Artigos
Como se tornar um jogador de xadrez avançado

Como se tornar um jogador de xadrez avançado

Gserper
| 143 | Táticas

Há muitas maneiras de melhorar seu xadrez. Você pode estudar variantes de aberturas ou finais conhecidos, resolver problemas táticos e aprender estratégias de xadrez. Também é extremamente útil analisar as partidas de grandes enxadristas, bem como as suas próprias partidas. Mas por onde você deve começar? Um jogador inexperiente pode ficar sobrecarregado com tantas escolhas!

Ao longo dos anos, tentei responder a essa pergunta em meus artigos. Por exemplo, neste artigo eu escrevi:

"Iniciantes não precisam se lembrar de nenhuma abertura ou mesmo ter conhecimento básico em finais. Para eles, também é uma perda de tempo estudar peões isolados ou casas fracas. Nesta fase do seu desenvolvimento no xadrez, tudo o que eles precisam aprender é capturar quantas peças e peões do oponente puderem!"

Mas e se você não for mais um iniciante? O que você deve fazer então para melhorar seu xadrez? Foi sobre isso que escrevi neste artigo, fazendo o possível para imitar Yogi Berra dizendo: "O xadrez é 90% reconhecimento de padrões e a outra metade é cálculo."

Yogi Berra do New York Yankees. Foto: Autor desconhecido/Wikimedia, CC.

Infelizmente, encontramos outro problema aqui: existem literalmente milhares de padrões diferentes no xadrez. Então, quais você deve estudar e como deve estudá-los? No artigo acima, eu discuti esta questão:

"Existe uma grande variedade de padrões diferentes: temas táticos, ideias estratégicas, posições de finais, etc. E o que você deve estudar? Embora todos os padrões sejam essenciais para o desenvolvimento no xadrez, os padrões táticos são essenciais devido ao simples fato de que um xeque-mate termina a partida e um ataque de minorias bem executado apenas dá ao jogador uma posição melhor."

Portanto, aqui está: primeiro você precisa aprender os padrões táticos. Há mais de dez anos, escrevi uma série inteira de artigos intitulada "Padrões típicos que todos deveriam conhecer" e esses artigos podem ser um bom ponto de partida. Mas se você não é mais um iniciante e conhece muito bem os padrões táticos básicos, o que deve fazer para se tornar um enxadrista avançado?

Quando criança, fiquei muito impressionado com o método do famoso treinador soviético, IM Mark Dvoretsky. Cada artigo que ele publicava em uma revista de xadrez era um verdadeiro tesouro! Ele conseguiu explicar conceitos difíceis graças a inúmeros exemplos que demonstraram um certo padrão.

Então, quando eu via uma posição interessante em uma partida de grande mestre, pegava um caderno e desenhava um diagrama do momento mais interessante da partida. E aí, quando eu analisava outra partida e ficava um pouco intrigado ali, eu desenhava outro diagrama. Lentamente, mas seguramente, minha coleção de posições interessantes cresceu. Você ficará desapontado se pensar que esses diagramas apresentam algumas combinações inacreditáveis. Aqui está apenas um exemplo:

E aqui está a partida:

Eu sei o que você está pensando: qual é o problema com o lance 17.Tab1 e ​​por que você se deu ao trabalho de desenhar um diagrama dele? Bem, não é o lance em si, é o processo de pensamento do grande mestre que me impressionou tanto. Neste ponto do meu desenvolvimento no xadrez, eu nunca teria pensado em um lance como 17.Tab1!

Desenhar centenas de diagramas consumia muito tempo. Mas minha abordagem também tinha uma vantagem: se você desenhar um diagrama manualmente, fica muito mais fácil de lembrar! Dessa forma, não apenas memorizei centenas de padrões, mas também aprendi a reconhecê-los. Hoje em dia, sempre que vejo qualquer partida de xadrez, padrões literalmente surgem na minha cabeça! Vou te mostrar um exemplo simples.

Tenho certeza que meus leitores sabem que eu sigo jogadores de xadrez uzbeques, e particularmente do GM Nodirbek Abdusattorov. Aqui está uma posição de uma de suas partidas recentes:

Claro, imediatamente vi um padrão familiar: esta é exatamente a combinação que usei para derrotar o lendário GM Lev Polugaevsky há mais de 30 anos:

Aqui está mais uma partida recente do meu jogador favorito:

Mais uma vez, vi um padrão muito familiar: um meio-jogo de bispos de cores opostas. Em tais posições, um ataque contra um rei costuma ser decisivo. A explicação é bem simples: se você atacar as casas da cor do seu próprio bispo, o bispo do adversário jogando nas casas da outra cor é completamente inútil para a defesa. Portanto, é quase como ter uma peça a mais no ataque!

No entanto, não é de admirar que as Negras possam praticamente abandonar na posição do diagrama, apesar do material equilibrado. Mais uma vez, encontrei um padrão semelhante em uma partida de quase 40 anos que joguei contra outra lenda do xadrez. Desta vez a lembrança não é tão agradável:

Usei minhas partidas para ilustrar esses padrões, mas é claro que eles também aconteceram nas partidas de outros jogadores. Por exemplo, aqui está uma partida entre grandes mestres de elite que prova o mesmo conceito sobre meio-jogo com bispos de cores opostas:

Neste caso, você deveria começar a desenhar diagramas como eu fiz no século passado para melhorar seu xadrez? Claro que não! No entanto, eu recomendo fortemente que você aprenda padrões. Por exemplo, depois de jogar, tente descobrir o ponto de virada mais importante da partida. Tente escolher uma posição que você deseja lembrar para o resto de sua vida. Em seguida, você adiciona uma nota explicando esse padrão e salva a partida.

E faça o mesmo quando analisar partidas de grandes enxadristas. Identifique um elemento-chave da partida que você gostaria de usar em suas próprias partidas, faça uma anotação explicando por que esse foi um momento importante e salve. Desta forma, à medida que sua coleção de padrões crescer, você notará a diferença no seu jogo. Você reconhecerá padrões e se tornará um jogador de xadrez avançado!

Mais de GM Gserper
O final mais importante no xadrez

O final mais importante no xadrez

O mistério por trás dos lances de xadrez "estúpidos"

O mistério por trás dos lances de xadrez "estúpidos"