Os Melhores Jogadores de Xadrez do Mundo

Alexander Alekhine

Nome completo
Alexander Alekhine
Vida
Oct 31, 1892 - Mar 24, 1946 (idade 53)‎
Local de nascimento
Moscou, Império Russo
Federação
Rússia

Biografia

Alexander Alekhine é facilmente um dos melhores jogadores de xadrez de todos os tempos. Ocupando um lugar na lista de muitas pessoas como um dos top 10, o quarto campeão mundial oficial manteve o título por 17 anos, atrás somente de Emanuel Lasker. Ele foi o único campeão a morrer com o título ainda sendo seu.

O brilho do xadrez de Alekhine se estendeu a todos os aspectos do tabuleiro e além. Ele é mais conhecido por sua habilidade tática e capacidade de produzir combinações em situações complexas. No entanto, Alekhine também foi superior em posições tranquilas e em finais. Sua influência na teoria também é inegável. Várias variações de abertura levam seu nome, sendo a mais notável a Defesa Alekhine (1. e4 Cf6). Alekhine escreveu mais de 20 livros sobre xadrez, e dois deles são mencionados regularmente entre os melhores livros de xadrez de todos os tempos.

Juventude e Início da Carreira no Xadrez

Alekhine aprendeu a jogar xadrez quando tinha seis ou sete anos de idade. No entanto, ele não se envolveu muito no jogo até alguns anos depois, quando assistiu a exibição de uma simultânea às cegas envolvendo seu irmão mais velho. Naquele dia, o principal jogador americano, Harry Nelson Pillsbury, quebrou seu próprio recorde de xadrez às cegas (21 oponentes) ao jogar contra 22 oponentes - com 17 vitórias, uma derrota e quatro empates - o que inspirou o jovem Alekhine a superar essa façanha.

Aos 12 anos, Alekhine podia jogar às cegas. Um ano depois, em 1905, ele jogou em torneios por correspondência e desenvolveu suas habilidades rapidamente. Levou apenas mais alguns anos para alcançar seu primeiro grande sucesso. Em 1909, Alekhine conquistou o primeiro lugar no Torneio Amador Russo. Agora um dos melhores jogadores da Rússia, Alekhine mostrou sinais de ser um jogador de classe mundial nos anos seguintes. Em 1910, ele venceu os torneios de Outono e Inverno do Clube de Xadrez de Moscou, fez sua primeira exibição em simultânea (15 vitórias, uma derrota e seis empates) e empatou em sétimo dos 16 jogadores no torneio de elite de Hamburgo, atrás de Carl Schlechter, Frank Marshall e Aaron Nimzowitsch. No ano seguinte, ele jogou em outro evento de elite, o torneio de Carlsbad 1911, terminando em 11º dos 26 jogadores, atrás de grandes nomes como Akiba Rubinstein, José Raúl Capablanca, Nimzowitsch e Schlechter.

A young Alexander Alekhine.
O jovem Alexander Alekhine

A carreira de Alekhine decolou definitivamente em 1914. Em janeiro, ele empatou pela primeira vez com Nimzowitsch no Torneio de Mestres da Rússia. Mas o verdadeiro destaque para Alekhine foi seu jogo no lendário torneio de xadrez de São Petersburgo, em 1914, que tentou reunir os 20 melhores jogadores do mundo na época. Eles quase conseguiram. Os 11 jogadores que formaram o evento fizeram dele um dos torneios mais fortes de todos os tempos, e Alekhine se juntou a Marshall em um empate pelo terceiro lugar. Os dois estavam atrás do primeiro colocado Capablanca e os dois que empataram em segundo lugar, Emanuel Lasker e Siegbert Tarrasch. Alegadamente, o czar Nicolau II concedeu o título de Grande Mestre aos cinco jogadores do torneio (o título da GM não foi oficialmente concedido até 1950, quatro anos após a morte de Alekhine). Alguns outros nomes importantes do evento incluem Rubinstein, Nimzowitsch e Joseph Henry Blackburne.

O próximo período da carreira de Alekhine no xadrez foi marcado por lutas pessoais. Ele estava vencendo em um torneio em Manheim, Alemanha, quando a Primeira Guerra Mundial estourou. O torneio foi interrompido e Alekhine recebeu o prêmio pelo primeiro lugar, mas uma série de eventos interferiu no xadrez. Uma declaração de guerra contra a Rússia ocorreu, e Alekhine, juntamente com outros jogadores russos como Efim Bogoljubow, foram retidos na Alemanha e liberados várias semanas depois. Um ano depois, em 1915, Alekhine estava na Áustria quando soube que sua mãe havia morrido. Ao retornar à Rússia, em 1918, ele ajudou a incentivar as atividades de xadrez no país após um período em que foi banido pelo regime bolchevique. Outro obstáculo nesse período ocorreu quando Alekhine era suspeito de ser um espião, mas ele foi libertado logo após ser preso.

Antes de deixar permanentemente a Rússia, Alekhine venceu o campeonato de xadrez da cidade de Moscou, em 1920, com uma pontuação perfeita de 11/11, embora ele não tenha sido declarado campeão de Moscou por não residir na cidade. No ano seguinte, ele ficou invicto (nove vitórias e seis empates) no mesmo torneio, realizado em Moscou pela primeira vez. Foi nomeado retroativamente como o primeiro campeonato da URSS.

Primeiro Campeonato Mundial de Alekhine

Alekhine jogou vários mini-matches e torneios de elite que antecederam sua primeira luta pelo título em 1927. Ele ganhou ou dividiu o primeiro lugar na maioria dos torneios em que competiu e, em 1924, jogou às cegas contra 26 jogadores, quebrando o recorde que o inspirou a levar o xadrez a sério. No ano seguinte, ele quebrou seu próprio recorde jogando contra 28 pessoas no xadrez às cegas.

Em 1927, Alekhine jogou com sucesso seu primeiro match do campeonato mundial contra o Capablanca, depois de anos tentando organizar uma. O principal obstáculo para garantir uma partida tinha sido uma bolsa significativa de prêmios em dinheiro que pagaria ao campeão mais da metade, mesmo que Capablanca fosse derrotado. Alekhine recebeu apoio do governo argentino, o que finalmente permitiu o match.

Em Buenos Aires, Alekhine derrotou Capablanca no match mais longo do campeonato disputado até então. Alekhine marcou 6 vitórias, 3 derrotas e 25 empates. Foi chocante, pois Alekhine não havia vencido anteriormente contra Capablanca. Alekhine estudou as partidas de seu oponente antes do match e encontrou as fraquezas de Capablanca - depois passou a usar o estilo de Capablanca contra ele. O 34º e último jogo levou quatro dias, com adiamentos, e continua sendo um exemplo clássico de uma vitória do quarto campeão do mundo.

Alekhine e Capablanca nunca tiveram uma revanche pelo título mundial. Alekhine achou que a grande quantia de dinheiro que Capablanca exigia para a primeira partida era uma tentativa de evitá-la completamente. Alekhine ofereceu uma revanche, mas as negociações se arrastaram por anos e nunca foram finalizadas.

De 1927 a meados da década de 1930, Alekhine dominou o xadrez. Suas vitórias em torneios durante esse período foram extensas e são destacadas pelo torneio de San Remo em 1930 (3,5 pontos à frente de Nimzowitsch) e Bled em 1931 (5,5 pontos à frente de Bogoljubow). Em 1933, Alekhine mais uma vez quebrou seu próprio recorde de xadrez às cegas vencendo contra 32 pessoas simultaneamente.

Perdendo e Recuperando o Título Mundial

Alekhine defendeu com sucesso seu título duas vezes contra Bogoljubow. Em cada vez, ele ganhou com facilidade; em 1929, Alekhine teve 11 vitórias, 5 derrotas e 9 empates, enquanto em 1934, ele marcou 8 vitórias, 3 derrotas e 15 empates.

Outra defesa do título ocorreu quando Alekhine enfrentou Max Euwe no Campeonato Mundial de Xadrez de 1935, na Holanda. Alekhine começou forte, vencendo sua primeira partida em estilo brilhante e liderando cinco pontos a dois. No entanto, Euwe igualou o placar após mais sete partidas e finalmente venceu o match por pouco, com 9 vitórias, 8 derrotas e 13 empates.

Depois de perder o match, Alekhine teve resultados desiguais em torneios que antecederam sua revanche contra Euwe. A revanche aconteceu rapidamente, e os dois se enfrentaram apenas dois anos depois. Alekhine venceu Euwe com facilidade, recuperando o título com 10 vitórias, 4 derrotas e 11 empates. Esse seria o último match do campeonato que Alekhine jogaria. Ele e Capablanca não conseguiram chegar a um acordo, e Alekhine faleceu em 1946 enquanto finalizava as negociações para um campeonato mundial com Mikhail Botvinnik.

Depois de recuperar seu título mundial em 1937, Alekhine conquistou várias vitórias em torneios. No entanto, sua carreira foi interrompida por outra guerra mundial e mais caos em sua vida pessoal. As mais notáveis ​​foram as acusações de antissemitismo, embora muitas fontes apontem que Alekhine concordou em cooperar com os nazistas durante a Segunda Guerra Mundial para proteger sua esposa quando ela não recebeu um visto de saída da França. Artigos anti-semitas apareceram sob seu nome, mas Alekhine alegou que eles foram forjados. No entanto, Alekhine permaneceu na Europa ocupada pelos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial, jogando e vencendo vários eventos. Ele não foi convidado para torneios depois que a guerra terminou.

Horas depois de concluir os preparativos para uma partida do campeonato mundial com Botvinnik, Alekhine foi encontrado morto em um quarto de hotel em 1946. As circunstâncias em torno de sua morte ainda hoje são discutidas.

Legado

Alekhine era um estrategista brilhante que se destacava em todas as áreas do jogo. Ele venceu o melhor do mundo durante uma era de ouro do xadrez e também serviu como precursor da escola soviética de xadrez, que começou mais ou menos oficialmente com Botvinnik. Garry Kasparov observou uma vez sobre como "admirava o refinamento de suas ideias [Alekhine], e eu tentei, na medida do possível, imitar seu estilo furioso de ataque, com seus sacrifícios repentinos e estrondosos".

Alekhine é um dos maiores jogadores de xadrez de todos os tempos, mas seu legado não para por aí. É justo que um dos dez melhores jogadores de todos os tempos tenha escrito um livro (Minhas Melhores Partidas de Xadrez) mencionado regularmente entre os dez melhores livros de xadrez de todos os tempos. Esse trabalho e sua obra-prima New York 1924 permanecem fortes influências no mundo do xadrez, além de seus jogos e contribuições para a teoria das aberturas.

Melhor Partida


Aberturas Mais Jogadas

Partidas