Os Melhores Jogadores de Xadrez do Mundo

GM Viswanathan Anand

Nome completo
Viswanathan Anand
Nascido em
Dec 11, 1969 (idade 52)‎
Local de nascimento
Mayiladuthurai, Tamil Nadu, India
Federação
Índia
Perfis

Rating

Biografia

Viswanathan Anand é o 15º campeão mundial e certamente o maior jogador de xadrez indiano de todos os tempos. Ele nasceu em 11 de dezembro de 1969 em Mayiladuthurai, Tamil Nadu, o estado mais ao sudeste da Índia. Anand, que era conhecido por seu jogo rápido no início da sua carreira, competiu pelo Campeonato Mundial Clássico em 1995 e foi campeão da FIDE entre 2000 e 2002, antes de obter o título reunificado em 2007. Ele manteve esse título por seis anos, até 2013, e ainda continua ativo, jogando em alto nível numa idade em que muitos outros jogadores de elite se aposentaram.

Início da carreira: anos 80

Anand começou a jogar xadrez aos seis anos, após aprender o jogo com a sua mãe. Aos 15 anos, ele se tornou mestre internacional após vencer o Campeonato Asiático Sub-20 de 1984. Depois, de 1986 a 1988, ele ganhou três vezes o Campeonato Indiano de Xadrez, bem como o Campeonato Mundial Júnior em 1987. Naquela época, três dos quatro últimos campeões mundiais - Boris Spassky em 1955, Anatoly Karpov em 1969 e Garry Kasparov em 1980 - haviam vencido o mesmo torneio, talvez prenunciando as conquistas do próprio Anand.

Em 1988, Anand ganhou seu título de GM. Em 1989, ele empatou em primeiro lugar no torneio Hoogovens, em Wijk aan Zee, na Holanda (com Predag Nikolic, Zoltan Ribli e Gyula Sax). Foi a primeira vitória de um total de cinco naquele torneio.

Anos 90

Em 1990, Anand já era forte o suficiente para participar do Torneio Interzonal do ciclo do Campeonato Mundial de 1993. Com uma pontuação de 8,5/13 no torneio suíço, Anand terminou entre os 11 primeiros e ganhou uma vaga no Torneio de Candidatos de 1991, junto com os quatro semifinalistas da última edição do evento. Na primeira rodada, Anand venceu Alexei Dreev por 4,5 a 1,5, mas na segunda ele não passou do campeão mundial Karpov.

Viswanathan Anand
Anand em 1992. Foto: Gerhard Hund, CC BY 3.0.

Anand resistiu muito, chegando mesmo a vencer a sexta partida (abaixo) para empatar o match em 3 a 3. Mas, após um empate na sétima partida, Karpov venceu a oitava, eliminando assim o indiano.

Esse foi o ciclo do campeonato mundial que acabou por levar à divisão do título entre Garry Kasparov e Karpov. Anand jogou em ambos os ciclos do campeonato de 1993 a 1995. No ciclo da FIDE, ele perdeu na segunda rodada do Torneio de Candidatos para o eventual desafiante, Gata Kamsky. Porém, no ciclo da PCA (Associação Profissional de Xadrez), Anand conquistou o direito de jogar contra Kasparov pelo campeonato mundial após derrotar Oleg Romanishin, Michael Adams e Kamsky.

Assim como fez com Karpov em 1991, Anand lutou bravamente contra Kasparov. Desta vez empatando as primeiras oito partidas e vencendo a nona (abaixo). Mas, na 10ª partida, Anand se deparou com a lendária preparação de abertura de Kasparov, e o match voltou a ficar empatado. Depois disso, Kasparov aproveitou o embalo e venceu também a 11ª, 13ª e 14ª partidas e empatando as últimas quatro para vencer o match por 10,5 a 7,5.

F

Em 1998, a FIDE decidiu abolir o Torneio Interzonal e de Candidatos em favor de outro evento que seria disputado por eliminatórias e que incluiria um maior número de jogadores. No entanto, para fins práticos, era um Torneio de Candidatos, já que Karpov, o campeão mundial da época, entrava diretamente nas rodadas finais. Anand esteve ausente na primeira rodada e depois derrotou Predrag Nikolic, Alexander Khalifman, Zoltán Almasi, Alexei Shirov, Boris Gelfand e Adams.

Desta forma, ele se tornou o desafiante de Karpov, que venceu a primeira partida. Anand se recuperou na segunda partida para empatar o match antes de perder novamente na quarta partida. Precisando de uma vitória na sexta partida para forçar um desempate de rápidas, Anand usou o raro ataque Trompowsky (1. d4 Cf6 2. Bg5) e venceu em 42 lances. No entanto, ele perdeu as duas partidas de desempate e Karpov manteve o título de campeão da FIDE.

Além de competir pelo título mundial durante a década de 90, Anand participava regularmente de torneios de elite. Seu melhor ano foi, sem dúvida, 1998, quando terminou na primeira posição em Linares e empatou na liderança da classificação em Wijk aan Zee.

Embora ele ainda não tivesse conquistado o título de campeão mundial no final dos anos 90, era evidente que Anand tinha uma chance muito boa de conquistá-lo.

Anos 2000

Na verdade, Anand começou a década seguinte vencendo o Campeonato Mundial da FIDE em 2000, evento disputado por eliminatórias em que ele começou como favorito, devido às ausências de Kasparov, Karpov e do recém-proclamado campeão mundial clássico, Vladimir Kramnik. Ele esteve ausente na primeira rodada e depois derrotou Viktor Bologan, Smbat Lputian e Bartłomiej Macieja por 1,5 a 0,5 cada, chegando assim às quartas de final. Ele venceu Khalifman nessa rodada por 3,5 a 2,5, e depois venceu Adams nas semifinais por 2,5 a 1,5 e se classificou para a grande final contra Shirov. A primeira partida terminou empatada, mas Anand venceu as três seguintes e garantiu o título sem muita dificuldade.

Anand voltou a disputar o Campeonato Mundial da FIDE em 2002, mas acabou perdendo para Vassily Ivanchuk nas semifinais. Em 2004, apenas três dos dez melhores jogadores do mundo estavam dispostos a participar e o grande mestre indiano não era um deles. O russo Rustan Kasimdzhanov acabou vencendo o torneio.

Em 2005, porém, a FIDE decidiu modificar o formato de eliminatórias que incluía um grande número de participantes, criado em 1998, para um torneio de apenas oito jogadores disputado pelo sistema round-robin duplo (semelhante ao atual Torneio de Candidatos). Anand teve cinco vitórias em um total de 14 partidas, empatando ambas as partidas contra Veselin Topalov. No entanto, Topalov permaneceu invicto durante todo o evento, conseguindo uma vitória contra o resto dos jogadores, exceto Anand. O grande mestre indiano, por sua vez, deu um ponto a Alexander Morozevich e Kasimdzhanov. Como resultado, Anand terminou empatado em segundo lugar com Peter Svidler, enquanto Topalov venceu o torneio com uma confortável margem de 1,5 pontos.

No ano seguinte, em 2006, houve um importante evento para o xadrez mundial, com a reunificação do título após 13 anos de separação. Kramnik derrotou Topalov em um match um tanto tumultuado para se tornar o novo campeão mundial. Anand, que havia sido derrotado no ano anterior, teve que esperar por sua chance, mas não demorou muito para chegar.

Viswanathan Anand
Anand em 2007. Wikipedia.

Em abril de 2007, Anand se tornou o número 1 no ranking oficial da FIDE pela primeira vez com um rating de 2786 (que existe desde 2000). Ele estava 14 pontos à frente de seus rivais Topalov e Kramnik. No mesmo ano, Anand ganhou o campeonato mundial em um torneio round robin duplo por um ponto inteiro.

Na primeira metade do torneio, Anand teve três vitórias - contra Levon Aronian na segunda rodada, contra Svidler na quinta e contra Alexander Grischuk na sétima - sem sofrer nenhuma derrota. Depois de empatar a oitava, nona e décima rodadas, Anand voltou a encontrar a vitória na décima primeira contra Morozevich. Faltando apenas três rodadas para o término do torneio, o indiano estava liderando o evento com 1,5 pontos de vantagem, e três empates foram suficientes para ele se tornar o novo campeão mundial, com um ponto à frente de Kramnik e Gelfand.

Como Kramnik ainda não havia perdido um match individual pelo campeonato mundial, Anand o enfrentou no ano seguinte para defender o título. Depois de dois empates, Anand venceu três das quatro partidas seguintes e garantiu a vitória por 6,5 a 4,5. Anand tornou-se assim campeão mundial indiscutível, tanto em formato de torneio quanto de match, mais do que consolidando a coroa da FIDE que ele havia conquistado no início da década.

Anos 2010

Anand defendeu com sucesso seu título mais duas vezes, em 2010 e 2012, enquanto o ciclo do campeonato mundial se mantinha em um formato mais regular. Em 2010, ele derrotou Topalov por 6,5 a 5,5. O adversário de Anand em 2012 foi Boris Gelfand, e o match acirrado entre eles ficou em 6 a 6, com o indiano vencendo no desempate de partidas rápidas.

No início da década, no entanto, surgiu Magnus Carlsen, que não havia participado do ciclo de 2012, apesar de já ter alcançado o status de nº 1 na lista de rating da FIDE. Em 2013, no entanto, ele disputou o Torneio de Candidatos, o qual ele venceu no desempate contra Kramnik.

Anand defendeu bem o título no início, empatando as quatro primeiras partidas do match. Porém, ele perdeu as partidas cinco e seis, e não conseguiu uma recuperação milagrosa. Depois de mais dois empates, Carlsen venceu a nona partida e empatou a décima e, assim, Anand perdeu o título.

No mês seguinte, Anand completou 44 anos, mas sua carreira no xadrez estava longe de terminar. Apenas quatro meses após o match do campeonato mundial em novembro de 2013, aconteceu o Torneio de Candidatos do ciclo seguinte. Cada jogador ganhou exatamente duas ou três partidas, mas Anand se distanciou dos outros jogadores por não perder uma única partida. No final, sua pontuação de +3 -0 =11 o colocou na liderança por um ponto inteiro.

E, embora o match do campeonato de 2014 tenha sido mais disputado do que o de 2013, Carlsen provou ser um campeão muito forte. O norueguês venceu a segunda partida antes de Anand levar a terceira (abaixo) e empatar o match. Seria sua única vitória (até o momento) contra Carlsen em um match do campeonato mundial. Carlsen venceu a sexta partida e depois a décima primeira e manteve o título de campeão mundial.

Anand voltou a disputar o Candidatos em 2016 em virtude da sua atuação em 2014, mas desta vez terminou empatado em segundo lugar e depois não se classificou para o Candidatos de 2018.

Provavelmente a melhor partida da sua carreira até o momento também veio nesta década, especificamente em 2013, vencendo de Negras, em apenas 23 lances, contra Levon Aronian, em Wijk aan Zee. Com que frequência vemos as Negras ocupando as casas c5 e e5 com suas peças quando as Brancas têm um peão em d4? Foi exatamente o que aconteceu neste duelo, que teve um toque final verdadeiramente espetacular.

Legado

O aspecto mais marcante da carreira de Anand é, sem dúvida, sua longevidade. Mesmo depois dos 50 anos, ele parece estar em boa forma competindo no mais alto nível, algo muito raro hoje. Geralmente está entre os 10 primeiros na lista da FIDE e, de fato, em outubro de 2019, ele estava em nono lugar. Além disso, ele foi candidato à coroa nos campeonatos mundiais de 1993 e 2016, com um intervalo de 23 anos entre os dois torneios, algo ao alcance de poucos jogadores na história do xadrez.

O sucesso de Anand também serviu para reacender a popularidade do xadrez em seu país de nascimento, a Índia. Ele foi o primeiro grande mestre na história da nação, mas certamente não o último, e foi seguido por talentos como Krishnan Sasikiran, Pentala Harikrishna e Humpy Koneru.

No que diz respeito ao estilo de jogo, Anand se destacou desde cedo por jogar muito rápido, algo que manteve ao longo da sua carreira, como evidenciado pelos títulos de Campeão Mundial de Rápido em 2003 e 2017.

Todos podem jogar rápido, mas é necessário um talento especial para jogar com rapidez e precisão e no mais alto nível por décadas. Anand é sem dúvida um dos maiores jogadores da história do xadrez.

Melhor Partida


Aberturas Mais Jogadas

Partidas