O Xadrez Melhora as tuas Capacidades Cognitivas? O Que Diz a Ciência

O Xadrez Melhora as tuas Capacidades Cognitivas? O Que Diz a Ciência

PeterDoggers
PeterDoggers
10/03/2017, 00:00 |
0 | Diversos

É habitualmente aceite que ensinar xadrez nas escolas melhorará as capacidades cognitivas dos estudantes noutras áreas, como por exemplo na Matemática. Mas será isto de fato verdade? Qual é o presente consenso científico sobre o tópico? 

Em Fevereiro de 2015 o parlamento Espanhol votou unanimemente por uma resolução para fazer do xadrez uma disciplina compulsória nas escolas. Em países como a Arménia, Hungria e Roménia o xadrez tem vindo a ser ensinado nas escolas já faz muitos anos. A ideia em geral é de que o xadrez beneficiará os estudantes duma maneira ou doutra.

É uma crença popular, e que faz bastante sentido: as crianças que aprendem xadrez executam melhor noutras áreas cognitivas, como a Matemática.

A Ciência, no entanto, não tem tanta certeza.

Uma Opinião sobre o Assunto

Em 23 de Fevereiro de 2017 foi publicado um artigo, que trata de todos os estudos científicos relevantes sobre a relação entre a instrução de xadrez e as capacidades cognitivas. Este artigo foi escrito por Giovanni Sala e Fernand Gobet do Departamento de Ciências Psicológicas da Universidade de Liverpool, juntamente com John P. Foley do Xadrez na Escola & Comunidades em Londres.

O artigo começa por destacar uma prévia meta-análise por Sala e Gobet, publicada em Maio de 2016. Esta análise mostrou efeitos positivos moderados, com o xadrez melhorando o aproveitamento de estudantes da escola primária e do primeiro ciclo em matemática e em habilidade cognitiva em geral. 

No entanto, um problema significante hoje em dia na pesquisa sobre a eficácia da instrução de xadrez foi identificado: quase nenhuma das investigações analisadas compararam grupos que receberam instrução de xadrez com grupos de controle ativo para excluir possíveis efeitos de placebo. "Presentemente, este é o problema metodológico mais sério neste campo," escreveram Sala e Gobet.

E para todos aqueles tentando introduzir o xadrez em (mais) escolas, as coisas ficaram ainda piores do ponto de vista científico.

Estudo da Grã-Bretanha

Em Julho de 2016 o Education Endowment Foundation, na Grã-Bretanha, publicou os resultados de um estudo de dois anos envolvendo quase 100 escolas. A experiência decorreu durante o ano escolar 2013-14, e incluíu quase 2.000 estudantes (de nove e dez anos de idade). Metade daqueles receberam um total de 30 horas de aulas de xadrez. 

A conclusão desta experiência foi de que não houveram diferenças significativas de aproveitamento na matemática entre aqueles que foram expostos regularmente a aulas de xadrez e o grupo de controle. Este resultado foi amplamente comunicado na imprensa da Grã-Bretanha. O GM Ian Rogers escreveu sobre isso aqui no Chess.com.

Defeitos

Mas foi tudo assim tão ruim? Devemos nós parar de ensinar o xadrez nas escolas, porque este na verdade não ajuda as crianças? Talvez não. 

No seu último ensaio, Sala e Gobet assinalam que para além de alguns pontos claramente positivos (e.g. grupos  largos de amostras, e atribuição de grupos aleatória) o estudo da Grã-Bretanha também conteve alguns defeitos.

Para começar, a experiência levou um ano inteiro, e foi baseada em 25-30 horas de ensino de xadrez no total—implorando a pergunta óbvia, e se as crianças tivessem recebido mais treino de xadrez? Segundo, Sala e Gobert suspeitam que os resultados do estudo podem ter sido viciados por um efeito de plafond, o que faria a medição dos efeitos problemática. 

Benefícios

Enquanto o estudo da Grã-Bretanha pode não ter refutado a teoria de que "o xadrez ajuda a matemática", não existe também de momento uma prova nítida de uma relação direta entre a aprendizagem de xadrez e o melhoramento na matemática. Ainda assim, ensinar xadrez nas escolas pode muito bem ter benefícios.

Tem sido sugerido por diferentes cientistas que o xadrez envolve, e possivelmente aumenta, as capacidades cognitivas tais como a memória funcional, inteligência fluída, e a capacidade de concentração. Para além disso, o xadrez pode ser benéfico para a habilidade matemática e, mais geralmente, para o aproveitamento acadêmico ao melhorar a concentração e a capacidade de resolução de problemas. Tudo isto requere mais investigação.

Um lugar onde os efeitos do ensino de xadrez estão a ser investigados é na Universidade do Texas em Dallas. Nessa instituição, a Dr. Chandramallika Basak recentemente deu uma aula em que apresentou os seus resultados iniciais, baseados no trabalho com 12 crianças numa academia de xadrez local. (Folheto em PDF, páginas em PDF, relatório por Alexey Root).

Até aqui, a Dr Basak descobriu que crianças recrutadas da academia de xadrez melhoraram na capacidade de focar atenção numa atividade e na capacidade de executar várias tarefas ao mesmo tempo, e que estas melhorias sugerem que o ensino do xadrez tem o potencial de melhorar os "blocos de construção" de competências cognitivas complexas. Ela tem a intenção de continuar a sua investigação, que conduz em colaboração com a UT Dallas Chess Program's chess camp.


Retificações: Uma versão anterior disse erradamente que o ensaio de 23 de Fevereiro por Sala e Gobert era uma nova meta-análise, em vez de uma peça de opinião. Adicionalmente, a Dr Basak não trabalha com a UT Dallas chess club, mas sim com a UT Dallas Chess Program's chess camp.

Mais de PeterDoggers
Carlsen Vence Campeonato Mundial de Xadrez 2018 em Playoff

Carlsen Vence Campeonato Mundial de Xadrez 2018 em Playoff

Mundial de Xadrez Partida 11: Boa Preparação Dá a Caruana Um Empate Fácil em Petroff

Mundial de Xadrez Partida 11: Boa Preparação Dá a Caruana Um Empate Fácil em Petroff