Nakamura e So Entre os Líderes nos Campeonatos dos EUA

Nakamura e So Entre os Líderes nos Campeonatos dos EUA

Já não existem defesas de títulos fáceis em St. Louis. O GM Gata Kamsky estava acostumado a vencer títulos no campeonato dos EUA aos molhos no princípio desta década, mas esses dias acabaram. Até o Sinquefield Cup, que também se disputa em St. Louis, produziu quatro vencedores diferentes nas suas quatro edições. 

Foto Principal cortesia de Lennard Ootes para o Chess Club and Scholastic Center de Saint Louis.

O campeão do ano passado, o GM Fabiano Caruana, está a ter dificuldade em fazer as coisas correr para o seu lado através de três rondas, embora não tenha tido nenhuma ajuda com os adversários que teve de defrontar. No primeiro trio de partidas ele foi emparceirado com três dos seus quatro colegas de equipa das Olimpíades, e portanto sobreviver este teste quer talvez dizer que a sua pontuação seja enganadora. 

Enquanto que ele não foi capaz de concretizar a sua primeira vitória, cinco outros estão +1 e lideram com 2,0/3: os GM Wesley So, Hikaru Nakamura, Alexander Onischuk, Daniel Naroditsky, e Yaroslav Zherebukh

null

O GM Hikaru Nakamura, de pé, venceu na Quarta-feira mas teve de esperar para ver quem o poderia alcançar neste início de campeonato.

 Foto cortesia de Lennard Ootes para o Chess Club and Scholastic Center de Saint Louis.

Voltando a Caruana. Ele lutou pela igualdade no empate da ronda de abertura contra o GM Sam Shankland, e depois ontem não conseguiu ganhar de Brancas contra o seu adversário de longa data Nakamura.

Ele não teve ajuda do sorteio que houve hoje, uma vez que ele ficou de Pretas na ronda três contra o cabeça-de-série So. Ele defendeu a Berlim confortávelmente, e agora o seu calendário ficou um pouco mais fácil para as fases avançadas do campeonato. 

null

O GM Alex Onischuk. Será este o ano em que ele se torna um campeão repetente como Kamsky, Nakamura, e Shabalov?

Foto cortesia de Austin Fuller para o Chess Club and Scholastic Center de Saint Louis.

Para além desse encontro a 1-2, hoje também tivemos um 3-4, mas a expansão na ala da dama de Nakamura no Giuoco Piano não deu resultados significativos contra o GM Jeffery Xiong.

Agora vejamos alguns dos vencedores nas últimas duas rondas, e como converteram. O clube dos

2700+ fez o seu trabalho na ronda um, como foi notado na reportagem da ronda de abertura. Hoje, Naroditsky obteve a sua vitória contra o GM Varuzhan Akobian com um jogo franco. Primeiro criar algumas peças ativas, traduzir isso numa fraqueza posicional (peões dobrados), e depois vencer o peão e o final da partida.

Certamente o estudante da Universidade de Stanford consegue explicá-lo com mais pormenores técnicos, e portanto aqui estão alguns:

"Especialmente depois de jogar ...c5 eu pensei que tinha igualado confortávelmente," disse Naroditsky, acrescentando que haviam alguns complicativos navegando a interligação entre o Gambito de Dama e a transposição Rogozin, mas "eu definitivamente pensei que não tinha quaisquer problemas na abertura."

A derrota contra Akobian estraga o seu breve namoro com a liderança. Depois da partida de ontem ele partilhava a liderança dos tabuleiros quando Kamsky cometeu uma asneira e teve de abandonar imediatamente. A vitória dá-lhe uma pequena medida de vingança pela derrota que Akobian sofreu contra Kamsky no playoff do campeonato dos EUA, em 2014.

Acontece que Kamsky ainda não conseguiu ter sorte táticamente. Hoje ele tinha a estrutura mais prometedora, e além disso Robson estava a levar 7-9 minutos por cada lance do meio-jogo e ficando na sua habitual pressão com o tempo. O jovem depois encontrou uma quase-armadilha da dama centralizada das Pretas, e Kamsky teve de dar um peão para abrir uma rota de fuga.

A técnica de Robson foi adequada, e ele fez uma transição para um final de partida vitorioso de rei e peão. Depois de um encontro traiçoeiro para começar os seus encontros pessoais, os dois têm-se encontrado exatamente uma vez por ano desde 2010, sempre no campeonato dos EUA. Esta foi a primeira vitória de sempre de Robson contra Kamsky:

Surpreendentemente, o 0,5/3 de Kamsky não faz com que ele caia para o fundo da tabela. Hoje, o único novato do torneio, Zherebukh, incomodou outro veterano e vencedor de várias vezes, o GM Alexander Shabalov. O jogador de Pittsburgo caiu para 0-3.

Shabalov tem mostrado até agora que ele detesta empates rápidos, mas o seu xadrez combativo não lhe ofereceu nenhumas vitórias. Primeiro, a sua derrota na ronda três para Zherebukh, que não teve a oportunidade de se preparar depois de uma cansativa Quinta-feira que incluíu uma partida "dura" duma abertura surpresa e depois um aula de três horas na Universidade de St. Louis.

O líder final, Onischuk, suplantou Shabalov no dia anterior graças a alguns dos peões triplicados mais estranhos que já viste alguma vez. Primeiro, Shabalov nunca os capturou, apesar de o mais avançado ser uma presa fácil. Depois, o peão-c7 ultrapassou o peão-c6, essencialmente saltando sobre ele à moda de damas Chinesas.

O desempenho de Onischuk com os trigémeos (em vida real ele "só" tem gémeos!) durou a partida inteira e Shabalov abandonou antes de ver cada um dos peões serem promovidos. Quando eles estão a vir por aí abaixo cruelmente dessa maneira, tu não os consegues simplesmente fazer desaparecer (como a Lucile Ball a comer os chocolates na famosa comédia):

Aqui estão esses chocolates, ou melhor, os peões-c:

No Campeonato de Senhoras dos EUA as coisas estão um pouco menos lotadas no topo. As 48 horas produtivas da GM Irina Krush resultaram em duas vitórias e ficar sózinha na liderança com 2,5/3. (A ausência de pontuações perfeitas em qualquer das divisões significa que mais uma vez o fundador do clube Rex Sinquefield nao tem de pagar o cheque de $64,000 pelo "Prémio Fischer")

Primeiro, a sete-vezes campeã conseguiu sair de dificuldades num final de partida em ronda dois. A técnica vencedora não foi óbvia para a sua colega de equipa das Olimpíades, mas nós apresentamo-la aqui:

Hoje a WGM Tate Abrahamyan resumiu a sua rivalidade com Krush. Se pensaste que a rivalidade Robson-Kamsky já dura há algum tempo, as senhoras têm rivalidades ainda mais antigas. Elas jogaram agora 11 anos consecutivos no campeonato feminino começando em 2007. Em alguns anos, elas contestaram múltiplas partidas atravês de tiebreak, embora Krush tivesse uma vantagem de 8-1 (com somente dois empates!) nas clássicas antes do confronto de hoje.

null

A peleja Abrahayam-Krush já abrange a administração de três presidentes Americanos. 

Foto cortesia de Austin Fuller para o Chess Club and Scholastic Center de Saint Louis.

De muitas formas, Abrahamyan é a versão feminina de Akobian, e não só porque eles são ambos de descendência Armena. Ambos são geralmente vistos como "os mais próximos de vencer" um título, à medida que ambos têm vários segundos-lugares no seu palmarés. Ambos são também dedicados jogadores Franceses. Mas enquanto Akobian acrescentou o Caro-Kann ao seu arsenal, hoje Krush usou-o contra Abrahamyan.

Outra partida importante para as classificações ocorreu hoje entre a campeã do ano passado a IM Nazi Paikidze e a IM Anna Zatonskih. Na ronda um, a jogadora mais velha no evento disse que a fatiga de uma partida de 5+ horas a traiu no final. Hoje, ela venceu a partida mais longa da ronda, pela margem mais pequena. Mais uma vez ela permitiu uma tática no final da partida, que lhe podia ter custado um meio-ponto.

"Ela merecia ter empatado," disse Zatonskih.

Uma das razões porque a partida durou tanto tempo foi devido ao trabalho extremo que Zatonskih teve na abertura, forçando-a a gastar muito tempo. Depois, ela erradamente permitiu a Paikidze um sacrificio pelos seus peões ligados passados.

"Não me moas a cabeça! O meu treinador vai fazer-me as mesmas perguntas!" disse Zatonskih quando lhe perguntaram sobre a sua gestão de tempo.

Then, she mistakenly allowed Paikidze to sacrifice for her connected passers.

null

Muito bem, agora analisa todos os 129 lances para a nossa audiência, Anna!

Foto cortesia de Lennard Ootes para o Chess Club and Scholastic Center de Saint Louis.

Espantosamente, Paikidze tinha jogado 48 lances e sobrevivido a final de partida teóricamente-empatada, mas qualquer lance 49 levava ao mate! Custa perder no lance final. Ela admitiu mais tarde que ela já tinha perdido o mesmo final anteriormente. "Isto é inacreditávelmente chocante," disse o comentador o GM Maurice Ashley. (E crédito total para a nossa equipa de reportagem ao vivo por ficarem até ao fim, senão o momento não teria sido capturado em vídeo.)

"Eu não tenho a certeza que foi divertido. Foi duro, disse o GM Yasser Seirawan depois do lance final ter sido feito, acrescentando que tinha sido "traumático" e "dramático" ver Zatonskih ter de essencialmente vencer a partida três vezes.

Perseguindo os 2,5/3 de Krush estão Zatonskih, a WGM Sabina Foisor (que recuperou hoje para vencer), e a futura engenheira a WFM Apurva Virkud, que "só" pratica uma hora por dia mas ainda se mantem a par das profissionais em campo.

Aqui estão os resultados completos:

null

null

Felizmente para Caruana, ele tem sempre um desempenho entre 2700 e 2800. Os deuses do sorteio não descansam amanhã. Já tendo jogado com as sementes um e três, amanhã ele apanha o número quatro (Xiang). Sendo que ele não pode jogar contra si mesmo, a partir daqui o caminho é fácil!

null

null

Todas as imagens cortesia de Spectrum Studios.

Podes acompanhar a transmissão completa as 11:00 hora do Pacífico, 14:00 costa Leste no Chess.com/TV ou no site oficial, uschesschamps.com.

Reportagens anteriores:

Mais de FM MikeKlein
Mundial de Xadrez Partida 12: Carlsen Oferece Empate em Melhor Posição para Ir a Tiebreak

Mundial de Xadrez Partida 12: Carlsen Oferece Empate em Melhor Posição para Ir a Tiebreak

Mundial de Xadrez Partida 10: Série de Empates Continua Apesar de Partida Louca

Mundial de Xadrez Partida 10: Série de Empates Continua Apesar de Partida Louca