Sou Doido Pelas Casas

Sou Doido Pelas Casas

Silman
IM Silman
22/06/2017, 00:00 |
33 | Outros

Muitos jogadores de xadrez têm um entendimento limitado do jogo. Eles pensam que este é só sobre dar mate ao rei inimigo. Eles pensam que este é só sobre táticas e ataque. Pensam que é sobre criar ameaças. É claro, todas essas coisas fazem na verdade parte do xadrez, mas há tanto mais. E são estas "outras" coisas que transformam um ocasional jogador de "ameaças e táticas" numa pessoa que se diferencia das massas.

Neste artigo eu irei discutir a criação de casas fracas. Repara que eu disse a criação de casas fracas. Qualquer pessoa pode ver uma casa fraca/buraco no centro do tabuleiro e espetar lá o seu cavalo. Mas criar uma e fazer uso dela é uma arte que todos os jogadores devem cultivar.

null

Primeiro que tudo, uma explicação rápida sobre o que é uma casa fraca.

As Brancas acabaram de criar um casa fraca (d4) no seu próprio campo. Porque é que é fraca? Porque nenhum dos seus peões a pode defender. Compara essa com a casa-d5 das Pretas. Esta não é uma casa fraca porque ...c7-c6 irá afugentar quaisquer peças inimigas. É claro, em muitos casos as casas fracas não são importantes uma vez que o oponente (as Pretas neste caso) não a podem alcançar, ou as peças  das Brancas mantêm a ralé afastada dela, ou porque esta está simplesmente tão afastada do campo de batalha que ninguém a quer! Na posição depois de 1.e4 e5 2.c4 as Pretas irão provavelmente saltar em cima daquele buraco-d4 com 2...Cc6 seguido por 3...Bc5.

Mas este artigo é sobre criar um buraco no campo inimigo (no caso de 1.e4 e5 2.c4 as Brancas fizeram-no a si mesmas sem nenhuma razão!), e se estás a jogar um oponente razoavelmente forte ele provavelmente não te irá presentear com uma casa. Portanto, precisas de o fazer tu próprio ao enfraquecer, de alguma forma, uma casa no território do oponente.

Olha para a seguinte sequência:

Arnold Z. Mothmouth sonha com a seguinte posição:

 

Muito bem feito. As pretas estão acabadas uma vez que a casa-d6 é propriedade completa das Brancas (dois cavalos, o peão-c5, e a dama estão todos a convergir na casa-d6). Arnold Z Mothmouth, que é uma das pessoas mais gananciosas na Terra, também deu a si mesmo um lance (que rapaz simpático!). No fim de contas, é o sonho dele.

O problema com a fantasia de Arnold Z. é que, quando ele acordar, vai descobrir que as Pretas também se podem mover!

Este exemplo ensina-nos várias coisas:

  • Arnold Z. Mothmouth é indiscutivelmente louco.
  • Sonhar acordado é fantástico, mas em xadrez a realidade manda.
  • Sempre que desenvolves um plano, certifica-te que levas em conta os planos e lances do teu oponente. Se ele(a) puder contrariar facilmente o teu conceito, procura por outra coisa.
  • O simples facto de Arnold Z. Mothmouth ter tentado criar um buraco e fazer uso dele é um sinal muito bom. Esperemos que ele comece também a tomar os seus medicamentos de novo.

Olhemos agora para algo semelhante:

 

Como é que jogarias esta posição?

LEMBRA-TE: Embora casas fracas possam aparecer simplesmente devido a uma má execução do teu oponente, o teste verdadeiro do conhecimento xadrezista é de como as criar.

Uma vez que estou a oferecer aqui alguns exercícios, eu irei (mais uma vez!) oferecer um serviço publico sobre as anotações nos exercícios:

Sempre que eu ofereço exercícios  um bom número de pessoas não se apercebem que elas podem carregar no ponto de interrogação no canto esquerdo do tabuleiro e ver as várias anotações  Outro foco de confusão nos exercícios são os lances alternativos. Sim, existem muitas situações em que há mais de um lance muito bom (ou mesmo múltiplas maneiras de dar mate!). Quando isso ocorre elas pensam que que eu não vi isso. Não, eu vi. O problema é que o programa só permite um lance "melhor." Felizmente, que eu normalmente mencionei os lances que me estavas a gritar nas anotações!

Aqui está um simples e pequeno exercício. Ambos os lados não acabaram o seu desenvolvimento. Como é que as Brancas devem prosseguir?

 

Até agora vimos Karpov criar um buraco que lhe deu uma vantagem posicional muito agradável. Depois tivemos uma exercício que criou um buraco (e outras casas frágeis!) que conduziu a algumas táticas fixes. Agora veremos um buraco que dá às Brancas tanto jogo posicional como táticas.

Agora Está na Hora de Uma Verdadeira Obra-Prima:

 

As Pretas ameaçam alcançar uma posição muito boa com 16...f7-f5. As Brancas podem impedi-lo com 16.Bf5 mas isso pendura o peão-c4. E 16.e4 impede ...f7-f5 das Pretas e reivindica a casa-f5, mas isso dá às Pretas um buraco em d4 e também mata o bispo das Brancas. O que podem as Brancas fazer?

 

Vamos parar por um momento e procurar a razão porque é que 16.Bh7+ era tão importante. Se as Pretas tivessem jogado 20...De6 em vez de 20...Tcd8, como é que jogarias para as Brancas?

 

Voltemos à partida atual!

Nós vamos parar de novo para te mostrar porque é que 16.Bh7+ era tão importante. Na partida as Pretas jogaram 21...Td5, mas o que podem as Brancas fazer se as Pretas jogarem 21...De6?

 

Outra pausa, outro exercício. Vamos ver o que acontece (em vez do lance da partida, 30...Rh7) depois de  30...axb3 31.axb3 Txb3:

 

E de volta à partida atual vamos nós:

Vou pausar uma vez mais para que possas tentar e encontrar a melhor jogada das Brancas se as Pretas tivessem jogado 32...axb3 em vez de 32...Th8:

Aqui está o resto da partida atual:

Uma partida absolutamente brilhante, misturando mestria posicional e táticas fantásticas!

Para aqueles que querem estudar mais sobre casas, eu escrevi (em 2015!) uma série de sete-partes intitulada Mastering Squares.” Dá-lhe uma vista de olhos.


Gostarias de receber mais conteúdo de xadrez em Português? Segue estes canais!

null  /chesscom.pt null  /chesscom_pt null  /chesscomPT null  /chesscom_xadrez
Mais de IM Silman
Frank Marshall, Parte 4: St. Petersburgo 1914 e Os Deuses Do Xadrez

Frank Marshall, Parte 4: St. Petersburgo 1914 e Os Deuses Do Xadrez

Frank Marshall, Parte 3: Capablanca Entra em Palco

Frank Marshall, Parte 3: Capablanca Entra em Palco