Os Melhores Jogadores de Xadrez do Mundo

GM Magnus Carlsen

Nome completo
Magnus Carlsen
Nascido em
Nov 30, 1990 (idade 30)‎
Local de nascimento
Tønsberg, Noruega
Federação
Noruega

Rating

Biografia

Magnus Carlsen é o atual campeão mundial de xadrez. Para muitas pessoas, ele é o melhor jogador da história, embora ainda se fale muito de Garry Kasparov e Bobby Fischer. De qualquer forma, é notável que, antes de completar 30 anos, Carlsen já conquistou seu lugar no topo.

É fácil ver o porquê. O prodígio norueguês de 13 anos empatou com Kasparov e derrotou Anatoly Karpov no mesmo evento em 2004, um mês antes de se tornar o segundo GM mais jovem da história. Em 2009, ele se tornou o jogador mais jovem a ultrapassar a barreira dos 2800 de rating.

Depois, Carlsen passou de jovem jogador de classe mundial para um dos melhores de todos os tempos. Ele alcançou o primeiro lugar no ranking mundial em 2011 e ainda não o deixou. Ele conquistou o título mundial e o defendeu com sucesso três vezes. Além disso, ele ganhou vários títulos mundiais de rápidas (duas vezes) e blitz (quatro vezes), alcançou o rating mais alto de todos os tempos e conquistou várias vitórias em torneios de elite, incluindo duas vitórias no Norway Chess e sete em Wijk aan Zee.

A parte surpreendente é que parece que há muito mais pela frente para Carlsen. Se ele continuar se apresentando da maneira que tem se apresentado, Carlsen poderá criar algo verdadeiramente lendário. Em uma era do xadrez mais competitiva do que nunca, ele está muito à frente da oposição.

Juventude e Início da Carreira no Xadrez (1995 a 2004)

Carlsen aprendeu a jogar xadrez aos cinco anos de idade. No entanto, ele não demonstrou muito interesse a princípio. Em vez disso, surpreendeu outras pessoas ao concluir atividades que demonstravam sua aptidão intelectual desde tenra idade.

Aos dois anos de idade, Carlsen conseguia resolver quebra-cabeças de 50 peças. Ele também brincou com conjuntos de Lego destinados a crianças de 10 a 14 anos. Quando Henrik Carlsen, seu pai, o apresentou ao xadrez, o menino de cinco anos estava ocupado memorizando as áreas, números da população, bandeiras e capitais de todos os países do mundo. Posteriormente, Carlsen concluiu uma tarefa semelhante - memorizar áreas, número populacional, brasão e centros administrativos - de quase todos os municípios noruegueses (hoje existem 422 municípios).

A memória impressionante de Carlsen ajudou quando ele se interessou mais pelo xadrez. Inicialmente, ele simplesmente queria derrotar sua irmã mais velha. Mas logo ele estava repetindo as partidas que seu pai lhe mostrara, praticando combinações enquanto jogava contra si mesmo e lia livros de xadrez. Seu primeiro livro foi Find the Plan de Bent Larsen, seis vezes campeão dinamarquês e o jogador escandinavo mais forte de todos os tempos - antes de Carlsen.

No início de sua carreira no xadrez, Carlsen foi treinado pelo melhor jogador da Noruega, Simen Agdestein, sete vezes campeão nacional que, com o ex-campeão júnior norueguês Torbjorn Ringdal Hansen, ajudou Carlsen a aprimorar seu talento rapidamente. Em um ano (2000), seu rating aumentou mais de 1.000 pontos, de 904 para 1907.

Não demorou muito para Carlsen acumular performances impressionantes e vitórias em torneios. Em julho de 2000, o garoto de nove anos venceu na categoria mais jovem do campeonato norueguês - para jogadores com menos de 11 anos - com uma pontuação de 10/11. Pouco tempo depois, ele participou de alguns eventos e chegou a obter um rating performance de cerca de 1900.

Então, um novo desempenho notável aconteceu, de acordo com Carlsen e sua família. No Campeonato Norueguês por Equipes Juniores, em setembro de 2000, ele marcou 3,5 em 5 contra os melhores jogadores do país. Com apenas nove anos de idade, Carlsen alcançou um rating performance de cerca de 2000 no evento.

Em 2002, Carlsen continuou sua trajetória ascendente. Ele ficou em sexto na categoria Sub-12 do Campeonato Europeu Juvenil de Xadrez e, algumas semanas depois, empatou em primeiro lugar na categoria Sub-12 do Campeonato Mundial da Juventude de Xadrez.  No entanto, nos desempates, ele perdeu para Ian Nepomniachtchi, que conquistou o título.

Um ano depois, Carlsen terminou no top 10 dos mesmos dois torneios (Campeonato Europeu e Mundial da Juventude de Xadrez) na categoria Sub-14. Ele garantiu três normas de MI naquele ano, aos 12 anos, para reivindicar seu título em agosto de 2003.

O Segundo GM Mais Jovem da História (2004 a 2009)

Carlsen giving a simultaneous exhibition in 2004
Carlsen jogando uma simultânea em 2004. Foto: Wikipedia Commons, CC 3.0.

O fenômeno norueguês tornou-se conhecido no cenário mundial após seu ano de sucesso em 2004. Carlsen começou vencendo o grupo C no torneio de elite Corus em Wijk aan Zee. Ele fez 10,5/13 e teve um rating performance no torneio de 2702. Foi bom o suficiente para sua primeira norma de GM, e seu desempenho ganhou as manchetes e levou a um patrocínio da Microsoft.

Após obter sua segunda norma de GM um mês depois, Carlsen participou de um torneio de blitz na Islândia. Lá, ele derrotou Karpov, o ex-campeão mundial e muitas vezes reconhecido como um dos 10 melhores jogadores de todos os tempos. No dia seguinte, no torneio de rápido, o garoto de 13 anos foi emparceirado com Kasparov, o então jogador número um do mundo e provavelmente o melhor jogador de todos os tempos.

Notavelmente, Kasparov teve a sorte de escapar com um empate. Carlsen tinha uma posição de comando, mas enfrentava problemas com o tempo. Carlsen perdeu a partida seguinte contra Kasparov, mas suas batalhas contra dois dos maiores jogadores de xadrez foram amplamente divulgadas.

No mês seguinte, em abril, Carlsen conseguiu sua terceira e última norma de GM. Aos 13 anos, quatro meses e 27 dias de idade, Carlsen tornou-se o grande mestre mais jovem do mundo e o segundo grande mestre mais jovem da época (depois de Sergey Karjakin, que ainda detém o recorde exatamente aos 12 anos e sete meses).

Carlsen jogou no Campeonato Norueguês de Xadrez em 2004 e empatou com o atual campeão da época, Berge Ostenstad, em primeiro lugar. Um match de duas partidas para decidir o título resultou em dois empates, e Ostenstad manteve o título nacional porque tinha os desempates superiores no torneio. No ano seguinte, Carlsen novamente empatou em primeiro lugar no evento, desta vez contra seu mentor, Agdestein.

No entanto, uma mudança no formato fez com que o vencedor não pudesse ser decidido com os desempates superiores no torneio (que Carlsen tinha), e a Agdestein venceu Carlsen na sexta partida rápida do desempate para conquistar o título. Carlsen garantiu seu primeiro campeonato norueguês no ano seguinte, em 2006, e foi a última vez que ele participou do evento.

Em 2005, Carlsen ficou em primeiro lugar no Memorial Arnold Eikrem, com 8/9 pontos. O garoto de 14 anos terminou com um ponto à frente dos GMs mais experientes e teve um notável rating performance de 2792 no torneio. Mais tarde, no final de 2005, Carlsen ficou em 10º na Copa do Mundo da FIDE para se tornar o jogador mais jovem a se classificar (aos 15 anos) para o Torneio de Candidatos. Na primeira rodada do torneio de 2007, ele enfrentou o Levon Aronian. Os dois empataram depois de suas seis partidas clássicas e então o Aronian venceu o match nas partidas rápidas do desempate.

Em 2006, Carlsen ficou empatado em primeiro lugar no torneio de Bosna Sarajevo. O evento "double round-robin" (todos contra todos, ida e volta) contou com seis jogadores com um rating médio de 2659. Carlsen, então com 15 anos, alcançou um rating performance de 2696 no evento. Ele venceu o torneio Glitnir Blitz naquele ano, após derrotar Viswanathan Anand e Hannes Stefansson nas semifinais e finais, respectivamente, por uma margem de 2 a 0. Na 37ª Olimpíada de Xadrez, ele marcou 6/8 e teve o quinto maior rating performance do torneio, que contou com 13 jogadores com rating acima de 2700 e 42 GMs com rating mais alto que o do Carlsen.

Carlsen novamente jogou no Biel Grandmaster Tournament em 2007, depois de terminar em último lugar em 2005 e em segundo lugar em 2006. Dessa vez, Carlsen garantiu sua primeira vitória na categoria sub-18 (rating médio de 2676 a 2700). Naquela época, ele esse o seu sucesso mais importante. Carlsen venceu um torneio que incluía quatro jogadores entre os 25 melhores do mundo na época - Teimour Radjabov (9), Alexander Grischuk (14), Judit Polgar (19) e Bu Xiangzhi (25) - com 6/10 pontos e rating performance de 2753.

No início de 2008, Carlsen começou o ano tendo dois torneios com rating performance acima de 2800. O primeiro foi no grupo A do torneio de elite Wijk aan Zee. Dizer que era um torneio forte seria um eufemismo. Onze dos 14 jogadores estavam entre os 16 melhores do mundo, e todos, com exceção de dois, tinham um rating de pelo menos 2700. Carlsen, de 17 anos, empatou com Aronian em primeiro lugar, apesar de ser o 10º no grupo.

E o segundo foi outro evento de elite, o torneio de Linares, que consistia em apenas oito jogadores ranqueados entre os 13 melhores do mundo - Carlsen era o número 13. Ele terminou em segundo lugar com 8/14 pontos, atrás do campeão mundial na época, Anand. Outro destaque em 2008 foi a vitória de Carlsen no torneio Aerosvit, onde terminou invicto com 8/11 pontos e alcançou o melhor rating performance de sua carreira, 2877.

O Mais Jovem a Alcançar os 2800 na História (2009 a 2012)

Em setembro e outubro de 2009, Carlsen teve uma de suas melhores performances no Pearl Spring Chess Tournament. O torneio anual foi um evento double round-robin, que contou com seis super grandes mestres e foi realizado de 2008 a 2010.

Carlsen venceu o torneio de 2009 com 8/10 pontos, terminando 2,5 pontos à frente do melhor jogador do mundo na época, Veselin Topalov.  Mas a história real é o rating performance de Carlsen no torneio: 3001. Esse é o quarto rating performance mais alto em um torneio desde que o sistema de rating Elo foi estabelecido em 1970. Na época, o estatístico de xadrez Jeff Sonas comparou esse desempenho com todos os eventos da história. Ele considerou essa como uma das 20 melhores performances de torneio de todos os tempos e a melhor tida por um adolescente.

O prodígio norueguês de 18 anos de idade, com rating de 2772, aumentou seu rating em 29 pontos ao vencer o Pearl Spring Chess Tournament de maneira espetacular, dando a ele um novo rating de 2801. Isso o tornou o quinto jogador na história a quebrar a barreira dos 2800 e (ainda) o mais novo a fazê-lo.

Em novembro, no mês seguinte, Carlsen venceu o Campeonato Mundial de Blitz. E também não foi por uma margem pequena. Ele fez 31/42 pontos, três pontos à frente do atual campeão mundial (clássico) da época, Anand, que estava três pontos à frente de outro campeão mundial, Vladimir Kramnik (que dividiu o terceiro lugar com Karjakin). O torneio foi um evento double round robin com 22 jogadores e um rating médio de 2718. Carlsen, apenas duas semanas antes de seu aniversário de 19 anos, se tornou o campeão mundial de blitz com um rating performance de 2894.

O notável ano de Carlsen terminou em Londres com o London Chess Classic, um forte torneio para convidados com os principais grandes mestres do mundo. Usando um sistema de pontuação diferente - três pontos por vitória, um por empate e zero por derrota - Carlsen, o jogador número um do mundo, venceu com 13 pontos. Ele não perdeu uma única partida e teve três vitórias no evento com sete rodadas, incluindo uma contra Kramnik, o segundo jogador mais bem classificado no torneio.

Parecia que 2010 traria mais do mesmo. Em janeiro, Carlsen venceu o torneio anual de elite em Wijk aan Zee com 8,5 em 13 pontos. O evento teve um rating médio de 2719 e incluiu Kramnik, Alexei Shirov, Anand e Hikaru Nakamura. Em junho, Carlsen venceu o Bazna Kings 2010, ficando invicto com 7,5/10 e um rating performance de 2918. Ele venceu o torneio com dois pontos à frente de Radjabov e Boris Gelfand.

Então Carlsen sofreu um revés. Na final do Grand Slam Masters em outubro, ele enfrentou Kramnik, Anand e Shirov em um torneio para quatro jogadores com um rating médio de 2789 - o evento com a melhor média de rating na época. Carlsen sofreu duas derrotas e terminou em terceiro, alcançando um rating performance de apenas 2719. Com rating de 2826 no início do torneio, Carlsen caiu para 2802 após o evento e perdeu o posto de jogador número um do mundo. Anand, com rating de 2804, ficou em primeiro lugar.

O próximo passo para Carlsen foi o Pearl Spring Chess Tournament de 2010, que ocorreu dias após o Grand Slam. Carlsen silenciou os críticos que disseram que ele estava distraído do xadrez por outras atividades, como sendo modelo. No único torneio do ano com os três melhores jogadores do mundo - Anand, Carlsen e Topalov - Carlsen terminou em primeiro com 7/10 pontos, um ponto à frente de Anand.

Em novembro de 2010, Carlsen decidiu se retirar do ciclo do Campeonato Mundial. Ainda qualificado como o desafiante mais bem classificado, ele não considera o sistema "suficientemente moderno e justo" e expressa suas convicções em uma carta à FIDE. "Os privilégios do atual campeão, a longa duração (cinco anos) do ciclo, as mudanças feitas durante o ciclo para chegar a um novo formato (Candidatos) que nenhum campeão mundial teve que passar desde Kasparov, critérios de seleção confusos, bem como o conceito de match sem fim, são, na minha opinião, todos argumentos insatisfatórios".

Carlsen terminou o ano com um terceiro lugar no Campeonato Mundial de Blitz e outra vitória no London Chess Classic, que foi considerado o torneio de xadrez mais forte de todos os tempos no Reino Unido. Por dois pontos, Carlsen liderou o evento com um rating médio de 2725, incluindo jogadores como Anand, Luke McShane, Nakamura e Kramnik.

Carlsen vs Anand in 2010 London Chess Classic
Carlsen vs. Anand no London Chess Classic de 2010. Foto: Paweł Grochowalski, CC 3.0.

Depois de ter empatado em terceiro lugar no Wijk aan Zee em janeiro, Carlsen conseguiu algumas vitórias em torneios importantes em 2011. Ele derrotou Karjakin nos desempates para vencer o Bazna Kings de 2011. Depois, no 44º Biel Chess Festival, ele marcou 19/30 pontos, ganhando confortavelmente à frente de Alexander Morozevich, que terminou com 17/30. Alguns meses depois, Carlsen venceu Vassily Ivanchuk no desempates de partidas blitz e venceu a final do Grand Slam Chess. Sua última vitória em torneio naquele ano foi em dezembro, no Memorial Tal, onde terminou à frente de Aronian depois dos desempates.

O destaque daquele ano não foram as performances de Carlsen nos torneios, que foram impressionantes, dada a competição de alto nível em cada evento. É que ele reconquistou o posto número um do mundo. Na lista de ratings da FIDE de julho de 2011, Carlsen ultrapassou Anand. E, desde então, Carlsen continua sendo o jogador com o melhor rating do mundo. (No momento da publicação, Carlsen passou 112 meses como número um, o segundo na história, atrás apenas de Kasparov.)

Carlsen teve outro bom ano em 2012. Em Wijk aan Zee (Tata Steel 2012), ele terminou atrás de Aronian em um segundo lugar junto com Radjabov e Fabiano Caruana. Outro segundo lugar foi no Biel Grandmaster Tournament, desta vez atrás de Wang Hao.

Depois vieram duas vitórias. Na final do Grand Slam Chess, Carlsen conquistou o primeiro lugar depois de derrotar Caruana no desempate de partidas blitz por 2 a 0, terminando à frente do talentoso americano, assim como de Aronian, Anand e Karjakin. Finalmente, em dezembro, Carlsen venceu o London Chess Classic de 2012, sua terceira vitória no torneio. Ele terminou em primeiro em um evento repleto de estrelas que incluía Kramnik, Michael Adams, Nakamura, Anand, Aronian e Polgar.

Após sua performance no London Chess Classic, Carlsen bateu o recorde de rating de 13 anos de Kasparov (2851). Em janeiro de 2013, era oficial na lista de ratings da FIDE. Carlsen obteve um rating de 2861 - o mais alto de todos os tempos.

O 16º Campeão Mundial Indiscutível (2013)

Carlsen começou 2013 com mais uma vitória no Wijk aan Zee. Com 10/13 pontos, igualando o recorde de Kasparov no torneio de 1999, Carlsen terminou 1,5 pontos à frente do segundo colocado Aronian. O jogador número um do mundo também ficou em segundo lugar no torneio inaugural do Norway Chess 2013 e no Memorial Tal. Em setembro, Carlsen terminou um ponto à frente de Nakamura em sua vitória no Sinquefield Cup.

Um mês depois, Carlsen enfrentaria o campeão mundial da época, Anand, pelo título mais importante do xadrez. Antes, porém, em março e abril, Carlsen havia competido no Torneio de Candidatos de 2013 e venceu o evento graças a um desempate melhor do que o jogador número dois do mundo na época, Kramnik. Isso preparou o terreno para Carlsen vs. Anand no Campeonato Mundial de Xadrez de 2013 em Chennai, na Índia. O rating de Carlsen era 2870, enquanto o de Anand, número oito no mundo, era quase 100 pontos mais baixo, 2775.

As quatro primeiras partidas resultaram em empates. Então, na quinta partida, Carlsen optou, de Brancas, pelo roque grande em um Gambito Marshall. Com peças mais ativas e uma melhor estrutura de peões, Carlsen manteve a pressão sobre Anand, que havia perdido um lance importante em um final de torre e bispo para manter o equilíbrio (45...Ta1). Carlsen conseguiu o primeiro resultado decisivo do match e seu ímpeto continuou na partida seguinte. De Negras, o melhor jogador do mundo aproveitou os erros do atual campeão mundial em um final de torre e peão. Após seis partidas, no meio do match, Carlsen assumiu a liderança por 4 a 2.

As duas partidas seguintes foram relativamente calmas. Na sétima partida, Carlsen defendeu bem de Negras na Defesa Berlinesa da Ruy Lopez, levando a um empate. E então, na oitava partida, Carlsen optou pelo 1.e4 pela primeira vez, o que pegou Anand de surpresa. Anand recebeu críticas por jogar a tranquila Defesa Berlinesa, que levou a trocas de peças e uma posição simétrica, resultando em outro empate.

Dada a situação do match, Anand prometeu jogar de forma mais agressiva na partida seguinte. Ele jogou uma linha dura contra a Nimzo-Índia (4.f3), e uma partida emocionante toma forma. Anand perdeu chances de um ataque melhor, enquanto Carlsen defendeu bem. Um erro tardio forçado de Anand o levou à derrota, e o match ficou praticamente fora de alcance para ele. A 10ª partida terminou empatada e encerrou o match com uma pontuação de 6,5 a 3,5.

Carlsen se tornou campeão mundial de xadrez uma semana antes de seu 23º aniversário. Terminando o reinado de Anand, campeão indiscutível de 2007 a 2013, Carlsen se tornou o 16º campeão mundial da história. Ele comemorou pulando em uma piscina totalmente vestido.

World Champion Magnus Carlsen celebrates
O Campeão Mundial Magnus Carlsen comemorando. Foto: T. Svensen.

O jogo dinâmico de Carlsen durante este confronto fez deste match com Anand uma batalha memorável. O Chess.com o classificou em sétimo na lista dos 10 campeonatos mundiais mais emocionantes de todos os tempos.

Conquistando os 2882 e os Títulos Mundias em Todos os Controles de Tempo (2014 a 2019)

Depois de alcançar a conquista mais reconhecível e sem dúvida a mais importante no xadrez, Carlsen aumentou a aposta no ano seguinte em 2014. Começou vencendo o Zurich Chess Challenge 2014, que na época era o torneio mais forte da história. Com um rating médio de 2801, o evento se tornou o primeiro torneio da categoria 23 (2801 a 2825). Um evento preliminar de blitz, que Carlsen venceu, determinou o emparceiramento.

Então chegou a hora do xadrez clássico. Carlsen marcou oito pontos nessa fase, dois pontos à frente do Aronian. Depois das partidas rápidas, que concluíram o evento, Carlsen terminou em quarto lugar, mas, no geral, foi o suficiente para uma vitória, com ponto à frente dos dois em segundo lugar, Caruana e Aronian. Outros participantes foram Nakamura, Anand e Gelfand.

No final de abril, Carlsen venceu o torneio Shamkir Chess 2014. Ele terminou com 6,5/10 pontos, um ponto à frente de Caruana, que terminou em segundo. No mês seguinte, na lista de rating da FIDE de maio de 2014, Carlsen fez história. Ele alcançou o seu maior rating oficial: 2882. Durante o evento Shamkir, sua rating ao vivo atingiu 2889,2 em 21 de abril de 2014. Ambos os números são os mais altos já alcançados no xadrez clássico.

Carlsen não tinha terminado em 2014. Em junho, o Campeonato Mundial de Xadrez Rápido e Blitz da FIDE foi realizado em Dubai. Carlsen marcou 11/15 pontos ao vencer o campeonato mundial de xadrez rápido, meio ponto à frente de Caruana, Anand, Aronian e Morozevich. Dois dias depois, Carlsen marcou 17/21 pontos ao conquistar o campeonato mundial de blitz - um ponto à frente de Nepomniachtchi e Nakamura, que terminaram dois pontos à frente do resto - e conquistou a tríplice coroa (se tornou campeão mundial nos três controles de tempo).

Após a façanha, Kasparov comentou no Twitter: “Carlsen é o mais forte, é claro, mas vencer nos três controles de tempo é como ganhar tênis em terra batida, grama e quadra dura”. Havia pouca dúvida sobre as habilidades do campeão mundial, mas Carlsen teve outro grande evento em 2014 com sua primeira defesa do título (clássico). Anand venceu o Torneio de Candidatos e conquistou uma revanche contra o Carlsen pelo título mundial.

A primeira partida foi um empate com o Carlsen de Negras em uma Defesa Grunfeld. Depois ele conquistou a primeira vitória de Brancas em uma Ruy Lopez com peças mais ativas no final. No entanto, Anand surpreendeu com uma vitória na terceira partida, que foi auxiliada por uma preparação superior de abertura em uma variante aguda do Gambito da Dama Recusado. O ponto de virada do match aconteceu na sexta partida.

Após dois empates, Anand perdeu um tático simples que lhe daria fortes chances de ganhar. Ele errou (depois que Carlsen errou) e perdeu a partida. Mais quatro empates ocorreram enquanto Carlsen desfrutava de sua liderança com um ponto de vantagem. Então, precisando vencer a 11ª partida, Anand conseguiu complicar o meio-jogo, mas não foi suficiente. Carlsen venceu a partida, fechou o match e defendeu seu título no campeonato mundial.  

Carlsen começou o ano seguinte vencendo o Tata Steel 2015 em Wijk aan Zee, com uma única derrota e 9/13 pontos. Ele garantiu uma margem de meio ponto sobre Maxime Vachier Lagrave, Anish Giri, Wesley So e Ding Liren, todos que dividiram o segundo lugar. No mês seguinte, Carlsen continuou com um novo sucesso no Grenke Classic, onde venceu Arkadij Naiditsch no desempate. O dono da tríplice coroa mundial, no entanto, falhou nos próximos dois eventos. Ele frustrou completamente sua audiência na Noruega, ocupando o sétimo lugar, enquanto subia no segundo degrau do pódio do Sinquefield Cup de 2015.

Em outubro de 2015, chegou a hora de Carlsen defender seus títulos mundiais de rápido e blitz. Ele completou com sucesso a primeira metade de sua missão, estabelecendo seu domínio no xadrez rápido com um ponto à frente de Leinier Dominguez Perez, Radjabov e Nepomniachtchi. Este desempenho fez de Carlsen o jogador mais bem ranqueado nas três cadências simultaneamente.

No entanto, foi uma realização temporária. Carlsen começou o segundo e último dia do torneio de blitz empatado com Vachier-Lagrave na liderança, mas vacilou e terminou empatado em sexto lugar. Grischuk ganhou o título mundial de blitz, e Nakamura superou Carlsen (que perdeu 35,6 pontos de rating nesse evento) como o jogador de blitz mais bem ranqueado do mundo.

A próxima onda de torneios de xadrez para Carlsen foi dominante. Ele conquistou uma série de vitórias em vários eventos de nível superior: o London Chess Classic e o Qatar Masters em dezembro de 2015, seu quinto título em Wijk aan Zee com uma performance invicta no Tata Steel Masters em janeiro de 2016, seu primeiro título na Norway Chess em abril de 2016, ele venceu no rápido e blitz (para participar do torneio geral) do Grand Chess Tour de Leuven em junho de 2016 e ganhou o Bilbao Masters com uma rodada de antecedência em julho de 2016.

Em outubro de 2016, Carlsen venceu o GM Blitz Battle Championship do Chess.com ao vencer Tigran Petrosian 21-4, Grischuk 16-8 e Nakamura 14,5-10,5. O match final entre Carlsen e Nakamura bateu recordes de audiência e inscrições no Chess.com.

O próximo desafio de Carlsen foi o seu segundo match defendendo o título do campeonato mundial. Seu match no Campeonato Mundial de Xadrez de 2016 foi contra Karjakin, que havia vencido a Copa do Mundo FIDE 2015 e eliminado Caruana no Torneio de Candidatos de 2016. Os empates ocorreram até a oitava partida, quando Karjakin conseguiu a primeira vitória de Negras - Carlsen não participou da coletiva de imprensa após a partida. Na 10ª partida, Carlsen igualou o placar após longas manobras no final de torres.

Mais dois empates se seguiram, empurrando o match para o desempate de partidas rápidas. Na terceira partida do desempate, Carlsen pressiona com um forte ataque a Ruy Lopez e finalmente consegue tirar vantagem. Ele venceu esta partida e jogou solidamente a partida seguinte, que Karjakin precisava vencer, mas se esforçou demais e errou, dando a Carlsen outra vitória. Ao vencer o desempate, Carlsen defendeu mais uma vez seu título de campeão mundial. O Chess.com o classificou como o nono match mais emocionante de todos os tempos do campeonato mundial.

Game 1 of World Chess Championship 2016
Primeira partida no Campeonato Mundial de Xadrez de 2016. Foto: Vladimir Barskij, CC 3.0.

Carlsen teve um ano de altos e baixos em 2017. No início, ele ficou em segundo lugar em dois eventos: no Tata Steel 2017 e no Grenke Chess Classic. Seguido de uma semana de pesadelo, em junho de 2017, no Norway Chess, quando terminou em nono entre 10 jogadores e tendo seu pior rating performance em torneios (2670) desde novembro de 2015. Carlsen imediatamente se recuperou vencendo Vachier-Lagrave em um desempate para conquistar o Grand Chess Tour de Paris e, alguns dias depois, jogou no Grand Chess Tour de Leuven.

Com uma pontuação acumulada de 25,5 pontos no rápido e blitz, ele vence a competição. A chave para seu domínio veio de sua atuação no blitz (14,5/18), descrita como fenomenal por Kasparov. O rating performance de Carlsen no blitz aumentou para 3018. De acordo com o colunista do The Guardian, Leonard Barden, "apenas a vitória esmagadora de Bobby Fischer no mundial de blitz de 1970 pode competir com a demonstração do norueguês".

Duas performances decepcionantes depois (no Sinquefield Cup e na Copa do Mundo de 2017), Carlsen finalmente conquistou sua primeira vitória em torneio clássico em 435 dias, vencendo o Torneio Internacional Isle of Man do Chess.com, em outubro de 2017. Ele terminou com 7,5/9 pontos no torneio de elite, o que o colocou à frente de Anand e Nakamura por meio ponto.

Em dezembro, Carlsen empatou em terceiro lugar no London Chess Classic, mas foi o suficiente para vencer o Grand Chess Tour de 2017 devido a suas performances nas etapas de Paris e Leuven. O ano de Carlsen terminou com o Campeonato Mundial de Xadrez Rápido e de Blitz de 2017. Ele teve uma exibição difícil no primeiro evento, terminando em quinto no Campeonato Mundial de Xadrez Rápido. No entanto, ele recuperou o título no Campeonato Mundial de Xadrez Blitz com uma rodada de antecedência, superando em 1,5 pontos os concorrentes Karjakin e Anand que ficaram em segundo lugar.

Carlsen holding his trophy, with Anand (bronze) next to him.
Carlsen segurando seu troféu com Anand (bronze) próximo à ele. Foto: Maria Emelianova/Chess.com.

O primeiro trabalho de Carlsen em 2018 foi finalizar o Speed Chess Championship de 2017 - segunda edição do evento no Chess.com. Começando em outubro de 2017, ele derrotou Gadir Guseinov 20,5-5,5, So 27,5-9,5 e Grischuk 15,5-10,5. No início de janeiro de 2018, Carlsen enfrentou Nakamura mais uma vez na final e o venceu novamente, desta vez com uma pontuação de 18-9.

Carlsen teve uma série de performances impressionantes até chegar aos eventos do campeonato mundial em novembro e dezembro. Elas incluíram a conquista de uma sexta vitória recorde no Tata Steel 2018 em Wijk aan Zee, a vitória do campeonato de xadrez não oficial de Fischer Random (xadrez960), o segundo lugar no Grenke Chess Classic, vitória no Shamkir Chess, o segundo lugar no Biel Chess Festival e o empate em primeiro lugar no Sinquefield Cup 2018.

Em novembro, Caruana desafiou Carlsen no Campeonato Mundial de Xadrez de 2018. Foi uma luta equilibrada durante a maioria das 12 partidas, que terminaram todas empatadas. Na 12ª partida, Carlsen foi criticado por oferecer empate em uma posição melhor, mas depois ele explicou que estava confiante em sua capacidade de vencer no desempate. O atual campeão mundial estava certo. Carlsen venceu o Campeonato Mundial de Xadrez de 2018, depois de vencer as três partidas rápidas. Isso marcou a sua terceira defesa bem-sucedida do título mundial.

Dezembro aconteceu novamente os Campeonatos Mundiais de Rápido e Blitz. Como no ano anterior, Carlsen falhou no primeiro e venceu o segundo. Ele terminou em quinto no Campeonato Mundial de Xadrez Rápido de 2018 e venceu o Campeonato Mundial de Xadrez Blitz de 2018 invicto com 17/21 pontos.

All medal winners of World Rapid & Blitz Together.
Todos os medalhistas do Campeonato Mundial de Xadrez Rápido e Blitz juntos. Foto: Maria Emelianova/FIDE.

Carlsen começa 2019 com - mais uma vez - resultados impressionantes. Ele eleva para sete o número de seus títulos em Wijk aan Zee e claramente domina o Memorial Gashimov, com dois pontos à frente de seus adversários, margem sem precedentes por 4 anos e meio. A performance de Carlsen no torneio foi 2988.

Outras vitórias se seguiram, incluindo o Grenke Chess Classic, o Côte d'Ivoire Rapid & Blitz, o torneio Lindores Abbey Chess Stars, o Norway Chess e o Grand Chess Tour da Croácia. A última vitória marcou a oitava vitória consecutiva em torneio de alto nível de Carlsen, como resultado de seu jogo forte, o número um do mundo retornou ao seu rating mais alto oficialmente em agosto de 2019: o estratosférico 2882!

Presente e Futuro

Carlsen continua a dominar o cenário internacional. Assim que ele participa de um torneio, esperamos sua vitória e é raro ele decepcionar seus torcedores. Suas performances e recordes, tanto em torneios clássicos quanto em rápidos e blitz são tão numerosos que não sabemos mais o que esperar de uma lenda viva do xadrez que ainda não comemorou seu 30º aniversário.

No entanto, Carlsen continua a provar que as pessoas estão erradas. No momento da publicação, em outubro de 2019, ele alcançou outra conquista notável - uma sequência invicta de 101 partidas clássicas no FIDE Chess.com Grand Swiss. Essa é mais uma conquista a ser adicionada à coleção de Carlsen.

Carlsen joins the Chess.com commentary team on day three after advancing to the championship final.
Carlsen se junta ao time de comentaristas do Chess.com no terceiro dia depois de avançar para a final do campeonato. Foto: Maria Emelianova/Chess.com.

De fato, a coisa mais extraordinária sobre Carlsen é que ele realizou tanto em tão pouco tempo e que ele sempre parece pronto para novas explorações. Como poderia ser isso? Talvez um novo recorde de longevidade como campeão mundial, mais e mais títulos mundiais em rápido e blitz, talvez sucessos futuros em variantes emergentes como Fischer Random, mais títulos em torneios de elite como em Wijk aan Zee ou na Noruega, um reinado interminável como número um do mundo. Por que não sonhar em atravessar a barreira dos 2900? De qualquer forma, as pessoas do mundo inteiro estão esperando apenas uma coisa, serem as testemunhas privilegiadas das próximas obras-primas de Magnus Carlsen.

Melhor Partida


Aberturas Mais Jogadas

Partidas