Artigos
Conheça o desafiante: Ian Nepomniachtchi
GM Ian Nepomniachtchi no Torneio de Candidatos da FIDE 2020-2021. Foto: Maria Emelianova/FIDE.

Conheça o desafiante: Ian Nepomniachtchi

SavelijTartakover
|
23 | Jogadores de Xadrez

É surpreendente ver como todos os campeões mundiais contemporâneos nasceram em algum lugar nos arredores do império gigante, e não em suas maiores cidades e centros de xadrez, como Moscou ou Leningrado. O GM Anatoly Karpov nasceu em Zlatoust, distrito de Chelyabinsk, na região dos Urais. Baku, a capital do Azerbaijão, cidade natal do GM Garry Kasparov, teve apenas alguns jogadores fortes na sua época. O GM Vladimir Kramnik nasceu em Tuapse, uma cidade turística não muito longe de Simferopol, a cidade natal do GM Sergey Karjakin, desafiante do Campeonato Mundial de 2016.

O GM Ian Nepomniachtchi (conhecido como "Nepo") segue essa tendência, talvez causada pelo fato do xadrez ser muito popular em todos os cantos dos ex-países soviéticos. Ele nasceu em 14 de julho de 1990, em Bryansk, uma antiga cidade de 400.000 habitantes localizada a 350 quilômetros de Moscou.


O começo

30 anos atrás, o xadrez estava em alta em Bryansk. Evgeny Gleizerov se tornou o primeiro GM local, e o famoso técnico IM Valery Zilberstein mudou-se de Novosibirsk para lá. Essas sementes logo deram frutos - um prodígio com olhos brilhantes e inteligentes e uma erudição surpreendente. Não foi uma surpresa: o avô de Nepomniachtchi era um educador famoso na região e um poeta lírico. Ian aprendeu as regras do xadrez antes dos cinco anos e, aos sete, conquistou alguns triunfos.

Ian teve a sorte de ter o FM Valentin Ekimenko como tutor, que ficou fascinado com seu aluno. Ele acompanhou Ian a vários torneios e passou a maior parte do tempo disponível com ele. O progresso do menino foi constante: jogador de primeira categoria, candidato a mestre, primeiras vitórias contra mestres e assim por diante.

O desafiante do Campeonato Mundial de 2021, Ian Nepomniachtchi, junto com o 12º campeão mundial, Anatoly Karpov.

Ekimenko logo percebeu que a estrela em ascensão precisava de um treinador melhor e o recomendou a Valery Zilberstein, que faleceu em 2005, mas treinou Ian durante seus anos de formação. Em agradecimento, o aluno organiza o torneio anual Memorial Zilberstein, em Bryansk. As primeiras edições foram organizadas em escala moderada, já que o próprio Nepomniachtchi oferecia a premiação, mas a última contou com o apoio do governo regional. Desta forma, o Memorial Zilberstein de 2021 tornou-se um dos eventos mais importantes do calendário nacional de xadrez. Mas vamos voltar à juventude de Nepo.

Campeonatos juvenis

Nepomniachtchi logo se tornou campeão europeu e mundial juvenil, apesar de ter competidores excepcionalmente fortes também nascidos em 1989-1991. Apenas Karjakin desenvolveu muito cedo e preferiu os torneios para adultos, evitando as competições juvenis. A lista com o resto das estrelas era incrível: Magnus Carlsen, Maxime Vachier-Lagrave, Dmitry Andreikin, Wang Hao, Le Quang Liem e Sergey Zhigalko, todos eventualmente se tornaram GMs muito fortes. O amigo de Ian, GM Ildar Khairullin, também era um talento muito promissor nessa época.

A nível nacional, Ian foi treinado pelo técnico da equipe juvenil russa, GM Sergey Janovsky, que tinha a habilidade rara e inestimável de encontrar patrocinadores. Ian diz que Janovsky não era apenas seu treinador, mas também seu amigo. Janovsky ainda apoia seu aluno favorito como treinador principal das equipes russas.

Encontro com Magnus

Nepomniachtchi e Carlsen se encontraram pela primeira vez em 2002, na quinta rodada do Campeonato Europeu Sub-12, em Peniscola, Espanha. Nepomniachtchi era um dos favoritos com um rating de 2344 (apenas Vachier-Lagrave tinha rating maior com 2359 pontos; Khairullin tinha 2339; Andreikin tinha 2332), enquanto o menino norueguês era o azarão: tinha apenas 2250. Carlsen surpreendeu seu oponente com a Defesa Alekhine. Sua posição era melhor, mas ele errou e Ian não perdeu essa chance. Na classificação final, Nepomniachtchi e Carlsen empataram em primeiro lugar, com nove pontos cada, mas o desempate favoreceu Ian.

No ano seguinte, eles jogaram uma partida decisiva em Khalkidhiki, na Grécia, na última rodada do Campeonato Mundial Sub-14. O vencedor se tornaria o campeão, enquanto o perdedor não receberia nem uma medalha. Naquela época, Carlsen tinha 2450 de rating - já um pouco mais do que os 2447 de Nepomniachtchi - e jogou de forma mais agressiva. Carlsen sacrificou um peão para obter a iniciativa, depois uma qualidade para manter o fogo e depois mais outra qualidade. Ainda assim, Nepomniachtchi conseguiu manter a cabeça fria, refutou o ataque e acabou vencendo.

Na época, Nepomniachtchi era frequentemente mencionado na imprensa russa e considerado a estrela mais brilhante do xadrez da sua geração. Janovsky encontrou os melhores treinadores para os treinos de Ian. O jovem aprendeu muito com o famoso IM Mark Dvoretsky, o explorador dos labirintos mais profundos dos finais, e com o GM Sergey Shipov, o companheiro de treinamento de Kasparov. Ian ainda usa as ideias de abertura de Shipov, como a Defesa Grunfeld e a Defesa Francesa, além de outras aberturas combativas.

Etapa seguinte

Nepomniachtchi quase venceu o Campeonato Russo Sub-18 aos 12 anos (algo que apenas Kasparov e o GM Gata Kamsky podem se orgulhar)! Na última rodada, ele atacou ferozmente o líder do torneio, GM Igor Kurnosov (em 2013, ele morreu tragicamente em um acidente de trânsito). Kurnosov estava com pouco tempo, mas Ian errou ao trocar as damas e não conseguiu parar o peão ágil do seu oponente. O menino começou a chorar e jogou as peças do tabuleiro: ele ficou muito emotivo com o fracasso, embora tenha sido apenas um pequeno obstáculo em sua trajetória vertiginosa.

GM Ian Nepomniachtchi 2021 WCC
Nepomniachtchi no Dortmund em 2008. Foto: GF Hund, CC.

Ian jogou anualmente os torneios ''World Youth Stars'' realizados em Kirishi e venceu a primeira (em 2003) e a quinta (em 2007) edições deste forte evento (apenas Carlsen não pôde participar devido ao seu calendário escolar). Em 2004, Nepo participou pela primeira vez da Liga Superior do Campeonato Russo e empatou o placar contra Kurnosov.

A primeira vez que joguei com Nepomniachtchi foi online. Ele estava no topo do ranking do Chessplanet e do PlayChess. Esses primeiros sites de xadrez não podem nem mesmo se comparar ao Chess.com no número de membros, na magnitude dos eventos ou na variedade das suas ferramentas e funções. Mas naquela época, muitos jogadores passavam dias e noites lá.

Primeiras aberturas

Lembro-me perfeitamente de que estávamos conversando no Chessplanet e Ian me mostrou uma armadilha que aprendeu com Igor Zaitsev, um dos treinadores de Karpov. Sim, o cientista-chefe do laboratório de abertura do campeão mundial também treinou o Nepo.

Nem todas as ideias de aberturas de Nepomniachtchi resistiram ao teste das engines, mas ele tinha uma abordagem única e muito criativa. Por exemplo, sempre fiquei surpreso com a forma como ele joga contra a Defesa Francesa:

Então, a torre branca move-se para h3 e, de repente, Nepomniachtchi inicia um ataque poderoso! Ele jogou muitas partidas amistosas com esta variante e mais tarde até mesmo derrotou o GM Ding Liren duas vezes (em partidas rápidas).

O grande ano

Em 2006, conheci Nepomniachtchi pessoalmente no Aberto de Moscou. Seu comportamento era incrível - ele parecia saber de tudo e não perdia tempo pensando. Como o GM Viswanathan Anand em sua juventude, ele nem mesmo consumia o tempo do incremento e costumava acumular mais de duas horas no final da partida, enquanto seu oponente teve que sofrer com o apuro de tempo duas vezes. No entanto, ele não fez um bom torneio. Nepomniachtchi não conseguiu encontrar um brilhante sacrifício de dama na partida contra Evgeny Najer e, portanto, não conseguiu ficar entre os premiados.

GM Ian Nepo 2021 WCC
Nepomniachtchi em 2010. Foto: B. Marko, public domain.

Ainda em 2006, o jovem jogador jogou com confiança na Liga Superior do Campeonato Russo, derrotou os GMs Pavel Smirnov e Mikhail Kobalia no final do evento e se classificou para a Superfinal do Campeonato Russo! Na Superfinal, venceu três partidas e perdeu quatro, provando ser um jogador criativo e lutador. Na última rodada, ele jogou uma partida com mais de 100 lances contra o GM Evgeny Alekseev, que acabou se tornando o campeão. Nepomniachtchi tentou vencer um final sem peões, obviamente empatado, com um bispo e um cavalo contra um cavalo. Isso diz muito sobre seu vigor e determinação. Nepomniachtchi joga para vencer com qualquer cor e não se encontram muitos empates curtos e enfadonhos entre suas partidas.

Em sua juventude, o GM Alexander Khasin, capitão da equipe Tomsk-400, havia sido aluno do técnico de Nepomniachtchi, Zilberstein. Assim, em 2006, ele foi convidado a jogar como tabuleiro reserva ao lado dos GMs Levon Aronian, Alexander Morozevich, Dmitry Jakovenko, Victor Bologan e Vladislav Tkachiev. Essa equipe estelar conquistou o bronze no campeonato da Rússia e o ouro na Copa Européia de Clubes. Neste último torneio, Nepomniachtchi fez 4/4 - um grande exemplo da capacidade que tinha de marcar pontos para a sua equipe. Mais tarde, ele jogou por vários clubes de Moscou, Saratov, Novosibirsk, Cheboksary e Ecaterimburgo como o líder da equipe, mostrando sua resiliência em partidas decisivas.

Em 2007, Nepo ficou em segundo lugar no torneio Tata Steel, atrás do experiente GM Michal Krasenkow, mas à frente dos GMs Emanuel Berg, Parimarjan Negi, Hou Yifan e outros fortes jogadores. Naquele ano, ele se tornou GM e um jogador com mais de 2600 de rating. Nada mal, mas Carlsen já estava jogando em torneios de elite.

Nepo se classificou para seu primeiro torneio de elite conquistando o primeiro lugar no Aeroflot Open em 2008. Lembre-se de que todo ano o vencedor do Aeroflot Open recebe automaticamente um convite para o torneio Dortmund Sparkassen.

Nepo começou com 3/3, derrotou o GM Aleksey Dreev e terminou como o único vencedor com 7/9. Na última rodada, ele derrotou o GM Le Quang Liem. O vencedor foi um gênio no tabuleiro e um brincalhão na vida. Pude ver com meus próprios olhos como Khairullin e Nepo deliberadamente colocaram as notas de maior valor nas máquinas de venda automática, produzindo assim uma enxurrada de moedas que caíam da saída de troco, enquanto riam e gritavam “Jackpot! Ganhamos uma bolada!"

Dortmund foi a primeira chance de Nepomniachtchi de enfrentar muitos dos jogadores de elite: Kramnik, Shakhriyar Mamedyarov, Vassily Ivanchuk e Peter Leko! Ian terminou invicto, derrotando o GM Loek van Wely e dividindo o segundo lugar.

Distrações

Agora, caro leitor, você pode perguntar o óbvio: por que, apesar de tais conquistas, o talentoso GM russo não foi o centro das atenções por tantos anos? Por que ele só se tornou um jogador de elite muito depois do Carlsen, a quem costumava derrotar em torneios juvenis? Acho que o motivo era o fascínio de Ian por jogos de computador. Naquela época, o ataque digital à humanidade era imparável.

Lembro-me bem do Campeonato Russo da Liga Superior, organizado em Novokuznetsk pelo IM Maxim Ivakhin, em 2008. As acomodações e a alimentação eram muito boas, mas não havia wi-fi nos quartos, embora os jogadores pudessem usar de graça algumas estações de trabalho na sala de informática do hotel.

Nepomniachtchi não era apenas um visitante frequente da sala: ficava ali o tempo todo jogando Dota 2, exceto quando precisava jogar o torneio e se preparar um pouco. É verdade que estávamos em uma cidade sombria da Sibéria e dificilmente havia outro meio de entretenimento civilizado. Além disso, eu também não sabia que Nepomniachtchi, também conhecido como FrostNova, era um dos mais famosos jogadores russos de Dota e membro da equipe TR Cybersport, que logo venceria o prestigioso evento ASUS Cup Winter.

Know The Challenger
Nepomniachtchi comentando uma partida do Dota 2 em 2018. Imagem: Dota2RuHub.

Mesmo assim, Ian começou com 3,5/4 e parecia que ele poderia facilmente se classificar para a Superfinal, mas ele ficou exausto no final do torneio e terminou com 50% dos pontos. O Dota interferiu no seu xadrez? É difícil julgar, mas definitivamente não ajudou.

Desenvolvimento contínuo

Insatisfeito com o resultado, Ian foi para Serpukhov disputar a Copa da Rússia. Ele avançou três rodadas com sucesso, mas perdeu nas quartas de final para o GM Nikita Vitiugov. No ano seguinte, 2009, Nepo chegou à final da Copa da Rússia, mas perdeu para o GM Evgeny Bareev.

Não foi um período brilhante da carreira de Ian, mas foi o início do seu trabalho com o forte GM, campeão europeu, teórico erudito e amigo empático, Vladimir Potkin. A dupla foi invencível no Aeroflot 2008, mas em 2010 suas conquistas alcançaram outro patamar. Nepomniachtchi sagrou-se campeão europeu em Rijeka, Croácia. Com um desempenho impressionante de 9 em 11, ele terminou o torneio com vitórias contra o GM Baadur Jobava e o GM Vladimir Akopian.

Em 2010, Nepomniachtchi viajou para Irkutsk para participar da Liga Superior do Campeonato Russo; com rating acima de 2700, ele conseguiu o primeiro lugar sem grandes dificuldades. Ele fez sua estreia pela Rússia na Olimpíada de Khanty-Mansiysk, jogando no primeiro tabuleiro da segunda equipe juvenil. (Anteriormente, ele só havia jogado pela Rússia em partidas anuais contra a China e outras competições amistosas). Embora Ian tenha conquistado a medalha de bronze no primeiro tabuleiro, sua equipe não conseguiu conquistar uma medalha, porque o desempenho foi prejudicado pela derrota contra a França, com a participação do GM Sebastian Feller, que mais tarde foi desclassificado por trapacear.

Novas experiências

No outono de 2010, Nepomniachtchi mudou-se para Moscou e ingressou na Universidade Estatal Russa (RSSU), onde mais tarde se formou com louvor. No final do ano, ele ganhou sua primeira Superfinal do Campeonato Russo ao derrotar Karjakin, outro aluno da RSSU, nos desempates.

Em 2011, Nepomniachtchi tinha o impressionante rating de 2733. Ele foi convidado para o torneio Tata Steel, onde poderia enfrentar os campeões mundiais Anand e Kramnik, o número um do mundo, Carlsen, assim como Aronian, Vachier-Lagrave, Hikaru Nakamura, Anish Giri e outras estrelas. Nepomniachtchi fez 6/13, mas mostrou ser um adversário difícil para Carlsen, vencendo de Negras. Em uma entrevista para "64 - Chess Review" (a principal revista de xadrez da Rússia), Ian atribuiu seu sucesso a Potkin, que adivinhou a abertura como um vidente. Mas foi Nepomniachtchi quem jogou com muita energia no momento crítico.

Inconsistências

Esse foi o início de sua longa jornada rumo ao topo da elite mundial do xadrez. Os fãs apoiaram Nepomniachtchi como um maximalista e um gladiador que sempre ofereceu uma boa luta, mas ele tinha bons resultados tão frequentemente quanto resultados muito ruins. Em boa forma, ele poderia bater recordes e dizimar os melhores jogadores, mas seu rating subia e descia como uma onda. Era muito frustrante ver que as fases baixas das ondas frequentemente coincidiam com eventos de classificação para o Campeonato Mundial.

Como jogador da equipe russa, Nepomniachtchi conquistou o Campeonato Europeu e o Mundial, além de duas medalhas olímpicas de bronze (em 2016 e 2018). Às vezes, a seleção era até criticada por sua tática "Pênalti do Nepo'': os jogadores dos outros três tabuleiros contentavam-se com o empate, enquanto Nepomniachtchi tentava vencer de Brancas e costumava ter sucesso, principalmente quando estava em boa forma.

Know The Challenger Ian Nepomniachtchi Nepo
Nepomniachtchi na Olimpíada de 2018. Foto: Maria Emelianova/Chess.com.

Na época, havia a regra de "tolerância zero", quando um jogador perdia a partida se atrasasse, mesmo que por um segundo. Uma vez, no Campeonato Mundial por Equipes, Nepomniachtchi quase perdeu uma partida por ter dormido demais. Ele se vestiu no elevador, correu para o salão de jogos e chegou bem a tempo de fazer um lance, faltando apenas alguns segundos para o fim do prazo. Ainda assim, Nepomniachtchi varreu seu oponente para fora do tabuleiro.

Em 2013, Nepomniachtchi dividiu o primeiro lugar no Campeonato Europeu e na Liga Superior da Rússia, fez um bom torneio no Campeonato Mundial de Rápido e Blitz, e dividiu o primeiro lugar na Superfinal do Campeonato Russo com o GM Peter Svidler (embora mais tarde tenha perdido nos desempates).

Dificuldades na Copa do Mundo

No entanto, o evento mais importante foi um desastre para ele. Na primeira rodada da Copa do Mundo de 2013, Nepomniachtchi perdeu por 0,5 a 1,5 para o GM Wei Yi, na época um jovem chinês relativamente desconhecido com apenas 2551 de rating. Andreikin, rival do Ian nos campeonatos juvenis, chegou à final contra Kramnik e se classificou para o Torneio de Candidatos. Carlsen, aquele cara da Noruega que foi derrotado por Ian na infância, conquistou o Campeonato Mundial ao destronar Anand.

Em 2014, Nepomniachtchi foi vice-campeão do Campeonato Mundial de Blitz. Em 2015, ele venceu o Aeroflot Open e teve um início relativamente melhor na Copa do Mundo daquele ano. Nepomniachtchi chegou à terceira rodada, e enfrentou Nakamura até o Armagedom. O mundo inteiro assistiu Nakamura rocar movendo a torre antes do rei e depois vencer a partida. Nepomniachtchi apresentou uma reclamação, mas o comitê de apelação, presidido pelo Chefe da União Européia de Xadrez, GM Zurab Azmaiparashvili, rejeitou seu protesto. O jogador russo parecia Sísifo, forçado a carregar a pedra de volta ao topo. A Copa do Mundo em Baku foi conquistada por outro colega de Ian, Karjakin, que mais tarde se classificou para o match contra o Carlsen.

2016 foi um bom ano para Nepomniachtchi, que ficou em primeiro lugar no torneio Hainan Danzhou e no Memorial Tal em Moscou. Em 2017, Nepomniachtchi retomou sua tentativa de se classificar para o Torneio de Candidatos, participando tanto da Copa do Mundo quanto do Grand Prix da FIDE.

Ele jogou bem nas etapas de Sharjah e Genebra do Grand Prix, mas um fraco desempenho em Moscou o derrubou para o nono lugar na classificação final. Sua participação na Copa do Mundo, agora disputada em Tbilisi, foi encerrada novamente na terceira rodada. Ele pendurou uma torre no desempate contra Jobava e abandonou a partida após a captura. Esses infortúnios podem arruinar a confiança e a motivação de qualquer atleta, mas Nepomniachtchi se preparava para uma nova ascensão.

Enquanto isso, ele continuou a ser, talvez, o adversário mais desconfortável para o campeão mundial. Ele venceu Carlsen pela quarta vez no London Chess Classic, em 2017. Desta vez, o norueguês ajudou bastante. Em uma posição igualada, ele sacrificou um peão pela iniciativa e depois pendurou uma peça. Foi apenas no Grand Chess Tour da Croácia de 2019 que Carlsen finalmente conseguiu sua primeira (e única até agora) vitória sobre Nepomniachtchi.

No verão de 2018, antes de sua nova campanha pelo campeonato, Nepomniachtchi venceu o Memorial Gideon Japhet, em Jerusalém, e o torneio Dortmund Sparkassen, enquanto Kramnik, que havia vencido o torneio dez vezes, ficou para trás. Esta foi uma mudança notável de gerações. Em seguida, o 14º campeão mundial encerrou sua carreira profissional, deixando Nepomniachtchi como o líder do xadrez russo.

A Copa do Mundo de 2019 confirmou que o formato de eliminatórias não combinava com ele. Seu rating era 2776, teve um emparceiramento razoável, avançou três rodadas sem muitos problemas, mas tropeçou contra o GM Yu Yangyi nas oitavas de final.

Outro caminho de classificação foi mais bem-sucedido para Ian, mesmo tendo sido um formato de eliminação novamente. Nepomniachtchi venceu duas etapas do Grand Prix da FIDE, em Moscou e Jerusalém, e recebeu o convite tão esperado para o Torneio de Candidatos! Um evento que, aliás, será lembrado como um dos mais inusitados da história do xadrez.

Candidato e desafiante

O Torneio de Candidatos começou em março de 2020 em Ecaterimburgo. No entanto, a segunda metade foi adiada por causa da pandemia do COVID-19. Na primeira metade, Nepomniachtchi fez 4,5/7, dividindo o primeiro lugar com Vachier-Lagrave, que derrotou o candidato russo na 7ª rodada.

A pausa durou mais de um ano. Enquanto o mundo buscava uma cura ou pelo menos uma vacina para deter a doença, os candidatos procuravam manter a forma no xadrez. O GM Wang Hao não estava apto para essa tarefa, perdeu muitas partidas na segunda metade e afirmou que sua carreira no xadrez havia acabado! Jogadores brilhantes como Vachier-Lagrave, Caruana e Ding também não jogaram o seu melhor. Mas agora estamos um pouco à frente na história.

Know The Challenger Ian Nepomniachtchi
Nepomniachtchi durante a primeira metade do Torneio de Candidatos 2020-2021. Foto: Maria Emelianova/FIDE.

Durante o lockdown, Nepomniachtchi jogou em muitos torneios online e ganhou o ouro junto com a equipe russa na primeira Olimpíada Online da FIDE, disputada no Chess.com. No Champions Chess Tour, Ian derrotou o campeão mundial em algumas ocasiões; o resultado geral entre eles foi, no entanto, favorável ao norueguês. Em uma entrevista, Nepomniachtchi disse que havia definido uma tarefa específica para esses torneios online: parar de fazer lances antes de pensar. Esse comportamento custou muito a ele no passado.

Nepomniachtchi revelou seu amor não só pelo xadrez, mas também por "O quê? Onde? Quando?", um programa de perguntas e respostas extremamente popular na Rússia. Ele jogou no formato aberto e recentemente também participou de um programa de TV; também apresentou uma série de partidas temáticas de xadrez no canal russo do Chess.com no YouTube, junto com a GM Aleksandra Kosteniuk e o GM Evgeny Tomashevsky.

No final de 2020, Nepomniachtchi venceu a Superfinal do Campeonato Russo, seu único torneio presencial durante a pausa de um ano do Candidatos, tornando-se campeão nacional pela segunda vez em sua carreira e mostrando que está pronto para desafios sérios.

Nepomniachtchi em uma entrevista na Superfinal do Campeonato Russo. Foto: Maria Emelianova/Chess.com

O match

O Torneio de Candidatos finalmente foi retomado em abril de 2021. Nepomniachtchi venceu o torneio com uma rodada de antecedência e ganhou o direito de desafiar Carlsen pelo Campeonato Mundial em novembro de 2021.

Know The Challenger Ian Nepomniachtchi
Nepomniachtchi mostra sua medalha de primeiro lugar no final do Torneio de Candidatos 2020-2021. Foto: Lennart Ootes/FIDE.

Já aconteceu, alguma vez na história do xadrez, de um jogador considerado talvez o rival mais perigoso do campeão finalmente conseguisse desafiá-lo após oportunidades perdidas? Há alguns exemplos: o GM Boris Spassky, o maior prodígio soviético, que enfrentou o GM Tigran Petrosian duas vezes após várias tentativas fracassadas - um fato que pode ter impedido Spassky de alcançar o mesmo que seu colega Mikhail Tal: tornando-se o mais jovem campeão mundial. Ou Kramnik, que disputou seu match contra Kasparov sob os auspícios e caprichos da toda-poderosa Caissa; Anand e Kamsky, as outras estrelas daquela geração, já haviam experimentado esse tipo de match muito antes. Mas foi Kramnik, que havia perdido várias vezes antes, quem conseguiu derrubar Kasparov.

O próprio destino guiou o mundo do xadrez em direção ao match do Campeonato da FIDE entre Carlsen e Nepomniachtchi e, finalmente, ele acontecerá!