma vez "um mau lance torna-se um bom lance quando não é refutado." Será a única solução levar mais tempo a pensar sobre a posição? Pensar, "ele é fraco, vou batê-lo com facilidade!" não é certamente a solução. 

Uma vez que que estes jogadores com ratings menores me ganham, eles claramente sabem algo que eu não sei. Mas na medida em que eu jogo o que aprendi dos meus estudos de xadrez, eu penso que deveria obter melhores resultados contra estes jogadores e não compreendo porque é que não consigo.

Eu enviei uma foto de mim como Asmara o Gato.

JS: Asmara o Gato é uma senhora Francesa que vive em Paris. O seu nome verdadeiro é Sonia. Uma vez que gosto muito de gatos (as melhores criaturas na Terra...de longe superiores aos humanos), eu usarei o nome dela no Chess.com a maior parte do tempo. Vamos saltar para os jogos dela e ver o que se passa!

Aqui está o que ela escreveu sobre o seu primeiro jogo:

Esta, contra Shakir Amine, é a partida que me fez escrever-vos. Eu sentia-me confortável porque o rei Branco tinha de ficar no centro.

Mesmo quando eu vi que ia perder o meu cavalo eu pensei que tinha boa compensação. Mas depois eu fiz asneira e permiti que o cavalo dele ganhasse a partida.

Na partida Sonia jogou 7...Nh5, mas porque é que ela fez este lance? Se o lance foi feito de modo que ...e7-e5 se seguisse (quando o cavalo pudesse saltar para a casa-f4), então muito bem. Mas depois de 7...Nh5 8.Bh2 ela jogou 8...c5, o que não tem absolutamente nada que ver com 7...Nh5.

Isto faz-me pensar que o lance 7...Nh5 dela foi feito principalmente para atacar o bispo em f4, mas ataques ao acaso são frequentemente inúteis a menos que hajam outra razões para este (óbvio) ataque.

Olhando as suas outras partidas, eu notei que ela tinha feito semelhantes ataques. Estes na realidade não melhoraram a sua posição, ela sómente chutou a peça inimiga por razões desconhecidas. O prazer de atacar peças inimigas é uma coisa comum no xadrez amador, mas de novo - se não tem outra razão de ser do que "eu vou tomar a tua peça se me deixares," então o que estás a fazer é provávelmente errado.

Afinal de contas, não havia necessidade de jogar ...Nh5 se o objetivo era ...e7-e5 ( o que aparentemente não foi o caso):

LIÇÕES

  • Entusiasma-te se o teu rei está rocado enquanto o do teu adversário não está. Estas situações frequentemente imploram por uma retribuição dinâmica.
  • Ataques de um só lance são comuns mas frequentemente inúteis (ou podem mesmo ser contra-produtivos).

Um pouco mais para a frente na partida temos a seguinte posição:

LIÇÕES

  • Protege o teu rei!
  • Precisas de saber sempre qual é o melhor lance que o teu adversário pode fazer. Isso não quer dizer que tu pensas que ele vai fazer alguma asneira que te vai dar a partida; quer dizer que tu saberás, tanto quanto possas, o que o teu adversário deve (mas não necessariamente) fazer. Se ela tivesse continuado este avanço no lance 19, ela iria ter visto Nc4 e, provávelmente, ter ganho a partida.

Vamos pausar por um momento e deixar que Asmara o Gato partilhe as suas impressões sobre as três derrotas (a partida contra Shakir Amine sendo uma delas) que ela me deu:

Aqui estão três partidas que eu perdi. A impressão geral que eu tive foi:

1) Deveria ser fácil; a posição do meu adversário não faz sentido.

2) Oh, eu não tinha visto isso! Mesmo assim eu consigo achar uma solução.

3) Oh meu Deus, o que está acontecendo, não consigo controlar nada, estou perdido!

LIÇÕES

  • Quando fazes um lance como ...Bg4, é óbvio que h2-h3 pode vir a seguir. Portanto, se tu tens de recuar completamente quando h3 é jogado, não respondas com o lance Bg4 (claro, existem sempre excepções) em primeiro lugar!
  • Se tu fizeste o roque e o teu adversário não o fez, tu frequentemente podes tomar a iniciativa. No entanto, fazer isso quer dizer que tu jogas duma forma muito dinâmica. 
  • Se estás rocado e o teu adversário não, treina-te para encontrar possibilidades dinâmicas ou táticas. O adversário pode fazer o roque em qualquer altura, portanto frequentemente é agora ou nunca se desejas usar o paradigma "eu estou rocado e ele não."
  • Qualquer um te pode ganhar se jogares passivamente. Mas muitos adversários vão cair de rosto em terror se tu jogares duma forma dinâmica. 


LIÇÕES

  • Uma das chaves do jogo tático é a "peça desprotegida." Todos devem treinar para detectar peças inimigas que não estão protegidas. Tu ganharás muitas partidas se o fizeres! No nosso último exemplo, nós vimos dois casos da "peça desprotegida." A primeira peça desprotegida foi o cavalo Branco em e5, e o segundo foi o cavalo indefeso das Pretas em b4.


LIÇÕES

  • Se pensas que estás perdido, tu ESTÁS condenado (uma vez que não tens o estado mental apropriado para encontrar várias soluções salvadoras). Talvez até tens uma oportunidade de ganhar, mas se dizes a ti próprio que a tua posição não tem salvação, então é só isso que vês - uma situação sem saída.

Asmara o Gato, eu quero agradecer-te pelas partidas e pela prosa muito agradável. Parece-me que as tuas maiores fraquezas são:

  • TÁTICAS: Tu precisas de estudar tantos problemas táticos quantos possíveis. O Chess.com tem ferramentas táticas, e existem livros sem fim sobre o assunto.
  • DINÂMICA: O teu jogo tende a ser passivo. Precisas de concertar isso. Toma nota de examinar as partidas dinâmicas de monstros como Alekhine, Tal, e outros mestres de dinâmica.  

Se tu fizeres melhoramentos significativos nestas duas áreas vais ver que as pessoas que te ganharam no passado serão esmagadas ao encontrar as tuas novas competências táticas e dinâmicas. 

Clarotodos os jogadores de xadrez devem treinar todos as partes do seu jogo, mas se há uma parte do xadrez que te põe em desvantagem mais que qualquer outra precisas de colocar tanta energia em curar essa "doença" quanto possível.

Mais de IM Silman
Frank Marshall, Parte 4: St. Petersburgo 1914 e Os Deuses Do Xadrez

Frank Marshall, Parte 4: St. Petersburgo 1914 e Os Deuses Do Xadrez

Frank Marshall, Parte 3: Capablanca Entra em Palco

Frank Marshall, Parte 3: Capablanca Entra em Palco