Precisas de Saber os Nomes de Mates e Táticas?
Crachás de padrões de xadrez.

Precisas de Saber os Nomes de Mates e Táticas?

Silman
IM Silman
17/11/2017, 00:00 |
36 | Táticas

O membro grepschrop do Chess.com escreveu: "Alguns jogadores disseram-me que não é importante saber os nomes de padrões de mate. A minha experiência com crianças é contrária. Qual é a tua opinião?"

SILMAN: Embora uma pessoa possa pensar que seja fácil de responder, eu tenho de dizer que nós temos aqui dois animais diferentes: Os mais simples e mais cruciais para principiantes (padrões de mate e tácticos) são as pregaduras, mate na fileira de trás, garfos, chamariz, sacrifícios de abrir espaço, raios-x, moinhos, deflexões, forquilhas, e ataques duplos. Estes constituem o "grupo um dos animais." Todos devem conhecer estes materiais tácticos de construção críticos.

Porque é importante conhecer estes nomes? Se não os conheces, tu não sabes do que as pessoas estão a falar quando elas utilizam um nome táctico (e ficam especadas a olhar para ti intensamente como se fosses um pária). Conhecer os nomes ajuda-te a estudar os padrões duma forma mais categorizada. E ter um nome atribui uma personalidade ao padrão.

Agora falemos do grupo dois de animais, que trata dos padrões de mate:

mate pastor, mate do louco, mate de Boden, mate da Anastasia, mate de Anderssen, mate de Blackburn, mate de Cozio, mate de Damiano, mate de Greco, mate de Legal, mate de Murphy, mate de Pillsbury, mate de Reti, mate sufocado, sacrifício clássico de bispo, etc.

Deverás conhecer todos estes padrões?

null

Sim, tu deves. Deverás conhecer os seus nomes? Sim e não.

Existem alguns de que ouves com tanta frequência que tu conhecerás o seu nome, quer queiras ou não (mate sufocado, sacrifício clássico de bispo, etc). Mas os outros são fáceis de esquecer. Será o mate de Anastasia (eu gosto bastante deste nome) um termo de xadrez familiar a todos? Não. Porquê? Porque estes padrões não acontecem todos os dias.

Compara este com o sacrifício clássico de bispo, que acontece por todo o lado, e o nome permanece contigo. Mas o mate de Boden? É um mate muito fixe, mas mais uma vez, este é raro e a maioria dos jogadores utiliza as suas pequenas células cinzentas para coisas mais importantes.

Aqui está uma armadilha muito comum e muito antiga que todos devem conhecer:

Tu podes memorizar o seu nome, "mate de Legal," mas compreendê-lo é muito mais importante. Alguns irão recordar-se do nome, enquanto outros não, e isso na verdade não tem importância. Compreende simplesmente os padrões e estás pronto a jogar.

Outro "nome obrigatório" é o do mate de tolo. Talvez aquele nome seja fácil de lembrar uma vez que nós gostamos de pensar que a pessoa que cai nele é um tolo (esquecendo que todos nós já fizemos muitas, muitas coisas estúpidas). Mas o mate de Pillsbury, ou outros mates...a maioria das pessoas não se recorda deles. Neste caso conhece simplesmente os padrões a menos que estejas mesmo interessado(a) em nomes interessantes. Totalmente de acordo.

OS TRÊS PADRÕES CHAVE

Para principiantes, é importante aprender os três padrões chave: pregadura, garfo, e mate na fileira de trás. Depois disso, eu recomendaria o mate sufocado.

PREGADURA

Este padrão extremamente comum, que é muito fácil de compreender depois de algumas olhadelas, é usado constantemente.

GARFO

Os garfos são um verdadeiro favorito dos fãs. Quer este te faça lembrar do 'Pac-Man' ou ensinar-te exatamente como um cavalo pode ser vil, uma vez que caias num garfo tu nunca o irás esquecer.

Como tu viste, o cavalo é muito perigoso uma vez que atinge em todas as direcções e salta sobre as outras peças. É a derradeira arma de garfo. Outras peças conseguem também criar garfos, mas um garfo de cavalo é uma coisa especial.

MATE NA FILEIRA DE TRÁS

Os principiantes caem nisto constantemente. No entanto, exemplos mais complexos mostram que mesmo grande mestres caem vítimas do padrão da fileira de trás. Uma vez que tantas pessoas apanham mate na fileira de trás, este é importante e deve ser um dos teus primeiros padrões tácticos.

 

TODOS OS PADRÕES TÁCTICOS SÃO IMPORTANTES

Quando a trabalhar com crianças ou principiantes de qualquer idade, estes três padrões devem ser ensinados tão rapidamente quanto possível. Não só este ensino salva o jogador de cair nestes padrões, mas também haverá um pouco de mistério, e parte desse mistério são os nomes fixes associados com eles.

À medida que o tempo passa, ensina-lhes mais e mais: o ataque duplo, deflexão, chamariz, raio-x, moinho, e assim por diante. Adquirir mestria destes é fácil e divertido, e será a fundação da tua compreensão tática. 

Tem em mente que uma vez que aprendes alguns padrões tácticos (neste caso, um garfo) tu irás vencer algumas partidas utilizando garfos simples, mas tu irás também vencer partidas ao utilizar aquele "simples" padrão de garfo de maneiras muitas mais complexas.

Aqui está uma partida famosa que mostra as Pretas utilizando mais do que um garfo. Consegues encontrá-los todos?

Curiosamente, um ano antes Alekhine foi o lado que sofreu o garfo:

Todos caem em garfos (e todos os outros padrões tácticos), e se tu não os compreenderes então estás a deixar de fora uma parte enorme do xadrez. Se tu não aprendes as "básicas de garfos" tu nunca terás uma oportunidade de os usar da maneira que Alekhine fez. O mesmo se aplica a todos os outros padrões tácticos. Por outra palavras, pequenos passos primeiro, obras primas no futuro!

Portanto Sr. grepschrop, se tu ensinas crianças que querem conhecer todos estes nomes exóticos, FANTÁSTICO! Eu pessoalmente gosto de todos eles. O primeiro "grupo animal" deve de fato ser reconhecido pelos nomes e recordado. Mas a maior parte do segundo "grupo animal" é uma escolha pessoal.


Gostarias de receber mais conteúdo de xadrez em Português? Segue estes canais!

null  /chesscom.pt null  /chesscom_pt null  /chesscomPT null  /chesscom_xadrez
Mais de IM Silman
Frank Marshall, Parte 4: St. Petersburgo 1914 e Os Deuses Do Xadrez

Frank Marshall, Parte 4: St. Petersburgo 1914 e Os Deuses Do Xadrez

Frank Marshall, Parte 3: Capablanca Entra em Palco

Frank Marshall, Parte 3: Capablanca Entra em Palco