Notícias
Notícias
Magnus Carlsen sobre escolha 'chocante' de Ding, jogo arriscado, formato do Mundial e muito mais
Askild Bryn entrevista Magnus Carlsen em "Sjakksnakk", um podcast norueguês de xadrez.

Magnus Carlsen sobre escolha 'chocante' de Ding, jogo arriscado, formato do Mundial e muito mais

TarjeiJS
| 0 | Notícias do Chess.com

Poucos dias antes de oficialmente perder o título, o GM Magnus Carlsen compartilhou algumas ideias fascinantes sobre o Campeonato Mundial de Xadrez da FIDE de 2023.

Enquanto os GMs Ian Nepomniachtchi e Ding Liren já estavam batalhando entre si em Astana para decidir quem seria seu sucessor, Carlsen estava aproveitando seu tempo livre para mostrar suas habilidades no pôquer com outras celebridades.

"Eu realmente preciso de dinheiro para financiar meus hábitos caros, como beber, então provavelmente devo levar isso muito a sério", brincou Carlsen, de acordo com o The Wall Street Journal.

Em seguida, ele apareceu no tapete vermelho ao entregar um prêmio na cerimônia do Breakthrough Prize em Los Angeles. A nona edição do programa foi apresentada por James Corden e homenageou "os cientistas que estão mudando o mundo". O norueguês subiu ao palco para entregar um prêmio ao lado de Lily Collins, estrela de "Emily in Paris", diante de uma multidão de astros de Hollywood como Kristen Bell, Danny DeVito, Robert Downey Jr., Gal Gadot, Ashton Kutcher, Brie Larson, Edward Norton, Leslie Odom Jr. e Chris Pine.

Assista ao clipe da cerimônia abaixo.

Sua aparição no canal das irmãs Botez na Twitch também chamou a atenção entre os fãs de xadrez, pois ele ficou em silêncio durante toda edição de um Titled Tuesday antes de perder o primeiro lugar após um empate com Alireza Firouzja e brincou:

"Eu desisti da p**** do campeonato mundial por isso?"

De volta à Noruega, o pentacampeão mundial anunciou uma nova empresa e lançou um aplicativo, Fantasy Chess, junto com o Norway Chess, aparecendo no podcast norueguês Sjakksnakk, apresentado por seus amigos Askild Bryn e Odin Blikra Vea.

Na conversa de uma hora, o campeão mundial compartilhou sua visão sobre vários assuntos que também abordaremos em um segundo artigo, mas o mais interessante foi sua perspectiva sobre o match do Campeonato Mundial em andamento.

"Não assisti nenhuma partida ao vivo, mas acompanhei os jogos, então sei o que está acontecendo", disse Carlsen antes de Ding empatar o match em 6 a 6.

Ele continuou falando sobre por que tantas partidas em Astana foram decisivas, em total contraste com seus matches em 2016 e 2018, onde 24 das 26 partidas clássicas terminaram empatadas.

"Acho que realmente depende muito do tipo de posições que você consegue na abertura. Se você jogar partidas muito complicadas, também haverá mais erros. Na maioria das vezes, foi isso que aconteceu, para conseguir partidas emocionantes. Acho que nos matches anteriores que você viu, meus oponentes, especialmente de Negras, adotaram as linhas mais sólidas, tentando nivelar o jogo e obter o mínimo de jogo livre possível, o que é muito justo e, provavelmente, a melhor estratégia que você pode ter contra mim."

Ding vs. Nepomniachtchi no Campeonato Mundial de Xadrez da FIDE 2023. Foto: Maria Emelianova/Chess.com.

"Além disso, as pessoas também jogaram muito sólido com as Brancas, sem correr muitos riscos e até mesmo puxando o freio de mão quando necessário, com exceção do meu match contra o Caruana, em que minhas partidas com as Negras foram muito emocionantes. Eu acho que tem muito a ver com isso, que eles acreditam que podem correr muito mais riscos. Acho que todos os meus adversários pensaram que se eu assumisse a liderança eles estariam em apuros no match. Se eu tiver um repertório com as Negras que eu conheço bem, o que eu tive nos matches, é extremamente difícil ter uma boa chance sem correr grandes riscos. E se eu estou liderando e for jogar de Brancas, não vou arriscar. Mas aqui você viu que nenhum deles conseguiu se defender, então você também pode correr mais riscos."

Carlsen deu um exemplo da segunda partida do match, que levou à primeira derrota de Ding.

"Você pode até arriscar... quando Ding joga 4.h3 com as Brancas no Gambito da Dama, ele está dizendo 'Ok, eu quero jogar em uma posição completamente desconhecida, absolutamente não é a melhor para mim, nem é uma posição segura, mas apenas uma posição complicada que espero conhecer melhor do que meu oponente.' É um pouco cedo para desviar assim. E deu muito, muito errado naquela partida, mas você não viu coisas assim com frequência nos meus matches."

"Tem sido muito empolgante acompanhar. Acho que é pelo nível de complexidade deles. Esperava um nível defensivo melhor, mas estou impressionado com a forma como eles conseguiram criar chances e o pouco que conseguiram ou quiseram nivelar as partidas o mais rápido possível".

Carlsen também mencionou a vitória de Ding com as Brancas na sexta partida.

"Foi muito chocante Ding ter jogado a London. Ele só foi melhor porque Nepo jogou uma linha que ele mesmo não conhecia. O que aconteceu naquela partida? Muito estranho."

Carlsen continuou falando sobre sua estratégia no match de 2016 contra o GM Sergey Karjakin, que terminou com ele vencendo por 3 a 1 no desempate de partidas rápidas após o placar de 6 a 6 no xadrez clássico.

"Eu mesmo tive partidas, especialmente contra Karjakin, onde eu acreditava que era muito melhor do que ele, que tinha que pressionar em cada partida, jogando de Brancas ou de Negras, para instigar a batalha o máximo possível. Isso aumenta a chance de eu perder algumas partidas, mas pensei que teria chances mais do que suficientes para vencer o match de qualquer maneira. No final, não escolhi essa estratégia, em vez disso, acabei como nos meus outros matches: 'Estou realmente muito sólido com as Negras, boa sorte para me vencer de Brancas'. E eu esperava ter algumas chances pelo menos nas minhas partidas de Brancas. Não foi muito bem sucedido, então é muito divertido ver os outros apostando em uma estratégia diferente."

Carlsen, no entanto, claramente não é um grande fã de xadrez clássico e se opôs à ideia de que "o xadrez clássico está indo bem" devido ao número de vitórias no match.

"Há muito o que falar agora que este match do Campeonato Mundial está provando que 'o xadrez clássico está indo bem' etc. Tenho que admitir que não acredito nisso. O que você está vendo é o fato de que eles não estão se esforçando para ser igualmente destrutivos."

Por "destrutivo", Carlsen se refere a aberturas que dão pouco espaço para um jogo arriscado.

"É completamente diferente quando você tenta ser destrutivo. E você vê cada vez mais o quanto as pessoas precisam cavar para encontrar ideias jogáveis. Sim, até certo ponto ainda podemos jogar xadrez clássico, mesmo no nível do Campeonato Mundial, mas por que deveríamos fazer isso quando você tem que se aprofundar tanto para tornar uma variante jogável? Por que não fazer outra coisa que... a meu ver, torna mais emocionante e oferece mais xadrez? Porque, de fato, sim, você realmente quer encontrar o melhor jogador de xadrez, mas o formato atual não oferece espaço suficiente para isso. É ótimo que agora haja um match em que os jogadores não sejam tão destrutivos, mas, a meu ver, isso não significa que os problemas estruturais tenham sido resolvido."

Na segunda parte deste artigo, discutiremos a opinião de Carlsen sobre sua nova identidade sem o título, alguns insights sobre as discussões que teve com a FIDE em Madri, a fórmula vencedora em Dubai, seu tempo com uma estrela de Hollywood, seu novo foco sobre jogar xadrez rápido, seus pensamentos sobre jovens talentos como os GMs Gukesh D, Praggnanandhaa R, Nodirbek Abdusattorov e Alireza Firouzja, sua vida pessoal e muito mais!

Mais de TarjeiJS
Bodhana Sivanandan se torna a terceira jogadora de xadrez de 8 anos com o rating mais alto de todos os tempos

Bodhana Sivanandan se torna a terceira jogadora de xadrez de 8 anos com o rating mais alto de todos os tempos

Aos 8 anos, Ashwath, vence Grande Mestre de Xadrez e estabelece novo recorde mundial

Aos 8 anos, Ashwath, vence Grande Mestre de Xadrez e estabelece novo recorde mundial