Porquê Estudar Xadrez?
Uma senhora a estudar xadrez.

Porquê Estudar Xadrez?

Recentemente um jogador de xadrez fez-me uma simples pergunta: "Eu não tenho talento xadrezista, portanto deverei eu gastar o meu tempo a ler livros de xadrez e a estudar partidas de xadrez?"

Eu tenho a certeza que em certa altura (normalmelmente após uma partida ou um torneio decepcionantes) muitas pessoas fizeram mesma pergunta. De modo a respondê-la, eu preciso de dividir esta pergunta em duas partes. 

Comecemos com a parte sobre o talento xadrezista. É a minha profunda convicção, baseada em muitos anos de experiência pessoal, que é muito mais fácil determinar se uma pessoa tem de facto talento de xadrez do que a falta deste. Bastou-me conversar só cinco minutos com Kramnik, Ivanchuk, e Gelfand quando eles tinham 13-14 anos e eu não tive nenhumas dúvidas sobre o seu brilhante futuro.

No entanto, como nós estabelecemos neste artigo, até o maior talento no xadrez não é garantia de que um jogador de xadrez irá ser uma super-estrela. Um bom exemplo é o lendário GM Leonid Stein, que era provavelmente um dos maiores talentos da sua geração e ainda assim ele não conseguiu obter o seu título de mestre até estar nos seus vintes e meio. Ele considerou mesmo seriamente desistir do xadrez! Felizmente, que haviam muitas pessoas em volta de Stein que o encorajaram a continuar. Lamentavelmente, esse nem sempre é o caso e uma única palavra estúpida pode afetar negativamente a confiança dum jogador de xadrez e arruinar até potencialmente a sua carreira xadrezista.

null

Aqui está a minha história sobre o assunto.

O ano era 1983 e eu tinha 14 anos, a jogar num torneio de juniores em Ashgabat (Turquemenistão). Numa das partidas, em que eu estava a jogar de Pretas, o meu oponente sacrificou quatro peões e atraiu o meu rei para e5 no meio da partida. Para fazer as coisas piores eu estava em enormes dificuldades de tempo e a minha bandeira estava prestes a cair a qualquer segundo! Eu não tinha nenhumas dúvidas de que eu ou iria perder por tempo ou simplesmente apanhar xeque-mate! Quando o meu oponente ofereceu subitamente um empate eu não pude acreditar nos meus ouvidos e concordei imediatamente. Logo após ter-mos apertado as mãos, o meu oponente informou-me de que o meu Re5 iria ficar a salvo com Re5-d6-c7-b8 e que milagrosamente as Brancas não o conseguiriam impedir!

Ora acontece que ele estava absolutamente correto! Para pôr vinagre na ferida, o jornal local reportou no dia seguinte sobre o caso curioso onde um jovem jogador Greg Serper do Uzbequistão concordou com um empate tendo cinco peões extra (sim, eles adicionaram mais um para magnificar o efeito cómico). O treinador da nossa equipa Larisa Pinchukera era uma pessoa muito esperta e para além disso ela conhecia-me muito bem, portanto ela revelou que o famoso treinador Soviético Vladimir Zak tinha presenciado o momento quando eu concordei com um empate.

Ele apontou para mim e disse: "Este miúdo nunca será um jogador de xadrez." Quando eu ouvi aquilo eu fiquei realmente furioso! Eu não podia acreditar que alguém pudesse julgar as habilidades dum garoto baseado simplesmente numa decisão estúpida em tremendas dificuldades de tempo. Eu jurei que iria fazer tudo no meu poder para provar que o velhote estava errado! Isso deu-me a motivação e de certo modo ajudou a minha carreira xadrezista, mas poderia ter tido simplesmente o efeito oposto. 

Aqui está o que o GM Yermolinsky escreve sobre o treinador da sua infância Vladimir Zak no seu fantástico livro The Road To Chess Improvement

"Nós tínhamos uma piada: qualquer um que sobrevive o "método de treino" tem a garantia dum grande futuro! A coisa importante era deixar Zak antes da frustração se instalar e de teres decidido de desistir do xadrez. Valery Salov e Gata Kamsky sairam cedo e tornaram-se estrelas na adolescência."

 

null

Portanto, deixa-me dar-te alguns conselhos. Não deixes ninguém questionar o teu talento de xadrez! O teu talento pode não ser tão grande ou brilhante como o de Kasparov, mas acredita-me, tu tens algum! Este pode estar simplesmente escondido, e portanto tu precisarás de cavar mais a fundo!

Agora, falemos sobre a segunda parte da questão. Digamos que tu és demasiado velho para poder realisticamente ter a esperança de te tornar campeão do mundo ou mesmo um grande mestre. Ou talvez o xadrez é para ti somente um passatempo e tu não tens grandes ambições no xadrez. Deverás gastar o teu tempo a estudar livros de xadrez e a analisar partidas? Eu tenho a certeza absoluta de que deves! Existem duas razões para trabalhar ao xadrez.

Primeiro que tudo, muito provavelmente, como consequência de tal estudo tu irás tornar-te mais forte. Mesmo se não tens o objetivo de te tornar num grande mestre ou mestre, vencer uma partida vs. o teu colega de clube que te ganha regularmente irá fazer-te feliz!

Podes dizer que não jogas pelo rating ou os resultados e a coisa mais importante para ti no xadrez é a sua beleza. Bem, essa é precisamente a razão porque precisas de estudar xadrez: para alargar os teus horizontes da beleza do xadrez. Deixa-me explicar este ponto.

Quando nós primeiro começamos a aprender o xadrez, nós podemos apreciar somente as situações de xadrez mais básicas, como esta:

A bela geometria xadrezista onde as torres das Brancas bloqueiam coluna após coluna e eventualmente dão xeque-mate ao rei preto é muito excitante para os principiantes. É isso; eles não conseguem apreciar nada mais complicado do que isto! Mas quanto mais estudas o xadrez, mais tu compreendes a sua beleza. Agora tu consegues apreciar as partidas "imortais" ou "sempre atuais."

À medida que te tornas mais forte, tu podes apreciar conceitos ainda mais complexos:

A certa altura tu aprenderás que a beleza no xadrez não e só aqueles sacrifícios vistosos:

E tu precisarás de ter pelo menos USCF 1600 de modo a compreender porque é que Spassky sacrificou um cavalo na seguinte famosa partida:

Ou porque é que Tal "desperdiçou' tempo no meio do seu ataque para empurrar o seu peão-h2:

Finalmente, tu podes chamar-te um aficionado do xadrez quando fores capaz de ver a imensa beleza destas ideias de finais:

É evidente que quanto mais forte te tornares, mais tons de beleza tu podes ver!

A conclusão aqui é bastante óbvia: mesmo se não te importas muito com o teu rating ou resultados de torneios, ao ler livros de xadrez e estudar partidas de grandes jogadores tu expandes  o teu conhecimento de xadrez e consequentemente desfrutas mais do xadrez!


Gostarias de receber mais conteúdo de xadrez em Português? Segue estes canais!

null  /chesscom.pt null  /chesscom_pt null  /chesscomPT null  /chesscom_xadrez
Mais de GM Gserper
Como Descobrir Uma Novidade de Abertura

Como Descobrir Uma Novidade de Abertura

Como Enganar o Teu Oponente

Como Enganar o Teu Oponente